segunda-feira, 27 de abril de 2015

O Homem Duplicado

Assisti O Homem Duplicado (2013) de Dennis Villeneuve no Telecine Play. Eu olhava pelo controle remoto os filmes disponíveis no TelecinePlay, fiquei curiosa por esse. É absolutamente genial! Mas surreal! Um belo suspense impossível, sem respostas. Incrível. O diretor é canadense. O nome original do filme é Enemy, é uma co-produção entre Canadá e Espanha e é baseado no livro de José Saramago que quero ler.

Nosso protagonista é um pacato professor de história universitário. Logo no início o texto da aula fala das ditaduras que mantém a educação baixa para poder manipular. Em um almoço na sala dos professores, um colega fala de um filme. Ele vai na locadora e assiste. Ele tem também uma relação pacata. Um namoro morno com uma bela moça. Ela vai a casa dele, eles se beijam, ela faz a janta, e eles transam, sempre tranquilamente. Dormindo ele lembra de uma cena do filme e resolve procurar. E lá está um personagem em um pequeno papel em um hotel e tem a cara dele. Muito bem feito ele procurando o nome do ator, como eu mesma faço quando não são protagonistas. Pegamos o nome do ator e vamos vendo as fotos para ver quem é. Até que ele acha e sim, é igual a ele.

Ele fica então obcecado pela vida do outro, depois essa obsessão se inverte. Muito interessante também as locações, em prédios, vários iguais, com apartamentos iguais. Bonitos, espaçosos, mas totalmente iguais. Enemy é bastante lento, inteligente, mas o tempo do suspense é genial. Quase desisti no início, lembrava o outro filme surreal que vi, mas por sorte depois fica mais normal. Gostei demais! Jake Gylenhaal faz O Homem Duplicado, eu gosto muito desse ator. As duas mulheres são interpretadas por Mélanie Laurent, atriz que adoro e Sarah Gadon. Isabella Rossellini é a mãe de um deles. O Homem Duplicado ganhou muitos prêmios, principalmente em festival de críticos.

Beijos,
Pedrita

11 comentários:

  1. Esse livro vai ser o livro adotado para o mês de junho no meu clube de leitura Penguin. E estou louca para ler o livro logo, já até tenho, para depois ver o filme. Essa temática de pessoas iguais me lembra um livro do Dostoievski que esqueci o nome. Tem até um filme baseado nele também, que também não lembro o nome...rsrs...
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adriana, quero muito ler. a abordagem do igual nesse filme é muito curiosa.

      Excluir
  2. Pedrita,
    Justamente esse livro do Saramago irá ser a nossa leitura para o clube de leitura Penguin de junho. Já até tenho o livro e quero ler antes de assistir ao filme. Mas já me falaram que o filme é bem surreal mesmo. Recorda o livro do Dostoieviski O Duplo que até saiu o filme também recentemente, que é da mesma temática.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  3. Tenho o livro que li com prazer, embora não seja, na minha modesta opinão, o melhor romance dele.

    Já respondi ao comentário que me deixou no Ematejoca Azul, e com o qual concordo em absoluto.

    Beijinhos de Düsseldorf.

    ResponderExcluir
  4. Li o livro quando ele foi publicado pela primeira vez, há cerca de uma década e meia, lembro-me que então gostei, embora tenha sido no período em que comecei a pensar que Saramago estava a repetir-se nas temáticas da personalidade como se confirmou com Todos os nomes.
    O filme, apesar de canadiano, não vi infelizmente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, eu li muito espaçadamente os livros do saramago. então acho -os sempre incríveis.

      Excluir
  5. Todos os filmes do diretor Denis Villeneuve são instigantes.

    Mesmo que no final da trama deste filme tudo pareça voltar ao mesmo lugar, a trama por si só é extremamente interessante.

    Bjos

    ResponderExcluir
  6. Oi Pedrita,
    Nunca vi esse filme, não simpatizo com o ator.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir

Bons comentários!