segunda-feira, 20 de abril de 2009

Guerrilheiros

Terminei de ler Guerrilheiros (1975) de V.S. Naipaul. Comprei esse livro no sebo no centro da cidade. Eu já tinha lido Os Mímicos, emprestado da minha irmã e agora li esse. É da Companhia das Letras. Guerrilheiros tem três personagens, todos parecem ser algo, mas na verdade são acomodados, oportunistas e falsos com eles mesmos. Eles mesmos parecem fingir pra eles mesmos o que acreditam ser. Há uma mulher que diz não saber escolher os homens que se relaciona, mas depois vemos que a forma agressiva com que ela se relaciona, ficamos na dúvida se é ela que provoca as situações e os conflitos. Todos os três são pacatos, oportunistas, mas igualmente agressivos a sua maneira.

Obra Youth with Long Hair de Boscoe Holder
Essa mulher foi morar com um homem, um branco que escreveu um livro sobre a África do Sul e vive no Caribe. Esse homem escolheu um líder para criar uma comunidade rural. Leva para esse líder garotos negros que vivem em favelas. Mas tudo é falso. Esse líder na verdade abusa sexualmente dos meninos. Ninguém trabalha, os campos estão abandonados. O branco é outro acomodado que finge que atua em um grande projeto quando na verdade nada é real, é só teoria. Os textos são incríveis, as narrativas de tanta hipocrisia são maravilhosas! Chegou um momento que queria anotar capítulos inteiros, deixo o prazer dessa descoberta para a leitura que fizerem.
Obra Chicken Comb (1960) de Hugh Stollmeyer
Anotei alguns trechos de Guerrilheiros de V.S. Naipaul:
“Depois do almoço, Jane e Roche saíram de sua casa na Serra e foram de carro para Thruscross Grange. Atravessaram a cidade, ao pé da Serra, e chegaram à estrada costeira, passando por avenidas pichadas com slogans: A base é negra; Não vote; O controle da natalidade é um complô contra a raça negra.”

“Ele é igual aos outros. Está procurando gente a quem possa liderar.”

“Assim, naquela manhã Jane acordou, tal como o fizera no meio daquele primeiro dia, na escuridão do quarto, com as venezianas fechadas, consciente de que incorrera em erro, que mais uma vez vislumbrara num homem atributos inexistentes.”
Os pintores são de Trinidad Tobago, país natal de Naipaul.

Música do post: Trinidad Tobago (F.Smith)



Beijos,

Pedrita

10 comentários:

  1. Oi pedrita; do Naipaul eu tentei
    ler "Além da Fé" mas não consegui,
    é um tijolo, mas acho que parei
    por causa do tema em si,
    política e religião em um meio caótico.
    O mais estranho é que
    adoro Joseph Conrad, que foi um
    dos (vamos assim dizer) mentores dele.
    Em tempo, bem lembrado,
    preciso voltar a visitar os sebos.

    bjs
    Marco

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Pedrita, estou passando para desejar uma excelente semana para você.
    E me diga como você consegue ler tanto, ver tantos filmes e ainda ver espetáculos!
    Acho isso uma maravilha!
    Que horas você dorme?
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Olá Pedrita

    Amanhã venho comentar. Hoje é só para lhe dizer que concordo consigo. Quando se adopta um animal é para toda a vida e se eu tivesse de tirar da minha boca para dar aos meus gatos não hesitava.

    Quem não entende isto não pode ser ainda considerada uma pessoa humana.

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderExcluir
  4. Foi brincadeira, o meu Casimir não fica assim, quando ando na blogosfera. Mas tem ciúmes, quando estou no computador, lá isso tem, pois quer brincar.

    Pedrita, por favor, traga o gatinho arrepiado para aqui, por favor... já levo o seu link!!! Ainda não tinha acabado o post, quando recebi um telefona.

    ResponderExcluir
  5. Pedrita,
    o unico livro do Naipaul que li, não gostei, mas creio que seja um problema d etradução.
    a minha filha viajou ontem para a Espanha, trabalhar numa cooproduçaõ Brasil/Espanha de um filme epico.quando ela menininha era louca por cinema.e agora trabalha com edição de imagens...

    ResponderExcluir
  6. Pedrita, conheco muita gente como os personagens desse livro. Eu mesma já tive uma fase assim, rs, achando que estava fazendo algo legal ou importante mas na verdade só na moita. Acordei!!!

    Bjus

    ResponderExcluir
  7. O livro do Naipaul que te emprestei foi "Uma curva do rio". Não sabia que ele era de Trinidad.
    O Instituto Akatu para consumo consciente prega a compra de livros em sebos pois assim estamos "reciclando". Hoje vi uma reportagem que o portal "estante virtual" que contém livros de vários sebos do Brasil.
    Denise

    ResponderExcluir
  8. marcos, faz tempo que não vou a sebos.

    dê, então não foi vc q me emprestou.

    ResponderExcluir
  9. Pedrita,
    estou no fim do livro ENTRE OS FIEIS, e é uma leitura excepcional. Muito bom. Um relato de viagem, do jeito que eu gosto. Inclui a viagem com seus personagens e perrengues, as politicas e a religião muçulmana, a fé no Islã, cega; e ele como ninguém consegue descrever as paisagens de todos esses países asiáticos em que ele foi conferir as diferentes maneiras de sentir essa fé, cega! e tem um segundo livro, que se passa 20 anos depois deste, nos mesmos países, sendo que a rota ele mudou. bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fatima, fiquei com muita vontade de ler. não tenho hábito de ler relatos de viagem. mas eu gosto.

      Excluir

Bons comentários!