quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Ruth Cardoso - Fragmentos de Uma Vida

Terminei de ler Ruth Cardoso - Fragmentos de Uma Vida (2010) de Ignácio de Loyola Brandão da Editora Globo. Minha tia ganhou esse livro no aniversário, esperei um tempo e pedi emprestado. Uma amiga contou há muitos anos que a Ruth Cardoso era mais respeitada intelectualmente que o Fernando Henrique Cardoso por muitos da USP. Passei então a prestar a atenção um pouco na trajetória dela, mas foi o livro que aprofundou mais e me fez entender o que minha amiga havia dito.

Gostei da biografia, mesmo dizendo ser de fragmentos, trás muito da trajetória dessa socióloga e antropóloga. Ruth Cardoso nasceu em Araraquara, a mesma cidade de Ignácio Loyola Brandão. O escritor inclusive estudou com o pai da Ruth em uma escola na cidade. Os pais da Ruth eram professores. Ela que trouxe ao Brasil o conceito de voluntariado diferente do mais tradicional, o do comprometimento e envolvimento com a sociedade, não só o do assistencialismo, do enviar  cestas básicas, bem materiais, mas de unir a comunidade para buscar soluções aos seus conflitos.

Ruth  Cardoso nunca gostou do envolvimento político de Fernando Henrique Cardoso, mas quando ele foi eleito ela tinha se aposentado e aos poucos foi dando outro perfil ao antigo cargo de figuração anterior das Primeiras Damas. Ruth Cardoso - Fragmentos de Uma Vida mostra muito o lado cotidiano e feminino de Ruth, sua infância,  vida profissional, sua paixão por cozinhar, ela acaba sempre ensinando os amigos a cozinharem, achava que todos precisavam saber cozinhar, Jorge Caldeira foi um desses alunos.  Onde ia, conversava com todos, se misturava no cotidiano das pessoas, anotava o que podia, para seus estudos. Essas fotos estão no livro. São do acervo pessoal da família. Adorei o livro.

Trechos de Ruth Cardoso - Fragmentos de Uma Vida de Ignácio de Loyola Brandão:

“José dobrou a certidão, colocou-a num envelope, junto com o recorte do jornal, enfiou no bolso, desceu para casa.”

“Mariquita, na hora de matricular a filha numa escola, decidiu sem hesitar pela escola pública. Apesar de rodeada de todos os lados por parentes carolas e igrejeiros, ela pessoalmente não suportava a ideia de ter a filha numa instituição católica, daí o Colégio Progresso estar fora de questão.”

“Ruth nunca se preocupou com a questão de notas e esse sempre foi um dos princípios que ela passou em classe. Aprender e saber, conhecer e entender são uma coisa. Notas altas e baixas, outra.”

“Descobriu-se que na polícia havia inúmeras mulheres que tinham estudado, prestado concurso e não chegavam nunca a delegadas, estavam designadas para serviços burocráticos, encostadas pelos homens. Delegada mulher? Nem pensar. “





Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Eu sabia desta obra e adoro biografias, mas fiquei com um pé atrás por algumas razões: a obra de Ruth Cardoso não tem o mesmo peso da obra de Fernando Henrique Cardoso, mas o povo leitor do professor e sociológo Fernando Henrique Cardoso, mas decepcionado com o governante FHC gosta de dizer que ela se manteve coerente, etc e tal, ao contrário de seu marido.

    Também tem aquela coisa de simpatizar com a Hillary Clinton brasileira, que manteve a estatura mesmo diante do caso extra conjugal do poderoso consorte, assim como Bill Clinton. Bom, e também porque parece uma oportunidade comercial.

    Mas, é claro, pode ser um baita livro.

    ResponderExcluir
  2. Em Portugal não se fala da mulher de FHC, pelo que a não conheço.
    Raramente leio biografias, mas reconheço que por vezes são fonte de grandes ensinamentos, embora se relacionadas com políticos estejam muitas vezes afetadas pelos amigos ou adversários políticos.

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Sempre leio a coluna do Ignácio Loyola Brandão no Estadão.. Ele semper comenta sobre esse livro... Fiquei com vontade de ler! Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  4. Deve ser bem interessante. Vou procurar.

    Gostei das frases que você escolheu. Essa questão das notas é bem verdadeira.

    ResponderExcluir
  5. enaldo, a biografia não aborda muito a questão política, aborda bem mais as vertentes como antropóloga e socióloga.

    carlos, eu gosto muito de biografias.

    fabio, eu gostei muito.

    bruxa, eu me identifiquei muito com o pensamento da ruth cardoso.

    ResponderExcluir
  6. Eu sempre a admirei. Foi uma grande mulher. Fiquei curiosa em ler a biografia.


    Beijos

    ResponderExcluir
  7. Pedrita, qdo a biografia é de alguém que foi envolvido/a na politica tenho lá os meus receios.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. marion, vc vai gostar.

    georgia, a biografia é sobre a vida da ruth cardoso, inclusive a ruth só aceitou pq iria falar da vida dela, inclusive do trabalho acadêmico dela e não da política. fala bem pouco da política, só para situar os períodos. retrata a infância, adolescência, estudo. é bem interessante.

    ResponderExcluir
  9. Gosto de FHC, mas tinha mais respeito por ela. Talvez o fato de ela não ser política tenha ajudado.
    Abraço e obrigada por sua visita.
    Regina
    www.livroerrante.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. regina, ela tinha posturas bem claras.

    ResponderExcluir

Bons comentários!