sábado, 23 de junho de 2012

Vincere

Assisti Vincere (2009) de Marco Bellocchio no Max. Vasculhava no site da HBO os filmes que iam passar, li a sinopse e alguns detalhes desse, me programei pra ver e que surpresa. Que filme lindo, bem realizado, original nas tomadas de cena, belíssima fotografia, incrível elenco. Acabei achando uma entrevista que o diretor concedeu ao jornalista Luiz Carlos Merten para o Estadão e vou colocar aqui. É baseado em um fato real, mas o diretor comentou que como não tinha muito de como era essa mulher, os diálogos dela são ficção.

A história é sobre uma amante de Mussolini. Eles dois jovens, ele ainda militante de sindicato e pobre, ela uma mulher bem de vida, estabelecida, moderna, que tinha um ateliê de moda, independência. Eles tem uma tórrida paixão, ele já era casado. Ela vende tudo o que tem, joias, ateliê, tudo, para financiar o jornal que ele queria fundar, ele diz que é um empréstimo. Ela fica grávida, ele vai para a guerra e ela começa uma luta insana em tentar provar que o seu filho era realmente de Mussolini. Para que ela não atrapalhe os planos desse ditador, ela é internada em um manicômio. O filho depois também e os dois, mãe e filho morrem em um manicômio. A obstinação dessa mulher surpreende, forte, inteligente, mas confesso que não vejo em muita vantagem em se provar que um filho é de um ditador. O melhor seria ela ter seguido com sua vida e esquecido essa paixão com alguém tão violento.

Giovanna Mezzogiorno está simplesmente maravilhosa! Inclusive ganhou Globo de Ouro por sua interpretação. Eu adoro essa atriz e como é linda. Filippo Timi também está incrível, ele interpreta o Mussolini jovem e o filho bastardo depois. Outros do elenco são: Michela Cescon, Corrado Invernizzi e Fausto Russo Alesi.

Beijos,
Pedrita

4 comentários:

  1. No caso italiano, ser filho de Mussolini ganha a proteção do partido fascista, reorganizado, atuante e expressivo após a guerra.

    ResponderExcluir
  2. Vi no cinema, já faz um tempinho, gostei! Vou aproveitar para assistir novamente agora que entrou na programação do Max.

    ResponderExcluir
  3. Deve ser bem forte esse filme. Gostei da dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
  4. enaldo, no início entendo ela querer o reconhecimento, ela acreditava nas ideias dele tanto q patrocinou o jornal. mas qd ele começa a rejeitá-la e pedir q tirassem de onde ele está e ela começa a se prejudicar, silenciar seria bem melhor. o próprio diretor coloca um psiquiatra sugerindo isso.

    bruxa, gostei muito tb. nem vi qd esteve nos cinemas.

    georgia, vc vai gostar, mas é um filme forte.

    ResponderExcluir

Bons comentários!