quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Minha Vida

Terminei de ler Minha Vida (1896) de Anton Tchekhov. Tenho esse livro que comprei em um sebo, não é o dessa capa, é da Editora Abril que vem junto com A Estepe que já tinha lido. Gosto muito desse autor. Em Minha Vida nosso protagonista rompe com suas origens nobres. Apesar da nobreza ele não se acerta nos empregos que o pai arranja, resolve então trabalhar em serviços braçais. O livro é dividido em três partes, na primeira ele faz vários trabalhos e apesar de toda a sua filosofia sobre trabalhos manuais, ele aceita ajuda financeira e alimentos que recebe de amigos em melhores condições, os mesmos amigos que tentam dissuadi-lo de continuar com aquelas funções.

Obra Dacha in a forest clearing (1905) de Yuli Yulevich Klever

Na segunda parte ele se casa, vai viver em uma grande casa e passa a lavrar a terra, o que não lhe dá prazer e não se sente útil nem capaz para tais funções. Na terceira parte ele vai viver com a irmã.


Obra Fir Trees in a Winter Landscape (1913) de Aleksandre Alekseevich  Borisov

Trechos de Minha Vida de Anton Tchekhov:

“O chefe da repartição disse-me: “Fique sabendo que o vou mantendo aqui unicamente por respeito para com o seu venerável pai. Se não fosse isso há muito já que teria voado daqui pra fora”.”

“Trabalhamos muito, pensamos muito, por isso ficamos melhores, merecemos que nos seja reconhecida honra e glória, aperferiçoamo-nos individualmente. Mas, será que estes nossos êxitos influenciaram perceptivelmente a vida à nossa volta, terão eles ao menos sido úteis a alguém? Não. A ignorância, a sujeira física, a embriaguez, a elevada mortalidade infantil, tudo isso continuou tal como era antes, e o fato de tu teres semeado e colhido e eu ter gasto dinheiro e lido livros, em nada melhorou o que já existia. Pelo visto trabalhamos apenas para nós próprios e pensamos muito, mas unicamente para nosso benefício.”

“Era impossível convencê-la que ninguém se interessava por pessoas tão insignificantes e sem interesse como eu e ela.”

O blog Mata Hari e 007 faz no dia 15 de dezembro 9 anos de existência! 





Beijos,









Pedrita

5 comentários:

  1. Pedrita, mesmo com tanta neve pelo caminho, fiz um cartao de natal para os amigos. Venha pegar o seu na Saia Justa.

    Bjao

    ResponderExcluir
  2. Oi Pedrita,
    Parabens pelo aniversario do blog.
    Ao ler essa sua resenha me deu uma grande vontade de ler o livro. Historias de conteudo universal e atemporal sao tudo de bom. Fazer uma grande obra é o conflito e o anseio da maioria das pessoas. Todo mundo quer ser importante para o mundo, de um modo especial e inesquecivel. Nao sei se é vontade de ajudar legitima ou um anseio profundo pela imortalidade, eternidade que uma grande obra confere.
    Beijos e bom domingo!
    Csam

    ResponderExcluir
  3. georgia, obrigada, são lindos.

    camille, nossa, acho q vc vai gostar, o livro fala exatamente do q colocou aqui no comentário.

    ResponderExcluir
  4. Respostas
    1. fatima, tb gosto, não sei se tanto qt vc.

      Excluir

Bons comentários!