domingo, 3 de abril de 2011

BBB11

Assisti o Big Brother Brasil 11 na TV Globo. Esse ano a emissora apostou na diversidade sexual, possivelmente acreditaram que vários integrantes diferentes iriam incrementar o BBB11. Mas esqueceram que há uma diferença enorme entre o discurso e a prática. A aposta maior era a primeira BBB transsexual, mas como a própria Marion ressaltou, a Ariadna não era carismática e saiu na primeira semana. Os BBB eram ousados como vários jovens nas festas, faziam "loucuras" que ficaram repetitivas depois, mas no discurso e no dia-a-dia, como a maioria, eram conservadores e machistas, mesmo algumas meninas. É muito comum os jovens atualmente se mostraram modernos sexualmente, ousados em festas, mas não serem ousados no dia-a-dia, até mesmo porque os familiares e o Brasil todo assiste.

Eu demorei um pouco para ter um preferido. Até gostava da Ariadna, votei para ela ficar, mas ela saiu na primeira semana. Assim que soube do primeiro casal também não me identifiquei com a Maria e o Mau Mau. E o público parecia também não ter muito um preferido. Os votos se pulverizavam bastante. Parecia o BBB dos ódios. O público odiava facilmente um participante e sabia muito bem quem queria tirar, mas oscilava em quem queria ganhar. Eu me afeiçoei depois muito pela Talula, fiquei bem desmotivada com a sua saída. Queria que a Ariadna voltasse, mas gostei que o Mau Mau voltou porque tinha me afeiçoado a ele e a Maria depois. Mas ele voltou vingativo, por uma grande inocência acreditou em tudo o que um pequeno público de um shopping dizia em sinais para eles. A agressividade dele e a perversidade como tratou a Maria me desagradou profundamente. Ele tinha vergonha de voltar com a Maria e de assumir para os amigos que "perdoava" ela. Então em público era sempre agressivo, mas de forma perversa, quando os dois estavam sozinhos, aceitava os afagos dela. Com isso obviamente ela não sentia firmeza nas negativas e acabou se humilhando muito. Ela, vários BBBs, eu e muitos que avaliavam a situação achavam que ela seria julgada pelo público desfavoravelmente.

Por sorte a Maria cedeu aos encantos do novo participante, o Doutor Wesley e começou a perceber o que é uma relação saudável. Eu fui me afeiçoando muito a Maria, eu e o Brasil. Espero que ela continue com o Doutor Wesley. Ela sempre sonhou ser atriz, celebridade e parecia que como muitas meninas caíam em possíveis formas de alcançar o sucesso. Ficar com o corpo definido, mesmo que não escolhesse o caminho mais seguro e pode ser inclusive que caiu em histórias de falsos profissionais que se aproveitam de uma menina bonita e pouco protegida para ganhar dinheiro. Gostaria realmente que ela continuasse com o Doutor Wesley que por ser um homem seguro e bem informado, poderá ajudá-la a não cair nessas armadilhas. A própria amizade com a Talula pode ajudá-la a conhecer as artimanhas do meio.

Eu fiquei muito feliz com o resultado e votei muito para a Maria ganhar. Foi um final histórico onde uma mulher que não teve um comportamento machista exemplar ganhou a proteção e carinho do público que a elegeu para o grande prêmio. Em geral as mulheres chegam entre os finalistas, são as mais comentadas, mas na hora do público decidir o prêmio vai em geral para o coadjuvante que estava ao lado dessa mulher. A ingenuidade e companheirismo da Maria me fascinou. Cheguei a achar que o Daniel ganharia o prêmio pelas previsões anteriores e no início até me conformava, mas quando ele passou um dia inteiro falando mal de sua amiga Maria para outro participante, não queria de modo algum que ele ganhasse. Foi uma edição mais morna, o favoritismo era uma incógnita, mas eu gostei bastante dessa edição e de suas protagonistas. O prêmio vem aumentando e os presentes durante as edições também. Com isso os participantes ganharam motos, carros, apartamentos, dinheiro, um ano de supermercado, tênis. Fica bem mais atraente participar porque mesmo que o prêmio principal vá para um só, os prêmios espalhados pelo programa chegam a agraciar a maioria.



Beijos,
Pedrita

3 comentários:

  1. Pedrita,

    Eu não me entusiasmei com este BBB. Achei morno e não tinha preferidos, apenas simpatizava com um ou outro ( Diana e Rodrigão no começo). Só no final me entusiasmei um pouco e comecei a torce pela Maria e pelo Wesley. Ah , o Doutor foi um exemplo lindo de boa educação, raridade hoje em dia.

    Concordo que foi o BBB dos ódios. Eu odiei muitos participantes com grande intensidade. Mas não caí de amores por ninguém de fato.

    Adorei o resultado. Venceu a protagonista do BBB11 e finalmente quebrou-se um padrão. Uma mulher linda ganhou. Infelizmente a Priscila do BBB9 não conseguiu, e ganhou o chato do Max. Mas a Maria venceu sendo ela apenas. Mereceu!


    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Pedrita, tudo bem?

    Eu nunca assisto. Aqui é a maior baixaria.

    Bjao

    ResponderExcluir
  3. marion, eu demorei pra ter preferido tb. eu tb adorei o resultado. o brasil tem a mania da mendicância com esse programa.

    georgia, eu adoro.

    ResponderExcluir

Bons comentários!