segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

A Vida dos Outros

Assisti A Vida dos Outros (2006) de Florian Henckel von Donnersmarck na HBO. Eu tinha lido e ouvido muitos elogios desse filme e tentei ver nos cinemas, mas não consegui. Fiquei muito feliz quando descobri que estava na programação do HBO e me programei pra ver. É maravilhoso e muito mais do que imaginei! Além de um roteiro complexo, é muito surpreendente. Coincidentemente esse filme também é alemão. Eu achei que esse filme fosse de outro país daquela região. A Vida dos Outros mostra a Alemanha Oriental e suas formas monstruosas de destruir qualquer atitude contrária ao regime socialista. Começa com nosso protagonista dando um curso sobre interrogatórios, com arrancar a confissão, e nos parece que no final qualquer um confessa até o que não fez. Não vemos violência, só tortura psicológica e levar o interrogado a exaustão.

Aí esse professor é convocado a tentar achar algum deslize de um escritor, e esse professor descobre que é um alto oficial que quer o escritor fora do caminho para ele ficar com uma atriz famosa que cobiça. Tudo é sórdido, horrível e mesquinho. Há livros que são proibidos, livros ocidentais, como Brecht. Sempre a cultura ocidental é afastada para que todos consigam ser melhor manipulados. O elenco é excelente. O oficial que espiona o casal é interpretado maravilhosamente por Ulrich Mühe. O casal por Martina Gedeck e Sebastian Koch.
A Vida dos Outros ganhou Oscar, BAFTA, Grande Prêmio do Cinema Brasileiro, Independent Spirit Awards de Melhor Filme Estrangeiro. 3 prêmios no European Film Awards, Melhor Filme, Melhor Ator (Ulrich Mühe) e Melhor Roteiro. Prêmio Bodil de Melhor Filme Não-Americano. Prêmio do Público no Festival de Locarno, no Festival de Rotterdam e Festival de Montreal. Prêmio do Público e o de Melhor Ator (Ulrich Mühe), no Festival de Copenhagen.

A trilha sonora de Gabriel Yared e Stephane Moucha é excelente!

Música do post: gabriel yared stephane moucha - das leben der anderen - 14 - bayon _ stell dich mitten in den regen




Beijos,

Pedrita

11 comentários:

  1. "Das Leben der Anderen" é mais um fantástico filme alemao, que ganhou o Oscar.
    O actor Ulrich Mühe, que morreu há pouco tempo com um cancro no estomago, era um actor que veio da Alemanha Oriental. A sua primeira mulher denunciou-o à STASI.
    Nao me lembra de no filme nao se poder ler livros do Brecht, nem pode ser, o Brecht era comunista e viveu sempre na DDR.

    Nao sabe como eu lhe estou grata, por gostar e divulgar estas jóias do cinema alemao.

    Saudacoes de Düsseldorf!

    ResponderExcluir
  2. Ele passou na Tv especial aqui no ano passado. É um filme, forte, realistico. Eu tive que me concentrar bem, nao só por causa da língua, mas porque por trás de cada atitude tinha uma outra elaboracao.

    Muito bom.

    Bjus

    ResponderExcluir
  3. Esse eu consegui ver no cinema, o melhor que vi em 2008. Maravilhoso! Também adorei os atores e o final.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pedrita!
    Infelizmente ainda não conseguimos ver "A Vida dos Outros", sobre essa Alemanha Oriental, onde o Big Brother de que falou Orwell, se revelou o expoente, de todas as chamadas democracias populares" que foram instaladas na Europa, após a segunda grande guerra. A história da stasi, polícia política do regime, e a forma como agia os seus informadores, é o retrato maligno de uma sociedade rigorosamnte vigiada.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  5. Gabriel Yared é um dos melhores compositores atuais, em minha modesta opinião.
    A que mais gosto ainda é a de O Paciente Inglês.

    ResponderExcluir
  6. ADOREI ESTE ESPAÇO DESPRETENSIOSO E CHEIO DE VIVACIDADE. TUDO DE BOM. VISTA-ME E DIZ O QUE PENSAS DO POEMA, PERIGOSO, QUE LÁ TENHO AGORA EDITADO.

    ResponderExcluir
  7. Olá Pedrita

    Hoje venho com as mãos ocupadas...com o Blog de Ouro! Está lá no artista maldito. Ficava feliz se o aceitasse, é com carinho que lho trago.

    Beijinhos
    Isabel

    ResponderExcluir
  8. oi pedrita, normalmente tudo o que é "estranho" ou causa espanto ou aversão.
    O espanto necessariamente não precisa ser ruim. Ocidente e Oriente possuem
    prismas muito diferentes, e no caso da Alemanha Oriental pós queda ao Muro de Berlim,
    temos uma sociedade dilacerada pelo desencontro de si mesma e do "outro" em
    sua "estranheza" o caso Brecht, o olhar estrangeiro enfim ... bjs

    ResponderExcluir
  9. ematejoca, paula e rui, é um filme maravilhoso!

    georgia, o roteiro tem textos bastante complexos.

    ana maria, gostei da solução do final também.

    poematar, obrigada!

    isabel, quanta honra, vou lá agradecer.

    marcos, impedir a liberdade de expressão, que dirá com violência, é inadmissível em qualquer cultura.

    ResponderExcluir
  10. Este foi um dos meus filmes predilectos dos últimos tempos...

    ResponderExcluir

Bons comentários!