quinta-feira, 28 de maio de 2009

Prêmio Carlos Gomes, Uma Retrospectiva (1996-2006)

Terminei de ler Prêmio Carlos Gomes, Uma Retrospectiva (1996-2006) de João Luiz Sampaio. Esse livro é da Algol Editora e como o nome mesmo diz, fala de todos os vencedores desse prêmio nesses dez anos. Mesmo que não mostre todo o segmento clássico brasileiro, fala de alguns de nossos músicos. O livro é muito bonito e traz muitas fotos de vencedores, várias de cenas em apresentações. João Luiz Sampaio escolheu uma narrativa ácida onde faz elogios aos artistas e questiona algumas decisões dos prêmios. É um importante registro histórico do cenário musical clássico brasileiro.


Anotei alguns trechos de Prêmio Carlos Gomes, Uma Retrospectiva (1996-2006) de João Luiz Sampaio:


“Para que serve um prêmio? São muitas as respostas. De um lado, pode-se querer honrar alguém, concedendo, em seu nome, gratificações a membros dos mais diversos setores; de outro, há simplesmente a busca por estimular e compensar alguém ou algum setor, financeiramente ou em termos de prestígio e reconhecimento; e por que não usar um prêmio como chamariz, uma celebração – ou busca por perpetuação – de um momento histórico, de uma atividade específica, de uma determinada indústria? Foi com um pouco de cada um desses objetivos que, em 1996, surgia o Prêmio Carlos Gomes.”

"Se fazer música, arte em geral, é em certa medida dialogar com as questões propostas
por seu tempo, o artista deve estar em constante transformação. Nesse sentido, manter sua individualidade, uma personalidade bem definida e rica em possibilidades expressivas, é o grande desafio – e Gilberto Mendes passou por ele desde os primeiros passos como compositor."

"Conheci Lauro Machado Coelho nos primeiros meses de 2000, quando, recém-chegado à redação do Estadão, sugeri a meu editor uma entrevista sobre o livro que ele acabara de lançar, A Ópera Barroca Italiana*. Lembro de ter sido recebido em sua casa em meio a centenas de livros, CDs, LPs. Conversamos sobre o livro, mas também sobre a situação da ópera no Brasil e sua experiência como responsável pelos corpos estáveis do Municipal de São Paulo."






Beijos,

Pedrita

8 comentários:

  1. Não conheço a obra em questão. Mas parece ser interessante. Fiquei curioso. Ah, sim, grato pela dica.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  2. ahhhhh! finalmente!
    esse eu li!!
    ja não me sinto tão acultural perto de vc....tsc tsc tsc rs
    (só esse tbm)

    ResponderExcluir
  3. Os prémios...são sempre poucos, e por vezes injustos.
    Mas sempre é preferível a sua existência a nada haver.

    ResponderExcluir
  4. Não sabia que havia sido lançado um livro sobre o prêmio. Muito interessante!

    Gosto bastante do Lauro como crítico de ópera, mas gosto mais ainda do Casoy. Adoro ler/ouvir o que ele ter a dizer sobre esse amado gênero - que parece ir meio mal das pernas no Brasil, mas que continua caminhando em frente. :-)

    ResponderExcluir
  5. Dez anos de retrospectiva...

    Nao conheco o autor...

    Bjus

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Estou tão sem tempo que nem leio livros e o pior: acumulou um momnte de jornal para ler kkk.. Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  7. quintela, vc resumiu bem o q penso. obrigada.

    fabio, pela crise tenho tido mais tempo pra ler. mas mesmo com pouco tempo procuro ler pq não consigo trabalhar sem me informar.

    ResponderExcluir

Bons comentários!