terça-feira, 3 de setembro de 2013

A Falência

Terminei de ler A Falência (1901) de Júlia Lopes de Almeida da Editora Mulheres. Tinha ouvido falar nessa autora na novela Lado a Lado. A personagem da Marjorie Estiano comenta com sua amiga que está lendo A Intrusa dessa autora. Júlia Lopes de Almeida foi uma escritora abolicionista. A Falência fala do período após a abolição, quando os comerciantes ganhavam muito com a venda do café. Eu fui então procurar obras dessa autora, é possível achar em sebos. Essa edição é mais recente, essa editora é da UNISC, Universidade Santa Cruz do Sul. A Editora Mulheres tem o objetivo de resgatar obras de escritoras. Além da obra há textos sobre o livro, sobre a autora, uma pequena biografia da autora. A Falência fez muito sucesso quando foi lançado e teve uma segunda edição no mesmo ano.

Essa capa tem a obra Mélancolie (1897) de Alphonse Mucha.

Obra Escolha Difícil (1902) de Eugênio Latour

Gostei demais de A Falência. A obra retrata uma família. O pai é um trabalhador incansável, só pensa em dinheiro e trabalho. É um homem bom. Sua mulher tem o médico da família como amante. Ela é uma mulher que adora dinheiro também, ostenta e se apaixona por esse médico. O médico é soberbo, a mulher também. Ele fica o tempo todo corrigindo a família e querendo que eles tenham gostos melhores. A trama é tão bem escrita, que não temos pena desse homem traído, mas não torcemos pela adúltera. A obra nos leva a essa história, sem julgamentos, com relatos.

Obra Hora do Pão (1889) de Abigail de Andrade

Em A Falência acompanhamos a história, não torcemos por ninguém, todos tem virtudes e pecados, desgostamos de um, mas não temos pena do marido, que por sinal adora o médico e é em quem se apoia. E as características femininas, de poder, e de preconceito, seja com o negro ou com as mulheres estão ali. Uma sobrinha da dona da casa é expulsa de onde mora. Todos não a valorizam, já que sua mãe era prostituta e o gene ruim deverá se revelar. Em outra casa das tias sovinas, elas receberam uma negra aos 12 anos. Essa menina apanha sempre, é tratada como escrava, mesmo sendo livre. E a negra não acha que pode fugir, mas se fugir poderá ter o destino de vários outros que vivem ao relento, não tem trabalho, depois da abolição.

As duas telas que coloquei são de pintores do Rio de Janeiro. O compositor Glauco Velásquez nasceu na Itália, levado por sua mãe carioca, que retornou ao Brasil posteriormente. A capa do livro é de um pintor estrangeiro.

Beijos
Pedrita

13 comentários:

  1. Pedrita,
    Deve ser uma leitura interessante essa. Um marido traído e preconceitos mil. Deve retratar bem o Brasil daquela época. Vou procurar esse livro.
    Beijos
    adriana

    ResponderExcluir
  2. Pedrita, dever muito bom memso o livro. Este livro é uma prova de como os autores de Lado a Lado pesquisaram bem a época para escreverem a novela, falaram de uma autora que é praticamente desconhecida.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marion, exatamente, e q o contexto tinha tudo a ver com a personagem. bela pesquisa.

      Excluir
  3. Pedrita, estou aprendendo, lendo vc.
    Nunca ouvi falar nessa autora. E nem lembro se na novela se falou na obra dela.
    Quero, numa das minhas postagens, falar no seu blog, posso?
    Fiquei encantada pelo tempo de vida dele e pelos assuntos abordados, que me agradam(livros e cinema).
    Gostaria de ler mais, muito mais.
    Tenho uma biblioteca muito boa e que, se pudesse, levaria no caixão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, tb adoro ler, adoro cinema, e seu blog é muito bacana. seria uma honra se mencionasse o meu blog. eu tb gostaria de ler mais, muito mais. e igualmente amo a minha biblioteca. se não fosse a novela eu tb nunca teria ouvido falar nessa autora.

      Excluir
  4. Pedrita, odeio bolos e odeio dormir.
    Será que não dei essa impressão(risos).
    Tenho remorso se como ou se durmo.

    ResponderExcluir
  5. Nunca ouvira falar nem da escritora, nem do livro, provavelmente não existe neste momento à venda deste lado do Atlântico, mas não excluo a hipótese de algum alfarrabista (sebo)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, essa editora busca resgatar autores esquecidos até mesmo no brasil. então deverá ser difícil de encontrar.

      Excluir
  6. António Lobo Antunes já foi proposto repetidas vezes para o prémio Nobel da literatura e apesar de leitura difícil é um dos maiores sucessos de venda de escritores portugueses na Europa.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, estou lendo o do mia couto sobre lobos, então o dos elefantes do antunes vai esperar. mas está na fila.

      Excluir
  7. Queroda amiga, saudades de vc. Até que enfim arranjei um tempinho pra vir aqui.
    As ferias acabaram e hoje a Vivi comecou as aulas para meu alivio, porque ela dá trabalho viu, rs.

    Nao conheco nada dessa autora, mas me lembrou bem as novelas de épocas da Globo.

    Bjos querida e espero que esteja tudo bem contigo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. georgia, tb estava com saudades das suas visitas. por sorte vc conseguiu postar um pouquinho nas suas férias pra saudade não ser tanta. essa autora ficou praticamente esquecida, infelizmente. por sorte a novela a resgatou para mim ao menos. e essa editora para o público.

      Excluir

Bons comentários!