quarta-feira, 9 de março de 2011

Cisne Negro

Assisti no cinema Cisne Negro (2010) de Darren Aronofsky. Eu não tinha muita vontade de ver esse filme, mas minha mãe queria muito. Foi uma decepção, nós detestamos. É muito irreal, muito impossível e o roteiro é muito superficial. A roupagem é que engana. Há muitos erros profissionais, dificilmente uma pessoa tão perturbada emocionalmente ficaria em uma companhia, que dirá em papéis de destaque, no máximo em um grupo. Companhias são órgãos sérios, no mínimo um psicólogo seria chamado ou o profissional encaminhado pra um. Mas o mais normal é trocar de profissional já que interessados em ingressar em grandes companhias é o que não faltam. As equipes nos teatros são enormes. Uma solista tem ao menos uma pessoa pra a ajudar se vestir, um maquiador e um cabeleireiro. Eles vão se revezando, mas dificilmente um solista fica só no camarim, ao menos que peça por um pouco do tempo para concentrar, mesmo assim alguém espera na porta. Fora as orientações finais. No caso de um espelho ser violentamente quebrado em um camarim, apareceriam seguranças, faxineiros e bombeiros, já que a segurança de um teatro é bem reforçada. Nunca um último ensaio é um dia antes da grande apresentação. É normalmente dois dias antes. E o último ensaio é geral, com roupa e tudo. Muitas vezes há mais de um ensaio com roupa. Também sempre há ao menos um substituto para os protagonistas e isso é definido em geral assim que o protagonista é definido porque o nome vai no programa, não tinha como nossa protagonista se indignar tanto e não saber quem seria.

É muito pobre o argumento que para encarnar bem um Cisne Negro é preciso ser sexualmente intenso. Detesto essas alusões sexuais na arte. A arte independente do sexo. Um profissional pode ser maravilhoso porque é sexualmente promíscuo. Mas um profissional pode ser assexuado, não gostar de sexo, e ser incrívelmente sedutor no palco. E detesto essa relação simplista e vulgar da arte. Há sim profissionais que decidem suas questões na horizontal, mas são alguns, não são todos, e qualquer profissional tem superiores, patrocinadores, e ele não pode escolher somente pela horizontal. Há muitas outras questões equivocadas. Esqueceram que dançar é uma profissão séria, que não fica em uma companhia quem se atrasa . Minha mãe em determinado momento perguntou se o filme era de terror e disse que o filme denegriu a profissão, concordo com ela.

Disseram que é o papel da vida da Natalie Portman, não concordo, só se for porque ganhou o Oscar e outros prêmios, porque eu já vi interpretações dessa grande atriz bem mais significativas. Os efeitos enganam muito. No início o coreógrafo diz que ela não está adequada para o Cisne Negro, mas nada muda até o final, são os efeitos que dão mais o impacto negro, porque a atuação está similar. Natalie Portman faz só os movimentos do braço porque não é bailarina, o restante são montagens com uma dançarina profissional. E um profissional não precisa sentir violentamente na vida o que terá no palco, isso é uma visão simplista da arte.Alguns outros do elenco são: Vincent Kassel, Mila Kunis e Winona Rider


Beijos,
Pedrita

15 comentários:

  1. Oi Pedrita.

    Gostei do seu comentario lá no blog.
    Apesar das opiniões diferentes (eu gostei do filme) realmente, esse não é um filme super-especial e também acho que não merecia ganhar o Oscar. Achei um bom filme.
    Quanto sao comentário de sua mãe, eu também senti um certo "medinho" em algumas horas.
    Você já assistiu "O Discurso do Rei". Esse sim é muito mais bonito e vale a pena. Em certos momentos me emocionei.

    Bjs.
    Elvira

    ResponderExcluir
  2. Eu já suspeitava de que O cisne negro era uma sucessão de clichês. Agora eu tenho certeza. Vale mesmo apenas pela atuação da Natalie Portmann.

    ResponderExcluir
  3. Nossa pedrita
    comentário assim com tamanha força eu só senti qd vc falou do "Arraste-me para o inferno" alias aquele sim é um filme ruim.
    Eu fiquei curioso com o cisne negro, mas os teus comentários já me sanaram curiosidade, mas devo ver o filme pq eu quero ter a minha visão, um amigo meu disse que adorou o filme.
    Cada vez mais forte o teu blog, parabens. Essa semana e na outra Carmem chega aqui, qd assitir te conto.
    Bjo Gammelo

    ResponderExcluir
  4. eu também não me entusiasmei com esse filme, mas em compensação amei o garoto que dançou a Morte do cisne, voce viu?
    Eu me emocionei até! se tiver curiosidade esse é o link :
    http://www.youtube.com/watch?v=RM2Aio9mvNE
    beijos Pedrita

    ResponderExcluir
  5. elvira, eu me entristeço pq as pessoas são bem mais condencendentes com filmes americanos q brasileiros. mesmo alguns brasileiros sendo infinitamente melhores q alguns americanos como esse. eu sempre quis ver o discurso do rei e minha mãe agora pq ganhou o oscar, acho q vamos ver nesse domingo.

    enaldo, acho q nem são clichês e sim equívocos.

    gammelo, eu particularmente prefiro ser menos contundente, mas nesse a revolta não permitiu.

    anamaria, achei todos fraquinhos. deve ter sido pq os efeitos atrapalharam a dança.

    ResponderExcluir
  6. Pedrita, eu ainda não vi o filme. Tenho muita curiosidade. A vida de bailarina é dura e acho que uma primeira bailarina sofre muita pressão mesmo. Mas concordo com você que nenhuma companhia suportaria uma bailarina desiquilibrada.

    Quando eu assistir ao filme eu volto comento

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. esse foi o comentario mais forte que ja li no seu blog sobre um filme. quis muito ir ver no cinema quando estava em sampa esse filme , mas nao consegui ir....

    ResponderExcluir
  8. Pedrita, adorei sua postura sobre o que vc escreveu desse filme. Tb já li em um outroblog algo parecido.Mas vc como uma grande profissional que sei que é e respeito muito a tua opiniao, sei que vc está coberta de razao.

    Bjao

    ResponderExcluir
  9. fatima, eu raramente sou tão contundente, mas qd desrespeitam uma profissão séria, não consigo ficar calada.

    georgia, obrigada.

    ResponderExcluir
  10. Desde de quando se vai ao cinema esperando "realidade"? Não seria o cinema o exercício máximo da fantasia? Moralista deste jeito, passe longe de Calígula.

    ResponderExcluir
  11. Pedrita, vi o filme hoje e escrevi um post sobre ele. E agora posso dizer, concordo com o sue post. Cada palavra.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Natalie Portman já fez balé, e se preparou 2 anos para o papel, mas enfim, gostei muito da sua crítica, apesar da minha opinião ser contrária, gostei do jeito que você expressa a sua. Amei o blog, você é incrivel, beijos. Se puder assiste "sexo sem compromisso" também é com Natalie portman, só que é uma comédia.

    ResponderExcluir
  13. esse tanto de balé não é suficiente pra dançar o cisne negro. ela só fez os braços e rosto, o resto foi tudo dublê.

    ResponderExcluir
  14. se fosse assim qq um estudava dois anos de piano e tocava como o nelson freire.

    ResponderExcluir

Bons comentários!