segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Rapsódia em Agosto

Assisti Rapsódia em Agosto (1991) de Akira Kurosawa no Telecine Cult. Na época que esse filme estreou nos cinemas eu queria muito ver, depois passou. Coloquei pra gravar porque gosto do diretor, mas o filme ficou lá por um bom tempo. É incrível! Impressionante roteiro de Kiyoko Murata. Por uma coincidência fala também da bomba atômica como o filme que vi recentemente, Hiroshima Mon Amour que comentei aqui.

Quatro adolescentes estão passando o verão com a avó. Seus pais viajaram e eles ficaram incumbidos de ajudá-la. Os japoneses tem muito respeito pelos mais velhos, mas como o filme é realista, os adolescentes se incomodam com algumas questões. Tratam bem a avó, mas acham algumas situações engraçadas. Essa sutileza em abordar o tema da bomba atômica, humanizando, é a grande beleza do filme. Os adolescentes conheciam o tema, vivem em Nagasaki, mas tudo de forma teórica. Só com a avó é que descobrem que o avô morreu naquele dia da bomba, dos efeitos e é aí que eles resolvem tentar entender melhor como tudo aconteceu. Nós acompanhamos então a visita desses adolescentes nos locais onde as pessoas morreram, as explicações e textos de como foi, e a complementação da avó. Muito triste! 

Países enviaram esculturas após a tragédia e mostraram a do Brasil. Os adolescentes falam sempre que com o tempo todos esquecem. Não achei o nome de quem fez a escultura do Brasil, foi doada pela cidade de Santos. O texto é “Uma expressão da aspiração para a paz mundial perpétua é abraçado pelo povo do Brasil”.

Foto de Dulce Moraes

Os pais viajaram aos Estados Unidos. Um japonês idoso diz que é irmão da avó dos meninos, ela não lembra. Ele está morrendo, mas a avó não lembra e não quer ir. Os adolescentes estão doidos para convencê-la já que recebem fotos e descobrem que esse parente é muito rico. Muito inteligente esse roteiro da ganância pela riqueza alheia e do interesse súbito a esse parentesco só porque ele tem dinheiro. A avó tinha muitos irmãos, consegue só lembrar de 11 e esse não está entre os 11. Ficamos sabendo que esse irmão vou lutar na guerra nos anos 20 estava no Havaí e por lá ficou.  São anos sem contato. Richard Gere faz o filho desse homem. Outros no elenco são: Sachiko Murase, Hisashi Igawa, Narumi Kayashima, Tomoko Otakâra, Mitsunori Isaki e Hidetaka Yoshioka. Rapsódia em Agosto ganhou vários prêmios da Academia Japonesa, como Melhor Filme, entre outros. 
Beijos,
Pedrita

14 comentários:

  1. Olá, Pedrita
    Gosto desse Gênero, gostei da resenha.
    Aprovei e assisti muitos filmes nas minhas férias, em casa
    e no cinema. Adoro filmes!

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  2. Este filme me deu muito em que pensar, rsrs. Primeiramente a gente vê que o correr do tempo vai meio que cicatrizando as feridas e dando às novas gerações uma novo modo de ver as coisas. Mas também confirmamos que o Japão realmente segue o princípio taoista que prega que o triunfo sobre o inimigo é conseguido não opondo força a ele, mas absorvendo a força dele.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  3. Esse filme é lindo, um dos melhores de todos os tempos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, é muito lindo mesmo. poético.

      Excluir
  4. Esse filme deve ser emocionante.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  5. Olá Pedrita
    Amei a resenha, fiquei encantada com a premissa do filme, já está na minha lista dos desejados.
    Linda a escultura, interessante os símbolos, a zona da Paz.
    Aaiinn tão fofa a postagem no mês de agosto, amei a sincronicidade com o nome do filme <3
    bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, nem tinha reparado a sincronicidade do mês de agosto. foi dia 9 de agosto que caíram as bombas. triste demais.

      Excluir
  6. Olá, Pedrita.
    Não conhecia o filme, mas fiquei bem animado. Gosto dessa perspectiva de trazer para a obra um lado mais humanizado.
    Ótima dica.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  7. É um belíssimo filme, como é praticamente toda a carreira de Kurosawa.

    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Vou procurar.
    Vc e Hugo gostaram.

    Sim, ganância vai sempre existir, eu penso.

    ResponderExcluir

Bons comentários!