terça-feira, 23 de setembro de 2008

Se o Vento Levanta a Areia

Assisti Se o Vento Levanta a Areia (2006) de Marion Hänsel no Cinemax. O filme é uma co-produção entre França e Bélgica e é baseado no romance francês Chamelle, de Marc Durin-Valois que fala de uma família que vive em um vilarejo na África. Começa com um homem tentando convencer um pai a matar sua última filha naquela noite, já que será no futuro mais uma boca pra comer, ele já tem dois meninos e uma menina é menos forte ao trabalho. E a água do vilarejo vai acabar daqui a uns anos. A mãe foge com o bebê. Volta no outro dia de manhã e o pai desiste de matar sua filha.


Passam-se os anos, a água do vilarejo está prestes a acabar. Todos precisam partir. Mas a pergunta é para onde? Pelo caminho há outros poços há muita violência, grupos em guerra. Eles vivem de forma simples nesse vilarejo. Esse pai é estudado e dá aulas em uma pequena escola. Eles têm cabras. Vivem bem, apesar de poucos recursos. Ir ao encontro do desconhecido é muito arriscado. Ainda mais tendo que passar por tantas regiões violentas ou pelo deserto do Saara.
O filme começa então a nos virar por dentro. Nós que desconhecemos as questões de falta d´água, não temos idéia dos horrores que um bem tão precioso provoca em sua falta. Grupos mantém o controle de poços para conseguir o que desejam. Brigam e matam por água. E a população fica a mercê desses soldados ou revolucionários. É uma violência sem fim. Essa família até consegue sobreviver a algumas abordagens e andar muito, mas as surpresas com a violência são tantas, que nos dilacera. Continuei vendo, mesmo sofrendo muito, porque acho que nós estamos muito acomodados e temos pouca noção de questões de sobrevivência sem água. Desperdiçamos tanto esse bem precioso, ficamos preocupados se o carro foi ou não lavado naquela semana e nos esquecemos quantos povos não tem água nem para beber. E que com o nosso desperdício, pode ser que nós também passaremos por questões semelhantes. Nós não só desperdiçamos muita água, como não plantamos árvores nem cultivamos plantas que ajudam no nosso ecossistema.
O elenco é excelente, atuações maravilhosas. São muito bonitos os dois atores que fazem o casal em Se o Vento Levanta a Areia, Issaka Sawadogo e Karemera Umulinga. Alguns outros são Carole Karemera, Asma Nouman Aden e Emile Abossolo M'bo.
Música do post: 13 Shayalan Amabala



Beijos,
Pedrita

11 comentários:

  1. Pedrita, deve ser um filme bem trágico e pesado de ver.

    ResponderExcluir
  2. Gosto de ver esse tipo de filme que nos chama para a realidade. Vou adicionar na minha lista. :o)

    ResponderExcluir
  3. Vi o trailer no Cinemax. Está na lista dos que quero assistir.

    ResponderExcluir
  4. Nao vi o filme, mas já ouvi falar nele. O que a Pedrita diz sobre os problemas dessas pessoas e da sua falta de àgua é muito trágico e tem razao ao referir-se à nossa sociedade que nao pensa nesse problema quando desperdicamos àgua.
    Gostei muito e gostava de abordar esse tema no meu blogue referindo-me a este.

    Saudacoes outonais!

    ResponderExcluir
  5. Você foi mais corajosa que eu. Eu vi o filme até a metade mas aí me deu uma angústia e eu não consegui ir até o fim. A atriz que faz a garotinha Sasha é uma graça, não?
    Denise

    ResponderExcluir
  6. Oi, bom saber que o "mulher de fases" ficou registrado...
    Eu li seu post, achei triste, não tenho facilidade pra aceitar as coisas e me sinto pequena quando reclamo de uma conta de luz que vem alta, quando sei que exatamente neste mesmo momento crianças não tomam banho quente, e nem se quer têm água para isso ou para beber. Toda vez que recebo mensagens com apelos para a África, fico mal por algum tempo, talvez não tempo suficiente pra tomar uma atitude, mesmo sabendo que o meu esforço não muda tudo, mas pode ser um começo, enfim, fico confusa...
    De qualquer forma, sei o que acontece mas opto por não ver nada relacionado se tiver opção...pode ser meio egoísta, mas não me faz bem....
    Sei lá..acho que viajei no tema! rs!
    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Olá, Pedrita,
    Fico muito feliz em receber sua visita ao meu blog, e também por vê-lo incluído em seus blogs amigos! Muito obrigado! O seu continua nota 10, interessantíssimo! Aguardo suas visitas e comentários!
    Beijos,
    Rodolfo

    ResponderExcluir
  8. marion, é bem indigesto mesmo.

    bonequinha, é um filme importante.

    ematejoca, obrigada.

    dê, depois te conto pq não dá mesmo pra ver a não ser com muito esforço.

    sheila, eu não acho que devamos abandonar de nossos confortos para termos uma política mais social. e vc batalha muito e seus filhos sempre acompanharam. o que me assusta são família onde a filha briga para ter a 51 barbie, e acha que é o fim do mundo não ganhar e não conhece um pouco a realidade de muitas crianças que padecem pela fome e doenças.

    rodolfo, eu que agradeço a visita.

    ResponderExcluir
  9. Olá Pedrita!
    Este filme da Marion Hansel não passou por aqui, mas o único filme que vimos dela deixou-nos gratas lembranças.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  10. Concordo em gênero número e grau com seu post. Mexe muito conosco, que temos água potável todos os dias e não sabemos o que é brigar por ela.
    Atores excelentes, filme maravilhoso e forte e só de ver o post já fiquei com a música da trilha sonora na cabeça :)

    Beijinhos @>--

    ResponderExcluir
  11. paula e rui, é um filme que deixa lembranças doloridas.

    adriana, difícil mesmo.

    ResponderExcluir

Bons comentários!