domingo, 14 de setembro de 2008

Auto da Compadecida

Terminei de ler a peça de teatro Auto da Compadecida (1955) de Ariano Suassuna. É o terceiro livro que leio daquela Coleção da Folha que foi vendido em bancas. Queria muito ler essa obra que inspirou o maravilhoso filme! Incrível como o cinema consagrou e configurou em nossas mentes aqueles personagens e que eu os via sempre a cada frase que lia. A agilidade, a criatividade das frases, o roteiro inteligente me fascinou. Ficava pensando como alguém poderia ser tão genial para criar e pensar tudo aquilo. É muito inteligente a forma como Suassuna mostra a igreja que só tem interesse nos paroquianos ricos e devotos aos cofres da sacristia.

Obra O Cangaceira (1952) de Aldemir Martins
Trechos de Auto da Compadecida de Ariano Suassuna:
“Auto da Compadecida! O julgamento de alguns canalhas, entre os quais um sacristão, um padre e um bispo, para exercício da moralidade.”

“Chicó -Mas padre, não vejo nada de mal em benzer o bicho.
João Grilo -No dia em que chegou o motor novo do Major Antônio Moraes o senhor não benzeu?
Padre – Motor é diferente, é uma coisa que todo mundo benze. Cachorro é que eu nunca ouvi falar.
Chicó – Eu acho cachorro uma coisa muito melhor do que motor.”

Música do post: Catingueira

Youtube: Trailer - O Auto da Compadecida




e
Beijos,
Pedrita

5 comentários:

  1. Pedrita, pode tirar o Prémio de qualquer um dos meus blogues.
    No entanto, no "ematejoc azul"
    está a razao porque a escolhi.

    Se for ao meu blogue principal, onde deixou o comentário, logo em baixo está o Prémio.
    Para ir para o "ematejoca azul" basta ir ao meu link e fazer clique no TEMIRA.

    Sobre este post, volto logo.

    ResponderExcluir
  2. Gostei da matéria da Revista Bravo. Obrigada pela dica!

    A adaptação para o cinema ficou boa mesmo.

    ResponderExcluir
  3. Muito interessante e completa a informação sobre " O auto da compadecida".

    Meus Parabéns e Cumprimentos.
    Jorge P.G.

    ResponderExcluir
  4. Ariano é demais! Já tivemos o prazer de cruzar com ele em Recife. Ele é educado e bem-humorado. Eu tenho "A Pedra do Reino" se você quiser ler.
    Denise

    ResponderExcluir
  5. ematejoca, obrigada.

    ana maria, ficou bacana a matéria.

    jorge, obrigada.

    dê, vou querer ler. pena que perdi a minissérie na globo.

    ResponderExcluir

Bons comentários!