terça-feira, 30 de setembro de 2008

A´Uwe

Assisti A´Uwe dirigido por Laine Milan na TV Cultura. Eu tinha lido que o Marcos Palmeira encabeçava um programa sobre questões indígenas, mas ainda não tinha visto nenhum. Domingo acabei vendo com minha mãe na TV Cultura em Serra Negra, já que no hotel que estávamos só tinha TV aberta. Foi uma grata surpresa. Eu tinha visto uma vez o Marcos Palmeira dizer em uma entrevista que tinha conhecido aldeias indígenas, inclusive o A´Uwe passou no início um documentário onde o Marcos Palmeira convive com os índios por um período. A´Uwe significa povo indígena. Os documentários são legendados já que os índios têm diversos dialetos.

Eu e minha mãe vimos três documentários inseridos nesse programa. O primeiro relatava uma tribo que quase se dizimou com doenças quando o Brasil construiu uma estrada perto deles, na época do "desenvolvimento". Eles então foram transferidos para o Parque Xingú, onde não há floresta e entre duas tribos rivais e entraram em guerra. Depois de muita luta e idas a Brasília conseguiram retirar os garimpeiros e voltar as suas terras. Eles ainda entraram na justiça e foram os primeiros índios a ganhar indenização da Funai e outros órgãos pelos prejuízos a sua tribo. Esse documentário mostrou trechos de vídeos antigos que mostravam a construção das estradas e a aproximação dos brancos na tribo, muitos vídeos estrangeiros. Ainda mostrava fotos daquela época. Com o dinheiro da indenização, eles conseguiram reconstruir sua terra que tinha sido desmatada e delapidada pelos garimpeiros.
Em outros episódios passaram alguns vídeos do Rondon. Eu e minha irmã vimos com meu avô e primos uns desses há muitos anos. Gostaria de rever porque a visão que hoje nós temos dos índios é bem diferente do que a de antigamente.

Os outros dois documentários eram do Vídeo nas Aldeias. O primeiro uma associação ensina os índios a criar tartarugas. Mostrou vários meses e os processos. Eles antes trocavam tartarugas com brancos por presentes. Essa associação ensina a criação não só para o consumo da aldeia, mas eles levam uma parte das tartarugas que nascem de volta a floresta.

O outro documentário ensinava as crianças a plantar árvores frutíferas. Igualmente mostrava os meses e os processos. Esse eu avisei meu pai por telefone, ele viu também e ficou encantado.

Me impressionou o fato de serem os próprios índios a cuidarem da preservação das florestas. Falam tanto na necessidade de preservação e esquecem que os próprios moradores das florestas podem contribuir na preservação e conservação das espécies. Há tantas intrigas entre índios e desenvolvimento, que ações como essas trazem soluções que interessam a todos, a preservação da mata e o direito aos índios de permanecerem em territórios com floresta.

Gostei muito de A´Uwe, passa todo domingo às 18hs na TV Cultura. Inclusive o Marcos Palmeira fala que no site do programa é possível avisar e inscrever mais documentários indígenas para exibição.


e


Beijos, Pedrita

9 comentários:

  1. Pedrita, gostei da proposta do programa. Vou tentar ver.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Ótima a iniciativa de criar um espaço na TV para mostrar a cultura de povos indígenas. Adoro ver como eles têm preocupação com a preservação da natureza e tanta sabedoria que nem sempre é valorizada.

    ResponderExcluir
  3. Olá Pedrita!
    Excelente Post sobre um género (o documentário na tv) tão pucas vezes abordado na net. Gostámos imenso do que lemos... talvez um dia ele apareça deste lado do Atlântico.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  4. marion, eu gostei muito.

    ana maria, na verdade como eles tinham a floresta toda, eles caçavam, se alimentavam e não se preocupavam com a preservação porque ela acontecia naturalmente. como agora os trechos que eles vivem são limitados, há associações ensinando eles a criar tartarugas e plantar árvores frutíferas para a subsistência e preservação da selva.

    paula e rui, seria muito bom que esses documentários circulassem. nós tb que vivemos em cidades muito urbanas e muito longe desses povos, desconhecemos muito quem são e suas tradições.

    ResponderExcluir
  5. Eu tenho acompanhado esse programa desde o início. Vi, inclusive, o making of no programa Vitrine da própria TV Cultura. A luta pelo direito dos povos indígenas a voltar para as suas terras é grande. O branco usurpou essas terras, destruiu e depois, com a maior cara de pau, devolveu as terras degradadas aos índios.
    Só um detalhe: quando nós falamos na destruição da floresta não utilizamos a palavra desenvolvimento e sim, crescimento. Desenvolvimento está associado à sustentabilidade e à preservação da cultura dos povos da floresta. Coisa que a ex-ministra Marina Silva sabe fazer muito bem.
    Denise

    ResponderExcluir
  6. dê - esse programa é muito bom, vc poderia comentá-lo no seu blog. a ditadura usou muito a palavra "desenvolvimento" para dizer que eles fizeram o país crescer e avançar economicamente. eles usavam muito mal a palavra para parecer que o que faziam era pelo bem do país.

    ResponderExcluir
  7. É um programa bem interessante. Já está passando faz algum tempo.

    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Pedrita,
    Eu sou a Laine Milan, que faz os roteiros e dirige a série A'Uwe, da TV Cultura. Nunca tinha lido nenhum comentário de espectadores do A'Uwe que não estivesse diretamente endereçada ao site do programa. Foi uma surpresa... Escrevo para agradecer os comentários e para dizer que fazer o A'Uwe tem aberto uma outra perspectiva, a de reconhecer que os índios brasileiros precisam ser vistos e ouvidos. Durante tantos anos os europeus questionaram se eles eram seres humanos ou não. Convivendo com essas pessoas (mesmo que boa parte, virtualmente) tem me ensinado que eles são sere humanos como nós: com direito à vida digna - e com uma tradição fantástica que nós - descendentes de europeus - às vezes esquecemos. Obrigada a você e às pessoas que comentaram sobre o programa. Isso é uma pequena demonstração de que vale a pena continuar. Um abraço. Laine Milan

    ResponderExcluir
  9. laine, quanta honra receber a sua visita. eu fui em uma palestra onde diziam q em 1540 haviam em são paulo 120 homens bons, leia-se brancos. o total eram umas mil pessoas entre mestiços e índios. é isso mesmo laine, não aprendemos a ver os índios como os primeiros brasileiros e sim os portugueses.

    ResponderExcluir

Bons comentários!