quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Biutiful

Assisti Biutiful (2010) de Alejandro González Iñárritu no Max. Eu queria muito ver esse filme Eu adoro esse diretor, mas sabia que eu devia estar preparada, esse diretor costuma nos virar do avesso, não com melodrama, mas chocando a realidade na nossa frente. Eu amo o Javier Bardem. Antes do filme começar eles davam entrevistas e o Javier falou "A vida é deprimente". E disse que quando se viu feio na tela, achou que ninguém ia gostar e se surpreendeu quando ganhou o prêmio. Ele também parece ser um ator que tem um olhar deprimido da humanidade como o diretor.

Esse homem descobre que vai morrer e logo. Ele cria com dificuldade os seus dois filhos. Parece que é assim que o diretor nos torce por dentro, mas com o desenrolar do filme, esse drama parece muito pequeno frente aos outros que acontecem no bairro onde mora nosso protagonista. Dessa vez Iñárritu não viaja, tudo acontece em um bairro, mas os imigrantes estão lá, os imigrantes ilegais vivendo na escravidão e miséria estão lá. Nosso protagonista ajuda alguns, mas também é como sobrevive, vendendo serviços mal pagos para essas pessoas, ele está longe de ser um herói, mas está longe de ser um vilão. 


Nosso protagonista consegue falar com aqueles que acabaram de morrer e também ganha com isso. Uma vidente aconselha que ele resolva tudo antes de morrer, mas a sensação que temos é que não há como resolver, já está tudo perdido mesmo. Ele vai embora sem poder ir, ele abandona tendo que cuidar. Biutiful incomoda e dói demais, ver a vida daquelas pessoas sem saída. É impressionante! Acho que nunca vou estar preparada emocionalmente para ver um filme do Iñárritu, mas acho crucial para entendermos o quanto  " A vida é deprimente", porque o ser humano é mesquinho e desumano com os seus semelhantes. Alguns outros do elenco são: Maricel Álvarez, Hanaa Bouchaib, Guillermo Estrella, Cheikh Ndaye, Taisheng Chen. Javier Bardem ganhou prêmio Goya de Melhor Ator por Biutiful.

Beijos,
Pedrita


5 comentários:

  1. Eu admiro bastante o Javier Bardem mas este Biutiful foi uma grande decepção, um filme apelativo, um caminho fácil tomado pelo diretor Iñarritu.

    ResponderExcluir
  2. Imagino!
    Eu prefiro caminhar na periferia,
    sem olhar la dentro de nada....
    Não foi eu quem criou tudo isso....

    Adorei seu comentario no meu blog....

    ResponderExcluir
  3. quero ver esse filme, a vida é mesmo ridícula e deprimente, e eu também amo o Javier Bardem. Beijos Pedrita

    ResponderExcluir
  4. Opa, já pra lista. Gosto de filmes assim. Assisti essa semana "flores despedaçadas" com o Bill Murray. Eu gosto do estilo do filme. Não sei se conhece. É um daqueles filmes que te leva para dentro e faz olhar para si mesmo. O roteiro é todo travado em cima de um personagem pouco acostumado a reagir, ele é totalmente acomodado e algo simplesmente acontece de forma a movê-lo como se fosse uma tabuleiro de xadrez e a jogada fosse de cheque mate.

    bacio

    ResponderExcluir
  5. Anotado, gosto muito desse ator e tb anotado a dica da Lunna que é uma pessoa com um olhar diferente.

    Bjao

    ResponderExcluir

Bons comentários!