terça-feira, 10 de setembro de 2019

The Square

Assisti The Square (2017) de Ruben Östlund no TelecinePlay. Quando o filme estreou fiquei curiosa. Muitos elogios, sagaz, mas acabei esquecendo dele. Foi uma matéria no Canal Like que me lembrou da existência e fui procurar. Está em comédia no TelecinePlay. Raramente eu paro para olhar os filmes que tem por lá. Sou muito mau humorada pra comédias, raramente vejo. Mas eu sabia que esse filme não era especificamente uma comédia. E que filme incômodo!

The Square é o nome da exposição que está para ser inaugurada em uma badalada e rica galeria. O diretor da galeria é riquíssimo, arrogante, egocêntrico interpretado pelo ótimo dinamarquês Claes Bang. O filme tem vários momentos, quase pedaços, um mais desconcertante que o outro. Logo no início ele tem o celular, a carteira e as abotoaduras roubadas. O profissional da galeria, especializado em informática é que ajuda o diretor a localizar onde foi parar o celular. O rapaz sugere que façam uma carta para os 55 apartamentos, acusando cada apartamento de roubo. Então o diretor passou a acusar 54 inocentes para localizar um culpado.
Mas são muitos momentos desconcertantes, a galeria tem vários deles. Muitas discussões sobre o que é arte. A galeria contrata uma empresa sensacionalista de publicidade que faz um vídeo abominável para chamar a atenção. O faxineiro que muda a obra de arte na limpeza. Inúmeras pessoas em situação de rua e os ricos vivendo em uma bolha.

E uma longa cena de sexo mais sem tesão que eu já vi no cinema, igualmente incômoda. A parceira é interpretada pela ótima Elisabeth Moss. Ainda no elenco Dominic West, Christopher Laesso, Terry Notary e Elijandro Edoard. Eu fiquei pensando em todo o elenco tendo q fazer aquelas cenas constrangedoras, ou mesmo agressivas, deu muita vergonha alheia, que coragem. O diretor ganhou Palma de Ouro no Festival de Cannes.

Beijos,
Pedrita

16 comentários:

  1. Desconhecia, Pedrita. Mas vc sempre com boas dicas. bjs

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Eu raramente assisto filme pela TV. Eu passo longe dos canais Telecine desde sempre. Prefiro acompanhar no cinema mesmo. Bjs, Fabio www.blogfabiotv.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, eu acho muito caro o ingresso de cinema. e ainda tem custos de alimentação, transporte. acabo conseguindo ver mais filmes em casa.

      Excluir
  3. Nunca ouvi falar desse filme e confesso que não fiquei animada em ver.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lulu, eu li e vi matérias qd estreou. é bem interessante. mas talvez vc nao goste.

      Excluir
  4. Uia não conhecia e acho que não vou gostar não, narrativas desconcertantes e incômodas não me agradam :(
    Mas sua resenha como sempre excelente.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, então acho que não vai gostar mesmo. é desconfortável.

      Excluir
  5. Considero um filme superestimado. A cena do jantar é muito mais mal gol gosto do que crítica social.

    Esta sequência transformou o filme em cult. Mas fica nisso.

    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Estava interessada em ver este filme por ter lido que ele era bizarro-desconcertante-engraçado. Já tinha lido que ele 'parte' do mundo da arte sem ser propriamente sobre arte.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, realmente, cada momento abre uma reflexão. e tem miuto sobre o universo da arte, mesmo que não tenha arte.

      Excluir
  7. Pela resenha e fotos deu vontade de assistir.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Só conheço Dominic West do Seriado Netflix "The Affair".

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, acho q vc não ia gostar. adoro o dominic e o protagonista.

      Excluir

Bons comentários!