quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

A Garota Dinamarquesa

Assisti A Garota Dinamarquesa (2015) de Tom Hooper no Telecine Play. Queria muito ver esse filme, inclusive nos cinemas. Mas estreou em uma época excelente de filmes que eu queria ver e não deu tempo de ver esse. É um filme lindo, delicado e com uma direção de arte primorosa.

O filme é baseado no livro de David Ebershoff inspirado na vida do pintor Einar Wegener. Muito interessante que o filme começa com uma exposição das pinturas de Einar Wegener. Ele é um pintor famoso, respeitado. 

É casada com a pintora Gerda Gottilieb. Muito interessante a parte artística do filme. Einar é muito famoso, ela não consegue emplacar suas obras. Até que ela começa a pintar Einar se vestindo de mulher. Ele passa a gostar e a se transformar. As pinturas tendo como modelo a prima dinamarquesa Lili Elbe é que fazem sucesso e ela consegue ganhar dinheiro com sua arte, ser convidada para exposições.

É lindo o amor desse casal. Ela por ser artista vai compreendendo o marido, mas sim, os dois sofrem muito porque eles se amam muito. Mas no momento que Einar passa a ser Lili ele passa a não ter mais desejo pela esposa. No filme eles eram um casal sexualmente intenso, difícil saber o que era mesmo.

Não deve ser fácil amar profundamente alguém que está se transformando e ver o sofrimento do outro. Einar sofria muito e imagino como devia ser terrível a transformação naquela época. Se já é difícil hoje, imagine naquela época. Quando Einar passa a ser Lili ele não consegue mais pintar. Lili fica muito, mas muito feliz de se tornar uma vendedora de loja feminina e é muito bem sucedida e dar dicas para mulheres com o que há de mais moderno em Paris. É então que Gerda passa a pintar Lili e ela mesma e fazer muito sucesso. Essa mudança artística das duas é muito impactante. Einar que era famoso, vendia quadros e era convidado para exposições. Com a transformação de Einar em Lili, Gerda passa a pintar Lili e só daí passa a vender, receber convites para exposições e fazer sucesso. Só Einar era famoso, não Lili, só Gerda era famosa porque Lili existia. Incrível as especificidades da arte conforme os seus momentos. Como não há regras. Como o que vai ficar famoso, alcançar o sucesso é imprevisível. Gerda sofria perdendo Einar, mas profissionalmente ganhava ascensão.

E os tratamentos médicos? Horror dos horrores. Pessoas com esses distúrbios eram tratadas como duplas personalidades e internadas em manicômios, tratamentos com radioterapia, remédios pesados, considerados esquizofrênicos que na época era loucura. Por sorte sua esposa choca-se com tudo isso e o tira daqueles horrores. Leva Einar para Paris, mas Einar tenta tratamentos também, um pior que o outro. Até que acham um médico que não tinha ainda realizado mudança de sexo porque um paciente fugiu no dia. Einar se anima. É avisado dos inúmeros riscos. Se hoje já é uma cirurgia muito delicada, imagine antigamente. Seria inclusive a primeira do médico e Einar teria muito dor. Seriam duas cirurgias. A primeira corre tudo bem. A primeira é a retirada dos órgãos masculinos. A segunda que era a construção da vagina. Einar tem infecção e morre. Doloridíssimo o filme. Eu adoro Alicia Vikander, cada vez estou mais impressionada com o desempenho dessa atriz. Alicia Vikander ganhou Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante. E Eddie Redmayne está incrível como Einar e Lili, que ator. Outros do elenco são Mathias Schoenaerts, Ben Whishaw, Pip Torrens,  Amber Heard e Emerald Fennel.

Aqui a imagem de Einar Wegener e Lili Elbe.

Essa é a imagem de Gerda Gottlieb. Na internet ela aparece também como Gerda Wegener.

Beijos,
Pedrita

26 comentários:

  1. Sou louca para ver esse filme, deve ser super impactante. E não sabia da história em si, só sabia que o cara se vestia de mulher.
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adriana, eu tb só sabia a trama da sexualidade. fiquei surpresa de ser a história de pintores.

      Excluir
  2. Pedrita,
    Esse é um filme que está na minha lista, lendo a resenha
    fico com mais vontade de assisti-lo.

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  3. Não lembro se já o adicionei na minha lista do filmow.
    Eu tenho muita vontade de assistir à este filme.
    Depois de sua resenha, confesso que só aumentou essa vontade.
    Eu gosto de arte, e saber que o filme em si fala sobre a vida de um artista, isso é maravilhoso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. matilda, então tenho certeza que vai gostar.

      Excluir
  4. Eu li o livro antes do filme. Gostei muito da adaptação, que ficou bem fiel, mas claro que no livro a história é muito mais completa. Ali é possível ver por tudo o que os dois passaram. As angústias e sofrimentos de cada um.
    O que mais me emocionou foi o amor incondicional de Gerda. Acredito que ele não seria nada sem essa super mulher na vida dele. Um amor que é até difícil de acreditar que exista, em que muitas vezes ela passa por cima dos próprios sentimentos para ajudá-lo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. paula, realmente o livro pode ir mais fundo, há mais tempo para explorar os sentimentos. um amor quase incondicional pq eles se desentendiam.

      Excluir
  5. Foi um dos melhores do ano passado. Atores excelentes!

    ResponderExcluir
  6. Parece ser um filme bem tocante, sem falar que toca em um ponto que é considerado tabu por muitos.
    Sem dúvidas, vou conferir.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de janeiro. Serão dois vencedores, dividindo 4 livros.

    ResponderExcluir
  7. Olááááá Pedrita!
    Não assisti o filme nem li o livro, mas foi um burburinho esse lançamento no ano passado, lembro que eu queria muito ver, dái acabou passando e outros filmes vieram, enfim, sabia que se tratava do homem que se veste de mulher, mas não conhecia as nuances e os detalhes por trás da vida pessoal/profissional do protagonista!
    Quero muito assistir *O*
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, tb acabei não vendo pq muitos filmes bons estrearam na época. belo ano para os filmes. é muito bom.

      Excluir
  8. eu gostei bastante, bjos http://anaherminiapaulino.blog.uol.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Agora que vi o filme, não quero ler o livro.
    Eu gostei mas não tenho interesse em rever.
    Tanto que já apaguei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, é incrível. quero ver as obras de arte novamente, depois q vi as pinturas dos dois na internet.

      Excluir
  10. A história não me chamou a atenção.

    Bjos

    ResponderExcluir
  11. Olá, tudo bem? Foi um dos melhores filmes exibidos no ano passado. Saudades da Lili.... Começarei a minha Maratona Oscar neste sábado.. Assisti Neruda no domingo passado.. E nem entrou no Oscar como filme estrangeiro... Bjs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, muito bom mesmo. não devo ir ao cinema tão cedo.

      Excluir
  12. Oi, Pedrita,

    Tirei uns dias de férias da Internet (meias férias, para falar a verdade, já que tive de ir algumas vezes ao FB). Vi este filme e gostei também, tive as mesmas impressões que você, quanto aos sentimentos da Gerda, diante da transformação do marido, deve ter sido muito difícil para ela.

    Beijo e bom fim de semana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, não deve ter sido fácil pra ela. e pior, ver quem vc ama sofrer. muito conflitantes todos os sentimentos.

      Excluir
  13. Eu assisti esse filme domingo passado e me surpreendi.
    Primeiro que é difícil eu gostar do filme em questão ao gênero mas esse me prendeu do começo ao fim, e pude até me emocionar no final.

    Como esse ator trabalhou meu DEUS, ótima interpretação!
    Gostei!

    Estou seguindo o blog!

    Beijinhos,
    *Blog Resenhas da Pam*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pamela, acho filmes que falem de questões de gênero importantíssimos. ainda mais qd relatem histórias reais. é um grande filme. belíssimas interpretações.

      Excluir

Bons comentários!