sábado, 19 de julho de 2008

O Iluminado


Assisti O Iluminado (1980) de Stanley Kubrick em DVD na casa da minha amiga. Eu tinha loucura em ver esse filme, mas parecia que ele sempre fugia de mim. É de um gênero que adoro e ainda com esse diretor, não queria perder. O Iluminado é baseado no livro do Stephen King que agora quero muito ler, já anotei na minha lista. Jack Nicholson está excelente, também gostei demais dos atores que contracenam com ele, Shelley Duvall e o lindo menininho Danny Lloyd. Outro que está no elenco é Scatman Crothers. Nosso protagonista aceita o emprego de cuidar de um ontem que fica fechado no inverno. Ele e sua família ficarão isolados até a primavera. Me surpreendi quando tinha passado mais de um mês e eles continuariam lá. Não tinha idéia que hotéis ficassem fechados tanto tempo.

Ele é um escritor e seu comportamento começa a mudar depois de um tempo naquele lugar. Vou falar detalhes do filme: Me surpreendi que O Iluminado não é ele e sim seu filho. Que seu filho tem um dom de ouvir uma voz que conta o passado e o futuro. O menino é uma graça. Só participou de mais uns dois ou três filmes e nunca mais.
O hotel que é filmado é absolutamente maravilhoso! O lugar é muito lindo! As paisagens no início na viagem são estonteantes. Gostei demais também do apartamento que eles entram. Nesse DVD há um making of que a filha do Kubrick fez, Vivian Kubrick. Ela mostrou várias cenas e como eram realizadas. As escolhas de câmera de Kubrick para O Iluminado eram geniais. É estranho ver depois o making of e tanta gente nos corredores. Tinha acabado de ver um filme tenso com só três pessoas naquele hotel vazio. Muda muito o clima ver tanta gente na preparação e filmagem. Genial!

A trilha sonora também é belíssima, Bela Bartók e o polonês Krzysztof Penderecki. Adoro esses compositores.


Músicas do post: Bartok - Sonata for solo violin

E: Janine Jansen - Penderecki - Clarinet Quartet - 2006-12-28



Youtube: shining
O youtube é uma diversão a parte, inúmeras cenas do filme, paródias, trechos do making of.







Beijos,

Pedrita

sexta-feira, 18 de julho de 2008

Solaris

Assisti Solaris (1972) de Andrei Tarkovsky em DVD na casa da minha amiga. O roteiro é baseado no romance homônimo de Stanislaw Lem. Vocês se lembram que eu tinha visto o posterior e comentado aqui. Vocês não imaginam minha alegria quando vi que minha amiga tinha entre os seus DVDs o do Tarkovsky. É tudo e mais do que dizem, obra de arte, simplesmente maravilhoso! O que achei interessante é que é muito mais um filme filosófico do que de ficção científica. Ao contrário do de 2002. Há várias citações, há na nave uma biblioteca onde os viajantes leêm trechos e vêem obras de arte. E a fotografia é simplesmente maravilhosa! Há muita natureza em Solaris!

Enquanto no de 2002 as discussões ficam sobre as interferências galácticas nos acontecimentos, o de Tarkovsky fala muito sobre a morte, o que é a existência, são discussões sobre o que é viver. Há citações de Dom Quixote de Cervantes, e de vários outros livros clássicos.
O protagonista é um psicólogo que vai a nave Solaris ver o que acontece. É muito interessante como ele chega prepotente e pretensioso, cheio de suas teorias, e como começa a mudar ao se deparar com aquele universo absolutamente inexplicável.

Tela de Hunters in the Snow (1565) do belga Pieter Brueghel
Essa é uma das telas que nossa personagem divaga. Há inúmeros flashs do que aconteceu, com uma edição impecável e pedaços dessa obra.
O elenco todo é incrível: Natalya Bondarchuk, Donatas Banionis, Jüri Järvet, Vladislav Dvorzhetsky, Nikolai Grinko e Olga Barnet.
Música do post: Rachmaninov Koncert2 part2.mp3
Rachmaninov 2nd Symphony, III. Movement: adagio




Beijos
Pedrita

quinta-feira, 17 de julho de 2008

Os Viajantes do Tempo

Assisti Os Viajantes do Tempo (2001) do diretor francês Jean-Marie Poiré no Cinemax. Não, vocês não entraram no blog errado e eu não tenho sobrinhos. Eu estava zapeando e vi esse filme começando. O Jean Reno estava em um castelo, resolvi assistir. É bem bobinho, mas me diverti. Como eles viajam no tempo logo vieram em Chicago e aí o filme fica contemporâneo e mais barato de realizar.

O mago se atrapalha, manda o nobre para o futuro. O nobre, claro, encontra uma antiga descendente sua e tenta achar um jeito de voltar ao seu mundo.

O nobre é interpretado pelo Jean Reno, o mago por Malcolm McDowell. A mocinha por Christina Applegate. O criado atrapalhado por Christian Clavier. E o vilão por Matt Ross. Há mais duas outras mulheres: Tara Reid e Bridgette Wilson.
Os figurinos e os cabelos são tão feios que achei que o filme era da década de 80. O cartaz é outro horror. Além de feio não tem nada a ver porque os dois não chegam pelo bueiro e nem sequer bueiros aparecem no filme.
John Powell é o compositor da trilha sonora do filme, mas a música do post não é do filme.
Música do post: John Powell- Whirlpool Of Love

Get this widget Track details eSnips Social DNA



Beijos, Pedrita

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Ausentes

Assisti ao filme espanhol Ausentes (2005) de Daniel Calparsoro no HBO Plus. Gostei muito e fui ver porque a Ariadna Gil está no elenco. Ela é casada com o personagem de Jordi Mollà. No início ela é rejeitada em uma seleção para emprego porque é muito capacitada. Ela tem um surto e o marido resolve se mudar com ela e seus dois filhos para uma cidade mais tranqüila. Os meninos são interpretados por Nacho Pérez, que também está em Alatriste e Omar Muñoz. Todos estão excelentes. É impressionante o desempenho de Ariadna Gil. A casa que eles se mudam é linda, bem arejada, com muitas janelas e parece ter inclusive placas para energia solar. Mas não há ninguém na cidade. Parece uma cidade fantasma.

A cidade também tem um estranho sistema de segurança que vigia todos. Em cada casa todos tem na televisão um canal que conseguem ver a frente de sua casa e saber quem chega. Ausentes é bastante angustiante e interessante!
Música do post: Edurne - Amores Dormidos
Get this widget Track details eSnips Social DNA



Beijos,
Pedrita

terça-feira, 15 de julho de 2008

A Megera Domada


Assisti A Megera Domada de Cacá Rosset no Teatro Sérgio Cardoso com o Teatro do Ornitorrinco que completa 30 anos de existência. O 007 mostrou interesse em ver esse espetáculo, então fomos juntos. Nos divertimos bastante. Eu tinha uma lembrança especial de Sonhos de Uma Noite de Verão, que foi numa dessas noites mágicas das nossas vidas e queria ver esse espetáculo. Eu acho tudo muito criativo. Apesar desse texto de Shakespeare ser bastante machista, brinca tanto com o poder do homem sobre a mulher que fica divertido. E as tiradas do grupo enriquecem mais ainda o espetáculo. A imagem do cartaz é do maravilhoso Angeli. Inclusive o pano de boca que há no teatro tem um desses seus desenhos.

A Megera Domada é representada pela ótima Christiane Tricerri. O Petruchio por Cacá Rosset. Eu gosto muitos dos atores do grupo em especial de Rubens Caribé, Eduardo Silva e Paulo Vasconcellos. Gosto também que o Teatro do Ornitorrinco utiliza música ao vivo em seus espetáculos e os quatro músicos vêm caracterizados. A Megera Domada fica em cartaz até o dia 29 de agosto e os ingressos custam somente R$ 20,00, quase o mesmo que dos cinemas. A sala estava lotadíssima, então é preciso comprar antecipadamente os ingressos. Infelizmente o público da noite que vi era muito irrequieto e falava muito durante o espetáculo. Eram vozes de conversas intermináveis de tudo quanto é lado.

Música do post: 03 Boccherini _ Minuet

Get this widget Track details eSnips Social DNA




Youtube: A Megera Domada - Teatro do Ornitorrinco (2008)


Beijos,

Pedrita

segunda-feira, 14 de julho de 2008

Espírito Selvagem

Assisti Espírito Selvagem (2000) de Billy Bob Thornton no Cinemax. Era uma tarde com poucas opções. Gosto do ator que dirigiu o filme e de dois do elenco Matt Damon e Penélope Cruz, resolvi assistir. É um filme mediano. Com alguns aspectos interessantes, outros nem tanto. Penélope Cruz mal aparece no filme. Os protagonistas são mesmo o Matt Damon e o Henry Thomas. O personagem do Matt Damon vive na fazenda do avô. Com a morte do avô, sua mãe, já casada com outro homem, resolve vender a fazenda. Fiquei na dúvida, não conheço as leis americanas, que dirá as desse período, se o neto não tem direito a nada ou não sabia que tinha. O fato é que ele se une um amigo e resolvem ir ao Texas, já que sabem que há muitas fazendas por lá e arrumarão trabalho.

Eles vão a cavalo e atravessam o rio. Há muitos intempéries, muitos problemas e o filme fica bastante dramático. Por falar nisso, a sinopse do Adoro Cinema está completamente errada.
Alguns outros do elenco são: Sam Shepard e Lucas Black.
Música do post: All the Pretty Little Horses