segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

Lore

Assisti Lore (2012) de Cate Shortland no Max. É baseado no livro The Dark Room de Rachel Seiffert que quero ler. O livro e o filme ganharam vários prêmios. É impressionante, difícil, doloroso e profundo. A diretora é australiana, a autora alemã. É fundamental serem mulheres a contar essa história pelo olhar feminino e pelas as questões de maternidade. Uma alemã na Segunda Guerra vê seu pai chegar com um caminhão. A mãe avisa que eles precisam levar o que der no caminhão. Percebemos que o pai é alemão, a família reverencia Hitler. A mãe chama o pai de covarde. Eles viviam em uma casa grande e confortável.

Eles vão viver em uma casa no campo, a mãe diz que precisa se entregar e parte. Fica então essa adolescente e seus 4 irmãos, sendo que um bebê. Nenhum vizinho quer dar alimentos para eles, expulsos saem a caminhar com pouco dinheiro e algumas joias. É muito desesperador. Imagine caminhar dias e dias com 4 crianças, com fome, sofrendo todo o tipo de privação. E tem gente que desdenha alimentos. O bebê chora muito de fome, ela paga uma mulher que amamenta para dar leite ao seu irmão e vão andando, cada vez com mais fome e mais miseráveis. Assustador! Incrível como esse filme é atual, com países fazendo cercas e impedindo que outras pessoas sejam acolhidas. Fazendo com que tantos passem fome, frio e com crianças também. Como o ser humano é mal.

Sim, o pai tinha sido um soldado nazista, sim, eles cantavam as músicas de Hitler, mas eram crianças, negar alimentos as crianças, é cruel demais. Embora a maioria não tinha alimento também para eles mesmos porque tudo estava devastado pela guerra. É o fim da guerra, os americanos tomam a Alemanha que passa a ser dividida. Lore é muito profundo porque mostra a perversidade do ser humano independente dos povos. Alemães, até mesmo crianças eram massacrados pelos americanos. Sim, os alemães tinham massacrados outros povos, inclusive inocentes judeus, mas massacrar crianças, é se igualar a eles.

Todos estão contra todos, por ideologia ou por fome. Lore mesmo, em alguns momentos, mostra seu ódio aos judeus e os chama de imundos, mesmo que esse judeu esteja ajudando eles. Não quer chegar perto de judeus. Todos se odeiam, todos foram criados para odiar. Os alemães porque o pai parece ter deserdado. Todos se odeiam. Incrível como esse filme é atual. O que importa é de que país você é e não se é um ser humano com fome e pedindo abrigo.


Saskia Rosendahl está impressionante. Que atriz! Imagino a dificuldade que tenha sido filmar com tantas crianças. A irmã é interpretada pela Nele Trebs. Os irmãos gêmeos por André Frid e Mika Seidel. O judeu por Kai-Peter Malina. A mãe é interpretada por Ursina Lardi. O final é muito bem realizado, são poucas cenas, mas muito impactantes. Eles chegam a casa da avó, mas a avó ainda está na rigidez dos alemães na educação. Incrível a Lore defendendo o irmão em um pequeno gesto de indisciplina, seguido por outro, resumindo claramente a ironia de uma restrição depois de todos os abusos que sofreram na caminhada. A falta de compaixão da avó, a frieza. E a leoa que essa adolescente se tornou para defender seus irmãos. Impressionante.

Beijos,
Pedrita

16 comentários:

  1. Preciso conhecer Lore, só digo isso!!!

    ResponderExcluir
  2. e eu por tudo que li e que vejo hoje nos noticiários so posso dizer que guerra é guerra. produto do próprio ser humano?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fatima, muito ser humano é mal e não faz o mínimo esforço para mudar.

      Excluir
  3. Ainda não assisti. Impressionante como, apesar de tanto avanço no mundo, o ser humano continua igual.

    ResponderExcluir
  4. Infelizmente esses tipos de filmes não tenho estrutura emocional pra ver.
    Big Beijos
    Blog LULU ON THE SKY

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lulu, foi muito difícil assistir, parei várias vezes, acho que não conseguiria ver no cinema.

      Excluir
  5. Boa dica para o feriadão de carnaval, eu fiquei curiosa pra ler
    o livro e assistir o filme tbm.

    Bjs ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, veja de dia pq é muito deprimente.

      Excluir
  6. Não conhecia, mas que sofrimento!! Acho que criança no mundo deve sofrer por atos dos adultos. Que filme atual. Deve ser muito doloroso assistir.
    Bjs
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adriana, foi muito difícil. toda vez que vejo as grades impedindo os sírios e vejo as crianças penso nisso. qt crueldade.

      Excluir
  7. Respostas
    1. maria, para variar e infelizmente não em o livro no brasil.

      Excluir
  8. Oi, Pedrita,

    Diante das situações extremas é que a gente vê realmente o quanto o ser humano é cruel e insensível. As grandes religiões costumam dizer isso: que o homem foi criado bom, mas abriu mão da bondade e optou pelo egoísmo.Há sinais demais disso no mundo, infelizmente. Este filme faz bem o meu gênero, rsrs.



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, eu acho que o homem é potencialmente mal e que é a educação e a cidadania que fazem ele respeitar o próximo.

      Excluir

Bons comentários!