sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Balão Cativo

Terminei de ler Balão Cativo (1973) de Pedro Nava da Ateliê Editorial. Eu tinha lido há vários anos Baú de Ossos do autor e amado. Fiquei muito feliz quando vi que na biblioteca da minha amiga existia esse. E parece que nunca tinha sido lido. É igualmente maravilhoso!

Obra Jardim com Flores (1891) de Belmiro de Almeida.

Em Balão Cativo, Pedro Nava aparece. Em Baú de Ossos ele conta a história de seus antepassados. Em seus relatos no Balão Cativo, Nava, seus irmãos e sua mãe moram em Juiz de Fora, na casa de sua avó. Era costume baterem com palmatórias nos negros. Nava estranha ser a própria negra que iria apanhar a buscar na vizinha a palmatória e vice-versa. Quando a avó falece, os bens são divididos e a mãe segue com os filhos para Belo Horizonte.

Obra Homens Trabalhando de Zina Aita

Em Belo Horizonte, Pedro Nava ingressa na escola e conta no livro as suas descobertas. Engraçado quando Nava lista o nome completo de todos os amigos do colégio e diz que os críticos vão falar mal desse exagero. E Nava diz que mesmo assim vai escrever os nomes detalhadamente. E Nava gosta de detalhes. Acaba falando de várias profissionais, escritores, jornalistas importantes que na época eram só profissionais que fizeram parte do universo dele. A obra é rica demais, fascinante demais. Sou fã do Pedro Nava, acho um autor inesquecível com obras deliciosas.

Tanto os pintores, bem como o compositor, são mineiros como Pedro Nava.

Beijos,
Pedrita

12 comentários:

  1. Olá Pedrita
    Não li esse livro, do autor li Chão de Ferro e tb Beira-Mar onde tem uma passagem beeeem descritiva de tango. Suas obras são ricas em detalhes!
    Pedro Nava é um autor focado em memórias, biografia dos antepassados e mistura de ficção e realidade.
    Uma pena o suicídio antes da publicar o sétimo livro. Sem dúvida um ótimo autor nacional.
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, vc leu fora de ordem. eu padeço em ler fora da ordem. preciso inclusive agora descobrir qual é o próximo.

      Excluir
  2. Deve ser pouco editado e conhecido em Portugal, pois nunca me cruzei com esse nome em livrarias nem ouvi falar dele. Embora para outra época e meio, o género memória fez-me lembrar o israelita Amos Oz

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, é uma pena. no brasil, o estilo é comparado ao de proust.

      Excluir
  3. Só conheço Bau de ossos.
    Mas vou procurar esse.
    Gosto de livros de memórias.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, o q li primeiro foi baú de ossos. esse é o segundo e continuação do baú. tb amo livros de memórias.

      Excluir
  4. Pedrita,
    Tem livros que são degustantes, gostei da resenha.

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
  5. Oi Pedrita,
    Gostei de saber sobre esse livro.
    Big Beijos

    ResponderExcluir
  6. Gosto de OZ e também de Proust, pelo que por um ou pelo outro parece-me interessante

    ResponderExcluir

Bons comentários!