sábado, 21 de setembro de 2019

Amazônia - O Despertar da Florestania

Assisti ao documentário Amazônia - O Despertar da Florestania (2019) de Christiane Torloni e Miguel Przwodowski no É Tudo Verdade no Canal Brasil. Eu queria muito ver esse filme, tentei inclusive nos cinemas, mas só estava em uma única sala de um único bairro, em um único horário. Não pude ir. É urgente! É necessário!

Eu vi uma entrevista da Christiane Torloni sobre o documentário onde ela dizia que quando foi gravar a minissérie Amazônia - de Galvez a Chico Mendes (2007) tinha dias que tudo era coberto por um fog londrino e que depois ela descobriu que era porque era época de queimadas. Percebeu a urgência de fazer algo e junto com Victor Fasano e Juca de Oliveira começaram a levantar assinaturas que levaram ao congresso pedindo o desmatamento zero. Depois resolveu realizar o documentário que chega em um momento crucial, onde as queimadas aumentaram demasiadamente pelo afrouxamento das punições.
É um documentário que entrevista pessoas que vivem na Amazônia, faz um contexto histórico começando por Marechal Rondon, passando pela Ditadura Militar, Diretas Já chegando aos dias de hoje. São vários entrevistados, índios como Benki Piyãko e Ailton Krenak, ativistas, ambientalistas, o artista plástico polonês Franz Krajcberg que faz esculturas com as madeiras queimadas, o jornalista André Trigueiro, a atriz Lucélia Santos. Entrevistas feitas para o documentário e outros de arquivos como dos irmãos Villas-Boas, das viagens a Amazônia por Milton Nascimento para compor, da Transamazônica, do Greenpeace. Mostraram árvores que podem ter mais de 500 anos, que podem existir antes mesmo da colonização. E fico pensando como as pessoas acham que é possível reflorestar, sim, reflorestar é uma forma de remediar, mas é remendo, o melhor seria não desmatar. O sociólogo Sérgio Abranches e a jornalista Míriam Leitão começaram há vários anos a plantar espécies da Mata Atlântica em sua propriedade e a ação passou a gerar veios de água.
O documentário realizou várias viagens à Amazônia, para várias aldeias e pequenos povoados. Entrevistaram um filho de um cortador de árvores, que passou a infância vendo o pai cortar árvores e hoje é ativista. Marina Silva falou sobre Chico Mendes e contou sobre o empate. Ativistas entram na floresta quando ficam sabendo de um desmatamento. Cada um vai fazer o empate, se postar em frente a uma árvore para impedir o seu corte. Outro político entrevistado foi Fernando Henrique Cardoso.

Em uma narrativa do filme Christiane Torloni questiona onde foi que nós esquecemos que o nome desse país veio de uma árvore, o Pau Brasil. Por enquanto Amazônia - O Despertar da Florestania vai passar mais algumas vezes no Canal Brasil, está disponível para compra no Now.

Beijos,
Pedrita

12 comentários:

  1. Adoro documentários. O tema é sempre atual e como você disse, urgente!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ana paula, eu não vejo muito documentários, sempre quero ver mais, mas acabo escolhendo mais filmes de ficção. sim, infelizmente muito atual.

      Excluir
  2. Não gosto muito de documentário, mas pra quem curte é uma ótima opção.
    beijos bom final de semana .
    www.bellapagina.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. O Documentário foi iniciado há 7 anos e Frank Krasjcberg faleceu em novembro/2017.
    A Múmia Marina Silva fez parte do governo destruidor da Amazônia.
    O Documentário só foi lançado agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane,em 2007 a torloni e o fasano souberam das queimadas. junto com juca de oliveira juntaram assinaturas e levaram ao congresso. depois ela resolveu fazer o documentário, pelas imagens fez várias viagens pra entrevistas, tem a edição. enfim, sempre demora mesmo. no final ela faz uma homenagem ao frank pq qd o filme foi lançado ele já tinha falecido. filmes levam muito tempo pra captação de recursos, realização, edição, finalização e lançamento.

      Excluir
  4. Lembro quando a Christiane Torloni fez a série Amazônia ela abraçou a causa e tem feito um trabalho extraordinário.
    O doc é de uma urgência singular ainda mais nos dias em que vivemos.
    Excelente indicação Pedrita.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, exatamente, na época da série levantou assinaturas pro desmatamento zero e levou ao congresso. a ideia do documentário veio depois. sim, muito urgente.

      Excluir
  5. A Christiane Torloni é uma querida, gosto de gente que ama a vida e a natureza.
    Eu e o meu esposo amamos documentários, esse é bem atual.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, é incrível sim e urgente esse documentário.

      Excluir
  6. Pedrita,
    Fiquei bem interessada. Ainda mais pelos problemas atuais e recrudescimento das queimadas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. heloísa, vc vai gostar. muito atrasado ainda usarem queimadas pra limpar a terra. e criminoso.

      Excluir

Bons comentários!