quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Mr. Noon

Terminei de ler Mr. Noon (1929) de David Herbert Lawrence da Editora Nova Fronteira. Comprei esse livro em um sebo por R$ 15.00. Esse autor tem muita sorte no Brasil, diferente de outros grandes escritores que não tem uma única obra traduzida no nosso idioma, David Herbert Lawrence tem várias obras traduzidas no Brasil. Eu gosto muito desse autor, mas essa obra não me identifiquei tanto. Esse romance começou a ser escrito em 1919, mas ficou inacabado em 1929. Falam que é mais autobiográfico, embora os personagens sejam fictícios, parece muito com a vida do próprio autor. Como o autor se expõe muito na obra, acreditam que seja esse o motivo que fez com que ele não desejasse publicá-la.

Obra de Mrs Pantia Ralli de Sir Samuel Luke Fildes

Nós não conseguimos admirar muito nosso protagonista. O livro é dividido em duas partes, acreditam que o autor ia escrever dois livros que embora um seja continuação do outro, eles são bem distintos. No primeiro ele vive com o pai, faz doutorado em uma universidade e sai com uma moça, na verdade se envolve sexualmente com ela em lugares públicos. O segundo livro ele se muda para a Alemanha, começa a viver com poucos recursos, se apaixona por uma mulher casada e ela passa a viver com ele. Os dois relacionamentos são bem neuróticos, ele praticamente não expressa os seus sentimentos. O estilo da narrativa é sempre muito interessante, gosto da forma como o autor conversa com nós leitoras, em geral sempre mulheres e da forma como nos trata, como se fôssemos íntimas dele, nos dá bronca, reclama de nossa postura como se soubesse o que pensamos.

Obra Surrey Cornfields de Benjamin Williams Leader

Anotei alguns trechos de Mr. Noon de David Herbert Lawrence:



“A própria quietude dela, debruçada sobre o seu livro, foi fazendo gradualmente com que ele se sentisse constrangido.”

“- A moça tem forçosamente de ser uma inferior, um mero passatempo, não tão sério quanto seus instrumentos de química, até...
...-Ela é uma boa distração – exclamou Patty azedamente. – Uma boa distração e nada mais. Que humilhação pra ela, coitadinha!
-Eu não penso que ela ache isso – disse Gilbert.
-Não, aposto que ela não acha – riu Lewie, com seu riso lúbrico.”


Tantos os pintores como o compositor são ingleses e viveram no mesmo período que David Herbert Lawrence.




From Mata Hari e 007
Beijos,









Pedrita

7 comentários:

  1. Olá, tudo bem? No último sábado, finalmente assisti ao filme Guerra ao terror kkk.. Tem uma pilha de DVDs para ser devorada kk.. Jean Charles assisti no cinema.. Gostei! Gostei do trabalho do ator Selton Mello. Abraços, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  2. Oi Pedrita, sabe que existem algumas raridades assim, como essas, nos sebos espalhados pela minha cidade. De vez enquando dou um pulo lá e sempre encontro coisas muito boas...tô precisando ir de novo.
    Beijo querida!

    ResponderExcluir
  3. OI Pedrita
    q sebo vc vai e encontra essas coisas??
    Eu nao conheco o autor mais vou procurar saber
    bjo

    ResponderExcluir
  4. Oi Pedrita, tudo bem?
    Eu tive curiosidade em ver seu blog... curiosidade muito bem recompensada, diga-se. Quedei em pensamentos, "não estou na sua lista... será que minha literatura é supérflua, pouco atraente?"
    A partir de agora sou seu novo seguidor, misteriosa Pedrita.

    ResponderExcluir
  5. Cara Pedrita
    D.H.Lawrence é um dos escritores que "moram" aqui em casa já lá vão longos anos.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  6. Oi Pedrita! Ainda não li nada desse autor. Lá vem a ansiedade me dominar por não ter lido ainda, rsrs.
    Sem stress. Fica na lista das futuras leituras. Já falei que o visual do blog está uma graça? Lindinho!
    Bjs

    ResponderExcluir
  7. fabio, eu não gostei de guerra ao terror. desprezível esse filme.

    paula, qd eu passo em frente a um sebo não resisto. não tenho hábito de sair pra ir a um sebo, mas se dou de cara com um saio sempre carregada, nem q seja um só em épocas de vacas magras.

    gammelo, em geral vou em um da líbero badaró, mas fico de olho por onde ando. o último foi na brigadeiro luiz antonio quase esquina com a paulista. descendo pro ibirapuera. se passo em frente paro mesmo. eu anotei ao longo dos anos listas de indicações. tenho listas q saíram em jornais, do blog páginas da crítica, nobel, da coleção da capa vermelha da abril. se estou com a pasta e passo em um sebo, pego as listas pra ajduar nas escolhas. e sempre tento os mais em conta. só se quero muito um é q pago um pouco mais como o jogo da amarelinha do cortazar pq é raridade. soube q a saraiva está com promoçoes incríveis dos livros do cortazar.

    arthur, obrigada.

    paula e rui, eu gosto muito desse autor.

    roseli, eu tb sinto culpa e vontade de ler aqueles q ainda não cheguei. vc vai gostar desse autor. eu amo dele filhos e amantes. o mais comum é o amante de lady chatterley q gosto muito.

    ResponderExcluir

Bons comentários!