segunda-feira, 30 de abril de 2012

John Rabe

Assisti John Rabe (2009) de Florian Gallenberger no Max. Vi esse filme na programação do site da HBO e fui ver. É uma biografia de John Rabe, um empresário da Siemens que foi a China montar uma filial lá na época do Nazismo. Rígido, mantinha os funcionários nos padrões alemães. Todos tinham que fazer o sinal de Hitler. Até que o Japão invade a cidade que ele está, Nanquim, e eles criam uma zona de proteção onde só mulheres e crianças seriam abrigadas para impedir que ao menos nesse espaço os chineses e todos que lá estavam não fossem assassinados. Nessa zona de proteção eles salvaram 250 mil pessoas. Mesmo assim milhares morreram, mas ao menos essas 250 mil pessoas foram salvas.

Ele continua um homem rígido, mas descobrimos que apesar de ser um homem cheio de regras, formal, ele é extremamente justo e humano. Ele acaba salvando muitos chineses do massacre com os japoneses e ironicamente, quando consegue voltar a Alemanha é preso por considerarem que ele ajudou os chineses contra a guerra que a Alemanha promovia. Ele morreu pobre e esquecido. O ator que faz o John Rabe, Ulrich Tukur, está muito bem. 

Há vários outros ótimos atores: Steve Buscemi, Daniel Brühl, Anne Consigny, Dagmar Manzel, Jingchu Zhang, Teruyuki Kagawa e Fang Yu.

Beijos,
Pedrita

3 comentários:

  1. Deve ser daqueles filmes imperdiveis. Eu nem sabia que o nazismo teve influencia na China. Quando o filme ainda da uma oportunidade de conhecer , aprender alguma coisa é tudo de bom. Estou cada vez mais convencida de que tenho que ter os canais da HBO..
    Quanto ao blog eu nao esqueci a senha, nao sabia fazer o login mesmo. Barbaridade!!!! Bjos e obrigada pela visita o novo "cafofo camelia"...

    ResponderExcluir
  2. Gosto de filmes que tem por tema a segunda guerra mundial, além de documentário, ainda nos faz lembrar o mais triste genocídio da história.

    ResponderExcluir
  3. camille, eu nem conhecia essa história tb. eu tenho pensado sobre esse canal, max. ele passa mais filmes independentes, menos conhecidos, não tão badalados, como o cult. mas diversifica bem mais em países, anos, histórias.

    ruby, vc vai gostar desse. triste, mas fundamental.

    ResponderExcluir

Bons comentários!