sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Game of Thrones - 4ª Temporada

Assisti Game of Thrones - 4ª Temporada (2014) no HBO On Demand. A série continua interessante, é muito bem realizada, bom texto, mas essa temporada se arrasta muito. Demorei bastante para ver, não ficava tão curiosa quanto antes.

Lindo o casamento e incríveis os desfechos da festa. Muito bem realizado o texto com a rainha recém-viúva já ter apoio da família do ex-rei para que ela já seduzisse o jovem atual rei. Adoro a atriz que faz a futura rainha, Natalie Dormer, e muito bem também o cruel rei interpretado por Jack Gleeson.

Continuo gostando da complexidade da Daenerys interpretada brilhantemente pela Emilia Clarke. Ela quer ser justa e boa, mas esbarra sempre nos conflitos de interesses e da justiça de cada um. Passa a estar sempre ao seu lado, um outro personagem emblemático da Nathalie Emmanuel.

Os desdobramentos do personagem de Peter Dinklage são muito tristes. Incrível e triste a reviravolta da personagem de Sibel Kekilli.

Um outro personagem que adoro, a Arya de Maisie Willians tem uma trama repetitiva e cansativa. Ela passa a temporada em cenas semelhantes com o personagem de Rory McCann. Eles continuam viajando e apesar de cada lugar ter pessoas diferentes o desfecho é sempre igual. Por sorte no final da temporada o destino dela muda e fiquei curiosa de ver a quinta temporada e os desdobramentos dessa personagem.

Outra trama que se arrasta é a da Muralha. Passa um episódio inteiro na luta entre Muralha e Selvagens. Na quarta temporada vários personagens interessantes morrem e surgem outros, uma ótima característica da série, surpreender e mudar o tempo todo.

Beijos,
Pedrita

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

Garota Exemplar

Assisti Garota Exemplar (2014) de David Fincher no TelecinePlay. Inicialmente eu achei que esse era um filme adolescente para adolescentes e não me interessei. Em uma das minhas zapeadas comecei a pensar que talvez não. E foi quando o TelecinePlay dividiu os filmes por categorias e colocou esse em Suspense/Terror que tive certeza e resolvi ver. Garota Exemplar é baseado no livro de Gillian Flynn que ganhou inclusive prêmio no festival para mulheres jornalistas. Minha amiga disse que o livro é igualmente sensacional. Eu adoro o Ben Affeck e Garota Exemplar é muito bom. Bem mirabolante, mas muito bom.


Garota Exemplar começa com o desaparecimento da esposa do personagem do Ben Affeck. Vou falar detalhes do filme: Aos poucos vamos conhecendo esse casal. Garota Exemplar pode ser utilizado para debates sobre o papel da mídia. É esse o grande trunfo do filme. A mídia cria o tempo todo uma historinha e é difícil desmenti-la mesmo que não seja verdade. Essa esposa na infância foi personagem para livros que os pais escreveram, a Garota Exemplar. Diferente da criança, a menina do livro era exemplar, ganhava prêmios desde a mais tenra idade. Enquanto a criança era uma menina normal. Os pais e a criança ganharam muito dinheiro com isso. Confesso que esses livros me incomodaram também. Pela existência dos livros essa garota era idolatrada. Começa a ter uma legião de fãs, mas não porque ela é exemplar, mas pela personagem que os pais criaram. Com o desaparecimento dela, os fãs aparecem para ajudar nas buscas.

Incrível como a mídia monta a historinha. Tímido, desconfortável com os fãs, o marido agoniado tem atitudes esquisitas, risos nervosos e a imprensa o condena rapidamente sem provas. Ele contrata um advogado e quando vai contar a sua versão, tudo muda de novo. Ele resolve então mentir e todos passam a gostar dele de novo. A imprensa de novo força uma situação. A esposa que se escondia resolve então aparecer, a história que ela criou muda, ela não se interessa pela história que contam atualmente e resolve ser novamente a protagonista da trama. O marido diz que assim que a imprensa se afastar, ele vai se afastar da esposa e retomar sua vida. Só que a imprensa nunca se afasta, ditando novamente o desfecho dessa trama. Incrível! 

A esposa é interpretada por Rosamund Pike. A irmã gêmea do esposo por Carrie Con. O advogado por Tyler Perry. A policial por Kim Dickens. Os pais por David Clennon e Missi Pyle. O ex-namorado por Neil Patrick HarrisGarota Exemplar ganhou muitos prêmios, vários de melhor adaptação de obra.




Beijos,
Pedrita

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Consciência de Ser Eunice Katunda

Fui ao recital Consciência de Ser Eunice Katunda no Centro Cultural São Paulo. Se apresentaram a soprano Adélia Issa e a pianista Rosana Civile em um evento do Núcleo Hespérides - Música das Américas. No final teve uma palestra com o pesquisador Carlos Kater que escreveu o livro Eunice Katunda, musicista brasileira. Kater contou que Eunice Katunda (1915-1990) nasceu Eunice de Monte Lima. Pelo casamento passou a assinar Eunice Catunda e após a separação adotou o K no lugar do C. A história de sua mãe também é curiosa, primeira funcionária pública passou a pintar após ter 70 anos. A música de Eunice Katunda tem vários momentos. Quando estuda com Koellreuter e adere as suas teorias viaja em um grupo para a Europa e tem uma carreira muito representativa por lá. Eunice Katunda era uma grande pianista. Ela volta ao Brasil, rompe com a estética do compositor e resolve estudar as influências da música tradicional brasileira ligando-se ao nacionalismo. Na Bahia conhece o antropólogo Pierre Verger e tem contato com as religiões africanas. A última música do recital é dessa influência.


Muito lindas as obras e incríveis interpretações. Foi lindo o recital que era gratuito.

Quatro Incelenças (Quatro Cantigas de Velório)
- Incelença dos Cravos e Rosas
- Incelença do Anjo Serafim
- Incelença do Anjo do Céu
- Incelença das Ave-Marias

Consciência de Ser (Eunice Katunda)

Quatro Epígrafes para piano solo
I Calmo
II Agitato Rubato
III Grave-Calmo
IV Agitato Molto

Líricas Brasileiras (Mário de Andrade)
- Moda do Corajoso
- Moda da Solidão-Solitude

Três Momentos em New York para piano solo
I Evocação de Jazz
II Branca Neve Invernal
III Modinha Singela (Velha Modinha)

Seresta do Maior Amor (Vinícius de Moraes)

Estro Africano nº 1 - Duas Cantigas das Águas
- Em Louvor de Oxum
- Em Louvor de Yemanjá


Beijos,
Pedrita

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

Cabeça a Prêmio

Assisti Cabeça a Prêmio (2009) de Marco Ricca no Arte 1. Eu gravei esse filme. Eu quis ver desde que estreou nos cinemas, acompanhei algumas matérias. Sou fã do Marco Ricca, inteligente, está sempre em filmes incríveis, suas entrevistas são sempre emblemáticas. E Cabeça a Prêmio é sua estreia na direção. Confirmando o que disse sobre ele, Marco Ricca escolhe um texto de Marçal Aquino para realizar o filme. Sou igualmente fã do Marçal Aquino, mas vergonhosamente nunca li um de seus livros, mas os filmes baseados em seus textos são maravilhosos, e não é diferente em Cabeça a Prêmio. A complexidade dos personagens e a diferença de suas características transformam Cabeça a Prêmio em um filme maravilhoso!

Eu sou fã também da Alice Braga e o personagem dela é igualmente incrível. Amo os filmes que ela atua, ela sempre está ligada a grupos que realizam grandes filmes. Fúlvio Stefanini interpreta o pai dela, um fazendeiro que tem um avião que faz contrabandos na fronteira. Ele nem imagina que sua filha tem um tórrido romance com o piloto dos contrabandos, interpretado por Daniel Hendler. O casamento desse fazendeiro vai mal, a mulher briga o tempo todo com ele, ela é interpretada por Ana Braga. Agora que vi que ela é mãe da Alice Braga.
Outro personagem incrível é do Eduardo Moscovis. Começa com ele matando um radialista interpretado pelo David Cardoso. Frio, calado, ele se envolve com a dona de um bar. Eletrizantes as cenas dos dois. Ela é interpretada igualmente brilhantemente por Via Negromonte. A trama é toda complexa, conturbada. Otávio Müller está incrível como o irmão do fazendeiro que quer assumir o comando dos negócios. Cássio Gabus Mendes faz o parceiro do Moscovis. César Trancoso o traficante que coloca os filhos no serviço e vivem do outro lado da fronteira. Outro que tenho visto filmes incríveis recentemente.
Posts do blog:
Filmes nesse blog com Alice Braga - link - não está o maravilhoso Cidade Baixa, entre meus filmes preferidos, junto com Via Láctea.
Filmes com texto do Marçal Aquino - link
Projetos com Marco Ricca - link
Projetos com César Trancoso - link
Projetos com Otávio Müller - link
Projetos no blog com Eduardo Moscovis - link
Esse trailer é incrível porque parece que eu falei de outro filme. A apresentação do filme no Arte 1 parece igualmente de outro filme.

Beijos,
Pedrita

domingo, 20 de setembro de 2015

Recital do Centro de Música Brasileira

Fui ao recital do Centro de Música Brasileira no Centro Britânico Brasileiro. Inicialmente se apresentou o Aulustrio com os irmãos Brucoli (Fábio, Mário e Paulo). Eles são excelentes. Belíssima a obra de Osvaldo Lacerda que abriram o recital, Trio em Três Movimentos. Foi composta em 1969 e a angústia vivida nesse período fica muito clara. Fábio Brucoli falou da outra peça de Glauco Velázquez e do projeto que comentei aqui. Desse compositor interpretaram o Trio nº 2.
Foto de Marcelo Donatelli

Depois Tânia Camargo Guarnieri ao violino e Araceli Chacon ao piano interpretaram um belo repertório começando por Villa-Lobos

Programa do duo:

Heitor Villa-Lobos:
- O canto do cisne negro
- Bachianas nº 5

Osvaldo Lacerda: Três danças Brasileiras antigas:
- Chote
- Lundú
- Valsa

8 Variações sobre um tema folclórico (1954 - revisão 1989)

M. Camargo Guarnieri :
Encantamento

Sonata nº 3:
- Moderato expressivo
- Terno

- Decidido

Beijos,
Pedrita