terça-feira, 13 de setembro de 2016

A Idade de Adaline

Assisti A Idade de Adaline (2015) de Lee Toland Krieger na HBO. Foi a Liliane do Paulamar que me falou desse filme. Gostei, mas confesso que do meio para o final não me identifiquei com o desfecho. Achei muito esquemático e pouco criativo. No Brasil está com o péssimo nome A Incrível História de Adaline.

A Idade de Adaline é um novo roteiro para um filme romântico tradicional. Adaline sofreu um acidente no início do século passado. De forma fantasiosa falam que nevou onde nunca nevou, o que deu uma hipotermia. Um raio renasceu ela que tinha morrido e por isso ela nunca mais envelheceu. Com isso ela vivia fugindo, mudando de nome e documentação. Adaline é interpretada por Blake Lively. Até que ela se apaixona pelo personagem do Michel Huisman e resolve parar de fugir.

Ela aceita então conhecer a família do namorado, os pais dele iam fazer 40 anos de casados. É quando o filme começa a ter problemas no meu entender. Foram escolher o Harrison Ford para ser o pai do rapaz. Eu imaginei que nessa festa alguém ia reconhecê-la e se espantar que ela não envelheceu, mas não imaginei que seria um grande ex-amor. A química entre os personagens é tão forte que fica difícil acreditar que ela ainda amava o namorado. Eu passei a torcer fortemente por esse amor do passado.

No passado o rapaz foi interpretado por Anthony Ingruber. Provocam então um acidente igual ao do passado, com a mesma narração, o que fica bem bobo e nós percebemos que ela passou a envelhecer. Mas como acham que o público é bobo, mostram depois que sim, ela parou de envelhecer.

Tenho a impressão que a química dos personagens incomodou o esquema do filme, porque na festa de 40 anos o jovem casal não aparece, o marido faz um discurso pra lá de forçado para a esposa dizendo que é a mulher da vida dele, mas não me convenceu. Ela é interpretada por Kathy Baker. A filha da protagonista é interpretada por Ellen Burstyn. Acho que tentaram consertar aquele amor atual, mas eu não consegui acreditar. O amor do passado parecia bem mais real e interessante. As pessoas no twitter pareciam que embarcaram na farsa. Vários adoraram, alguns exageraram dizendo ser um dos melhores filmes que já tinham visto. Precisam ver mais filmes diferentes para mudar o paladar. A Idade de Adalina é bem fraquinho para ser o melhor filme da vida de alguém. Há filmes bem mais interessantes.

Beijos,
Pedrita

14 comentários:

  1. Não gostei. Não entendi. Mas ainda não deletei.
    Continua gravado.
    Quer dizer que Ellen Burstyn não era a mãe de Adaline?
    Era o contrário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. exatamente liliane, a ellen era a filha da adaline, já que a filha envelheceu, a mãe não. qd adaline sofre o segundo acidente a narração cafona diz que ela morria com 107 anos.

      Excluir
  2. Hello, Pedrita!
    Eu ainda não assisti, gostei da resenha, mesmo com sendo que o final não seja criativo. Só pelas imagens acho que vale a pena assistir.

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  3. Oi Pedrita,
    Não consegui assistir esse filme no cinema, mas só ouvi boas críticas sobre ele.
    big beijos
    blog Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  4. Não gostei, Pedrita, porque não entendi.
    E como não deletei, posso rever.
    E talvez entenda.
    Pensei que era um filme de época, linear.

    Essa história de ir

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, não é grande coisa realmente. achei que tinha gostado.

      Excluir
  5. Não assisti porque pela sinopse parecia complicado e agora vejo que realmente é!

    ResponderExcluir
  6. Olá Pedrita!
    Ahhhh que pena que vc não gostou ...
    Eu gostei do filme, não é nem de longe favorito, mas pela proposta surreal não achei tão ruim rs
    O que mais gostei foi da ambientação e do figurino, durante aqueles quase 30 anos ela vestiu-se mais ou menos do mesmo modo pq ficou enredada naquela idade.
    No reveillon atual ela usa o "mesmo" vestido de 1945 que está na foto da parede! O mesmo vestido!
    E se a ideia de viver pra sempre jovem faria alguem aproveitar muito e tudo ela detestava aquela situação, vivia fugindo pq as pessoas começavam a perguntar.
    Pena que se a ideia do filme foi interessante, a forma como foi conduzido e a conclusão deixaram a desejar, foi meio óbvia mesmo.
    Bjs Luli
    https://cafecomleituranarede.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, achei que exploraram muito, mas muito pouco os outros períodos. parecia que economizaram. e q bom q não fui só eu que achei a conclusão a desejar.

      Excluir
  7. Eu assisti pela Netflix e gostei, não foi obviamente o filme da minha vida, aliás para ser sincera nem mesmo adiciono a minha vidioteca (sim, coleciono DVDS), mas é bonzinho do tipo ideal para uma sessão da tarde!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isso, bonitinho. mas eu queria adaline com o antigo amor interpretado pelo harrison ford, casal bem mais interessante.

      Excluir

Bons comentários!