sábado, 17 de outubro de 2009

Frida

Assisti Frida (2002) de Julie Taymor na HBO Plus. Eu queria muito ver esse filme, tentei inclusive ver nos cinemas. É incrível! Confesso que tinha uma certa ressalva da Salma Hayek interpretar a Frida Kahlo, mas me surpreendi. A direção é muito boa, os recursos cinematográficos são geniais, amei! Eu conhecia muito pouco da Frida Kahlo e não sabia que ela tinha sofrido tanto. Mas apesar das limitações físicas, ela vivia plenamente e intensamente.

Terminado o filme fui pesquisar imagens das obras e fotos da Frida Kahlo e de seu amigo, Diego Rivera, que também era um pintor. Me surpreendi com a semelhança e caracterização dos dois para o filme. Arredondaram bastante o Alfred Molina e ele ficou idêntico ao Diego Rivera. Frida Kahlo gostava muito de cores, tinha um jeito muito peculiar de se vestir, gostava das tradições da sua cultura. Era de uma autenticidade surpreendente. Ainda no elenco estão: Geoffrey Rush, Ashley Dud, Valeria Golino, Mia Maestro, Diego Luna, Edward Norton, Patrícia Reyes Espíndola e Antonio Banderas.

Frida ganhou Oscar e Bafta de Melhor Maquiagem, merecidíssimo e Oscar de Melhor Trilha Sonora.

As músicas do filme também são belíssimas, várias regionais do México. A última é interpretada por Caetano Veloso.

Youtube: Frida trailer



Beijos,

Pedrita

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

Savage Grace

Assisti Savage Grace (2007) de Tom Kalin no Telecine Cult. Vi no site que o filme era espanhol e com a Julianne Moore, resolvi assistir. Na verdade é uma co-produção entre Espanha, Estados Unidos e França. Depois de ver o filme li um comentário do Merten onde ele dizia que achava melhor que quem fosse assistir, fosse puro, sem informações do filme e concordo, eu fui dessa forma e desarmados acabamos penetrando nessa complexa história, com sentimentos tão controversos. No Telecine Cult está como Pecados Inocentes, mas nas buscas já vi com outras traduções, preferi manter o nome original. Savage Grace é um filme para adultos.

Vou falar detalhes do filme: Savage Grace fala da vida conturbada de uma família. O narrador é o filho. A mãe é afetiva e impulsiva, o pai é mais frio e distante. A relação do casal é sempre muito agressiva e só piora com o tempo. A mãe dedica então todo o seu afeto a seu filho. Tudo é complexo. Mas esse casal vive de forma intempestiva. Por terem uma situação financeira tranquila, rica mesmo, não trabalham. Ela é tudo um pouco e nada. Tentou ser atriz, tentou ser pintora, tentou ser escritora. Aos poucos vamos percebendo que apesar desse ambiente ter potencializado os desequilíbrios do filho, ele é muito mais perturbado do que imaginamos. Eu mesma me surpreendi com os desajustes dele. Aos poucos esse rapaz vai dando sinais de perturbação, mas inicialmente eu só o via como alguém mimado. Só no final que comecei a unir todos os desequilíbrios, obsessões e depressão desse rapaz.


Julianne Moore está mais linda que nunca. Gostei demais do rapaz que interpreta o filho dela adulto: Eddie Red-mayne. O marido é inter-pretado por Stephen Dillane. Alguns outros do elenco são: Elena Anaya, Unax Ugalbe, Barney Clark e Martin Huber. Há o envelhecimento dos personagens com o passar dos anos. Escolheram fazer mais na mudança dos cabelos e dos figurinos, o que ficou bem definido, mas sutil. Gostei muito do olhar do diretor e do desempenho dos dois protagonistas. São cenas difíceis, mas muitas vezes ele só mostrava e seguia para outra, como disse, aos poucos vamos compreendendo esse universo tão diferente.


Youtube: Savage Grace Trailer


Beijos,

Pedrita

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Wall-E


Assisti Wall-E (2008) de Andrew Staton na HBO. Eu queria muito ver essa animação pelos elogios que recebeu. Esse pôster é muito semelhante ao ET, mas enfim, Wall-E emociona realmente. Há alguns exageros, mas de qualquer forma é uma linda animação. Nosso robô vive sozinho na terra, pelo menos no estado que vive, na verdade tem uma barata como amigo. Ele é um robô que compacta o lixo. Ele gosta também de selecionar objetos que encontra. Ele tem um videocassete e um filme americano, um musical, que assiste. Tem rádio nele. É um fofo! O ser humano encheu a terra de um monte de lixo e precisou viver em cruzeiros no espaço.
Até que aparece uma robô e começa a conviver com ele. Fora a linda história dos dois há vários questiona-mentos sobre lixo, interferência do homem. Algumas um pouco exageradas
como disse, mas gostei muito de Wall-E que ganhou Globo de Ouro, Bafta e Oscar de Melhor Filme de Animação.


Youtube: Wall-E




Beijos,

Pedrita

terça-feira, 13 de outubro de 2009

Agente 86


Assisti Agente 86 (2008) de Peter Segal no HBO Plus. Eu tinha muita vontade de ver esse filme, gostava da caracterização dos protagonistas, muito parecidos com os originais. É razoável, mas não gostei de alguns fatores. Os dois estão bem, mas o roteiro é muito elaborado. Recentemente revi uns episódios da série e gostava muito da simplicidade do roteiro. Era engraçado porque muitas vezes era bobo. Nós já tínhamos visto o vilão fingindo de boneco de cera em um museu e eles nem percebiam. Acabavam resolvendo o mistério por acaso. No filme tudo é elaborado demais e perde um pouco dessa simplicidade que fazia tudo ficar muito engraçado.


Há uns bons momentos no filme, mas muito das piadas são de mal gosto e preconcei-tuosas, meio forçadas. Há varias alusões ao 007 e piadas sobre a série. Algumas engraçadas, outras nem tanto. Agente 86 parecia mais uma sátira ao 007 do que uma referência a série. Eu gostei muito do casal protagonista Steve Carell e Anne Hathaway. Alguns outros do elenco são James Caan, Alan Arkin e Daywe Johnson que conhecemos melhor como The Rock.

Youtube: Agente 86 - Trailer 2
Beijos,


Pedrita

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Livraria João Alexandre Barbosa



Fui na abertura da Livraria João Alexandre Barbosa na USP. Chegando perto da Antiga Reitoria da USP, eu levei um susto. Essa livraria é enorme, fizeram o projeto com largas janelas e vista para a praça. Para aquelas árvores lindas desse pedaço da USP. O projeto da Paulo Bruno Arquiteto Associados é muito bonito. O que gostei é que é ainda funcional. Há cadeiras, um café, um ótimo lugar para encontros. Eu adoro livrarias, mas compro mais livros pela internet, acaba sendo mais em conta que em livrarias porque participo de promoções. E compro também em sebos. Mas gostei que a Livraria João Alexandre Barbosa tem quase todos os livros da Coleção Aplauso e claro, vários livros da Edusp, já que a livraria é gerenciada pela Edusp. Então quando precisar de livros dessa editora vai ser tranquilo ir até lá. Também é ao lado do correio que em geral eu mais utilizo.


Música do post: Nem Um Dia de Djavan




Beijos,

Pedrita