sábado, 14 de junho de 2014

Acessibilidade nos Aeroportos da Copa

Assisti ao documentário Acessibilidade nos Aeroportos da Copa por Nathalia Blagevitch Fernandez. Vi no facebook o link de uma matéria sobre esse documentário e os dois vídeos que estão acessíveis na internet. Postaram o vídeo no facebook Mara Gabrilli e minha colega blogueira Roseli Pedroso do Sonhos e Melodias. Gostei muito do documentário, é simples, mas muito bom porque mostra o que funciona e o que não funciona e principalmente nos mostram as necessidades dos cadeirantes. Seria excelente para passar em escolas para que entendam melhor e não ocupem lugares reservados para cadeirantes, também para qualquer lugar que precise adaptar para ver o que é melhor, o que funciona melhor e por último para equipes que estejam em treinamento para lidar com pessoas com necessidades especiais. Sem entender realmente o que precisam alguns atendentes chegam as ser surreais. Esse documentário chegou no facebook por uma matéria da Exame.

Nathalia Blagevitch Fernandez está prestes a se formar em Direito. Eu aprendi com o documentário que no Aeroporto de Porto Alegre, o banheiro acessível tem um botão que facilita abrí-lo. Nathalia conta que só tinha visto esse botão no exterior. Eu sempre que via maçanetas nos banheiros acessíveis, achava que eram muito ruins, muitas vezes estavam até com pregos frouxos, e pensava como um cadeirante conseguia utilizá-los sem ter que pedir ajuda. A independência para o cadeirante é sempre uma conquista. Que precise de auxílio em várias atividades é um fato, mas que perca o direito de autonomia porque não há acessibilidade deve ser muito frustrante.

Nathalia viajou com a mãe e um cinegrafista. A edição é muito boa. Nathalia viaja com duas cadeiras, a de rodas e o táxi acessível. Ela explicou que as bagagens dos cadeirantes vão com o emblema de prioridade para que sejam os primeiros a sair do avião. Ela mostra também outras pessoas com restrições utilizando o aeroporto e pergunta para alguns como foi. Ela perguntou também em cada aeroporto se existia uma pessoa que falasse o idioma para sinais para se comunicar com surdos. Quase todos os aeroportos naquele horário não tinha. Não dá pra saber se era fato ou desculpa. E percebi que o surdo agora fica restrito para viajar em alguns horários porque em outros não encontra que os auxilie. Nathalia elogiou tudo o que funcionou bem. E foi bastante severa com aqueles que estavam nos banheiros para cadeirantes que não eram cadeirantes. Uma foi tão grossa que se fosse minha funcionária eu tinha demitido. Vou colocar os dois vídeos para que assistam. 

Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Interessante e necessário mesmo. Também penso que deveriam falar mais sobre o assuntos nas escolas, pois é a única forma de formar uma geração mais consciente. As pessoas adoram ocupar espaços e lugares reservados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, e só falar fica muito distante das pessoas, visualizar as dificuldades ajuda muito na compreensão.

      Excluir
  2. Pedrita,
    Que dicas maravilhosas essas desses documentários. Isso devia passar na TV aberta para orientar as pessoas. E passar nas escolas, para educar essas crianças. Recentemente um amigo do twitter que era triatleta e super engajado no ramo da internet, foi atropelado enquanto estava andando de bicicleta e ficou paraplégico e agora ele está vendo como um cadeirante sofre aqui em Fortaleza e colocando nas redes sociais dele. Vou até indicar o seu post para ele ver. Adorei
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adriana, a independência é uma busca.

      Excluir
  3. Acho um absurdo se usar a vaga de cadeirante, em qualquer situação.
    E esse povo nojento daqui, convive com isso, tranquilamente.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, é o famoso só um minutinho. horrível.

      Excluir
  4. Esses documentários sempre a gente aprende alguma coisa né?
    big beijos

    ResponderExcluir

Bons comentários!