quinta-feira, 13 de abril de 2017

A Pianista

Assisti A Pianista (2001) de Michael Haneke na Claro TV. Eu não tinha acesso a esse canal no Now. Aí veio o aviso que um pacote tinha acesso. Ainda não fui ver se mudou algo na fatura, preocupada, mas se não, gostei de ter mais esse canal de filmes para ver. E o acervo é bem interessante. Com filmes famosos de vários diretores e países. Uma boa seleção. Muitos já vi, mas tem um bom acervo, bem diferente dos outros, ampliando minhas possibilidades.

O nome original é A Pianista. Incrível que os americanos e os brasileiros reduziram a pianista em professora. Esse diretor é sempre contundente e com esse filme não é diferente. Equivocadamente está em Romance na Claro TV. Na verdade o filme é sobre violência e perversidade. Nossa protagonista é uma pianista austera que vive com sua mãe controladora e violenta. A parte musical é muito bem realizada. Fiquei pensando se eram montagem, se a Huppert toca um pouco piano. Foram muito bem feitas as audições, o estágio avançado dos pianistas, da excelente pianista que a protagonista é.

Ela é uma professora bastante cruel, mas muito precisa. O aluno que souber lidar com a austeridade dela vai se desenvolver muito bem ao piano. Ela tem uma relação infantil com a mãe, mente para a mãe como uma adolescente e vai viver as suas perversões. As mais leves são ir a uma cabine ver filmes eróticos e cheirar os lencinhos que os homens deixam lá. Ela gosta de ver casais transando em carros em drive in. Mas ela  também sente prazer com mutilações. Ela se corta nas partes íntimas com gilete. Como a filha atrasa dos compromissos mentirosos, elas se espancam quando chegam, a mãe corta suas roupas, é um ambiente muito violento. O apartamento tem dois quartos, mas estranhamente elas dormem em camas grudadas em um único quarto.

Um rapaz se apaixona por ela, tenta ser seu aluno. Ele é um grande pianista. A maldade dos dois beira o insuportável. Ele é interpretado por Benoit Magimel e a mãe por Annie Giradot. É um filme bem indigesto. Benoit Magimel e Isabelle Huppert ganharam prêmio de Melhor Ator e o Haneke de Melhor Diretor no Festival de Cannes. Realmente os dois estão excelentes, desconcertantes. E Annie Girardot de Melhor Atriz Coadjuvante no César Awards.

Os outros filmes do diretor que comentei aqui são O Castelo e a Fita Branca. Vi outros no cinema há uns anos antes do blog vir pra cá.

Beijos,
Pedrita

20 comentários:

  1. É um retrato diferente e sem pudor de uma mulher reprimida e com a mente distorcida.

    É um filme instigante, como todos de Michael Haneke.

    Um detalhe, os canais de tv a cabo adoram mudar o nomes dos filmes, o que acaba confundindo muitas pessoas. O título deste filme nos cinemas e em dvd é "A Professora de Piano".

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, é a trama de uma mulher perversa, dentro de uma estrutura perversa. o filme é a pianista, os estados unidos e o brasil que resolveram resumir a profissão nela na professora.

      Excluir
  2. Olááááá Pedrita
    Aaaaiiiinnnnn esse vou passar rsrs
    Sou mimimi para filmes assim muito perversos, exagerando na crueldade, psicologicamente desconcertante :/
    Como sempre excelente resenha!
    Feliz Páscoa, um bom feriado pra ti
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, é bem difícil de assistir. via e parava até conseguir terminar.

      Excluir
  3. Eis um filme apropriado para os que estudam os desvios da mente e emoções, rsrs. Como me interesso pelo assunto, fiquei com vontade de vê-lo desde que li uma crítica sobre ele (e isso há muitos meses).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, acho que vai gostar, mas prepare-se, é violento.

      Excluir
  4. Olá Pedrita...
    Vim de longe conhecer a Mata Hari.
    Um blogue com quinze anos?
    Uma vida
    Kis :=}

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Realmente sou afetado com as mudanças que agitam a TV paga... Tenho NET e estou sem acesso ao SBT, Record e RedeTV!....Só no quarto, consigo acompanhar os canais...Na Claro, também deve ser o mesmo.. Talvez esse novo canal seja para amenizar a saída dos três canais. Bjs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, tb me afetou, mas não muito. por enquanto não estou sentindo falta dessas emissoras. ainda não decidi se vou ativar uma tv antiga, mas preciso comprar os aparelhos e não dá pra gastar mais. eu pensei o mesmo, que a liberação do acervo da clara é para tentar uma compensação. nada compensa.

      Excluir
  6. Faz uns 10 anos que um amigo vem me dizendo para assistir a esse filme. Preciso fazer isso logo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, eu tinha uma alta expectativa. não atendeu.

      Excluir
  7. Pedrita,
    Pela resenha é um filme que não é o meu gênero.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
  8. Não achei o filme violento.
    Achei que ela é uma mulher perturbada e de uma frieza impressionante.
    Não achei que o rapaz que se apaixona de verdade por ela, seja cruel, violento. Ela queria que ele fosse violento.
    Ele não aceita a loucura dela e se afasta.
    Isabelle Huppert está magnífica.
    A carta que ela escreve é de uma loucura pura.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nossa, liliane, é violento demais. a menina foi mutilada com o copo quebrado. a protagonista sangrou com a gilete nas partes íntimas. vc viu o mesmo filme que eu?

      Excluir
  9. Não é tanto o filme. Com suas nuances de violência. Mas a atração que a grande maioria de humanos sentem por isso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fatima, eu particularmente acho que o filme fez mais sucesso do que deveria e a sua frase resume bem.

      Excluir
  10. Oi Pedrita! Apesar de você ter achado o filme indigesto, eu fiquei com vontade de conferir, rsrs.

    Beijos,
    Pri
    www.vintagepri.com.br

    ResponderExcluir

Bons comentários!