domingo, 16 de abril de 2017

The Wait

Assisti The Wait (2007) de Ernie Barbarash no TelecinePlay. Faz tempo que esse filme está em Suspense, mas eu estava na dúvida se era do estilo que gosto. E era sim. Gosto de filmes de fantasminhas, mas que trazem uma explicação profunda. Não me agradam aqueles que são só para masoquismos. O nome desse no Brasil é muito, mas muito equivocado, Espíritos Famintos. O diretor é russo.

O padrasto morre. A família vai ao enterro em outra cidade. O pai tem muita admiração do padrasto que foi um pai pra ele. O padrasto fazia vários trabalhos sociais. O casal têm um filho pequeno que adoece severamente na cidade do padrasto e no hospital ninguém descobre a causa. Um homem ajuda a mãe a tentar descobrir o que os espíritos desejam. A mãe é interpretada por Jamie King, o pai por Terry Chen. O menino, Regan Oiey, é uma graça.

Começa então a história do passado, de escravidão, abusos e contrabando. Ótima trama. Alguns outros do elenco são: Pei-Pei Cheng, Henry O e Michael Bein.

Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Olááááá Pedrita
    Esse filme é classificado como J-Horror por causa da pegada oriental (J de Japão), quando assisti confesso que nas duas primeiras partes levei bons sustos, daqueles de fazer o coração disparar rsrs
    Ele é bem alinhavado e com final redondinho.
    No fim doa no passado li A Noiva Fantasma (DarkSide) que tem essa pegada com os mitos dos mortos, assim a protagonista precisa "viajar" ao mundo dos mortos para trazer de volta quem ela ama, do ponto de vista da cultura oriental.
    O título em português é por causa do diálogo do farmacêutico avisando sobre o "mês dos espíritos famintos". Aliás a cena na farmácia é uma das cenas cult do filme siiiiiim.
    Excelente semana pra ti Pedrita
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, até procurei se tinha algum intercâmbio oriental, mas não achei. o lindo ator é canadense. claro, deve ter descendência oriental. mas é mesmo um filme canadense. concordo plenamente que o clima é todo oriental. q andam arrasando no gênero. tb gostei bastante de falar da escravidão. de pessoas admiradas na cidade mas q eram podres.

      Excluir
  2. Não vi. Gostei da resenha de Luli Ap, sobre o nome em português.
    Estou terminando de vê a série The Affair e acho que vou continuar detestando a Alisson.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, eu gostei bastante. mesmo sendo um filme de fantasminhas fala muito de máfia e de abusos empregatícios e escravidão.

      Excluir
  3. Hello, Pedrita!
    Eu gosto de filmes de terror e suspense, esse eu assisti com o meu filho. Nós gostamos. Rs

    Beijinhos, ótima semana

    ResponderExcluir
  4. Não faz o meu gênero, rsrs. Mas pelo que entendi. lembrou-me dos relatos do espiritismo, quanto às causas, digamos, pregressas,das mazelas das pessoas. Já li relatos que atribuíam (por exemplo) a loucura (esquizofrenia) que pessoas apresentavam numa vida, ao fato de elas terem sido antes (por exemplo) senhores de escravos maldosos e incompassivos, e coisas tais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, o q eu gosto desses filmes é q fogem da realidade. acho q se eu acreditasse q podiam ser verdade ia ter medo. o q eu gosto são das tramas que levam os fantasminhas aparecerem.

      Excluir

Bons comentários!