segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Os Primos

Assisti Os Primos (1959) de Claude Chabrol no Arte 1. Eu adoro esse diretor, mas nunca tinha visto um filme bem antigo dele, só os mais recentes. Os diálogos são de Paul Gegaúff. Os Primos é bem indigesto. Um primo vai a Paris, o outro é um bon vivant. Os dois vão prestar concurso para Sourbonne.

Em vez do primo levar o outro para conhecer lindos lugares em Paris, ele leva em um muquifo, cheirando a muito cigarro, jogos e mulheres. A forma como o filme e os homens tratam as mulheres é insuportável. Elas são objetos nas mãos deles. Na época do sexo livre, elas se relacionam com vários homens, mas são maltratadas por isso. E não era porque eram mulheres desse época, afinal Virgínia Woolf e Simone de Beauvoir já tinha lançado vários livros e não eram submissas.

Uma engravida, o bon vivant e outro homem, dão dinheiro a mulher para ela resolver o problema e ainda a humilham dizendo que ela sai com vários homens. O mais estranho é que as mulheres do filme são submissas. O estudioso está apaixonado por uma moça, esses mesmos homens horrorosos convencem ela que o melhor é ficar com o bon vivant. O primo bon vivant é invejoso, quer tudo do estudioso.

O desfecho é muito dramático. Filme indigesto. Os Primos são interpretados por Gérard Blain e  Jean-Claude Brialy. Alguns outros do elenco são: Juliette Manyel, Claude Cerval, Françoise Vatel, Michèle Méritz, Guy Decomble, Geneviève Cluny e Stephane Audran.
Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Nunca lembro de vê o que passa no Arte 1.
    Eu sou uma mulher submissa.
    Mas eu não sou idiota(risos)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, às vezes tb esqueço de olhar lá.

      Excluir
  2. Pedrita,

    Agora, em janeiro de 2017, muitas pessoas que se dizem conservadoras (mas que são apenas repressoras, autoritárias e sem empatia), têm se mostrado muito refratárias quanto à possibilidade de as mulheres gozarem da mesma liberdade dos homens. Imagine então como era 60 anos atrás! Este tipo de filme tem o mérito de mostrar essas coisas sem disfarces.

    Beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, realmente muita gente fala em igualdade, mas não quer efetivamente na prática.

      Excluir
  3. Não conhecia. Também só vi títulos recentes do diretor. Acho que me incomodaria assistindo a esse filme.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pedrita
    Não conhecia o filme, interessante o plot, curioso pensar que é de 1959 e continua atual, por mais que nós desejamos que não haja repressão, parece que infelizmente andamos dois passos para a frente e dez para trás :/
    Vou anotar a dica quero assistir.
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, realmente tem momentos que parece que nada mudou.

      Excluir
  5. Não conhecia esse filme, mas parece que você não gostou muito!
    Feliz 2017 Pedrita :)

    Feliz 2017!

    Beijos,
    Pri
    www.vintagepri.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pri, verdade, a submissão feminina me incomodou demasiadamente.

      Excluir

Bons comentários!