terça-feira, 25 de julho de 2017

The Walking Dead - 5ª Temporada

Assisti The Walking Dead - 5ª Temporada (2014) de Frank Darabont no Now. Eu comecei a ver seguidamente, mas de repente comecei a parar e fiquei meses sem voltar a ver. A Patry do Marion e Sua Vida comentou que a série devia ter acabado nessa temporada. Pode ser. Mas como ela eu vou querer continuar a vendo para saber o que acontece com os personagens.

Essa temporada começa em Terminus. Eles seguiram os avisos e lá descobrem que é um falso abrigo. Um lugar medonho. Conseguem fugir. Ficam um tempo em uma igreja com um padre abominável e covarde. Descobrem barbaridades de um grupo próximo. São encontrados por rapazes que dizem que uma comunidade precisa deles.

Eles estão ressabiados, já viram várias comunidades lideradas por lunáticos. A série mostra que os seres humanos, retirados de suas bases de sobrevivência ficam muito perigosos. Mas essa sociedade é mais equilibrada. A líder conta que criaram aquele condomínio para se protegerem de tragédias futuras. Tudo é bem organizado, há placas solares que fornecem energias, casas confortáveis. Continuo estranhando as pequenas hortas e plantações. De tão minúsculas não mantém nem uma família de quatro pessoas, que dirá um condomínio. E eles continuam fissurados por latinhas e mais incrível ainda, as acham nas buscas e com validade e qualidade depois de tanto tempo. Patry também acha estranho que os carros tenham sempre combustível e eu que as armas tenham sempre munição. Nada mais é produzido, tudo o que resta só é extraído. E não ligam para árvores frutíferas. Não as plantam, nunca as encontram. Esse autor do roteiro não tem a mínima noção de agricultura.

Eles gostam dos confortos, banho quente, podem fazer a barba, cortar o cabelo, roupas limpas. É interessante o silêncio deles. Eles gostam mas estão sempre desconfiados. Rick (Andrew Lincoln) e Michone (Danai Gurira) são designados policiais. É interessante as discussões que surgem nessa comunidade. Esse grupo logo que tudo começou se isolou ali. Eles não tem a mínima noção da dimensão de tudo o que aconteceu e dos perigos. Eles ainda acham que o maior perigo são os zumbis. Não tem noção de como a sociedade se tornou perigosa.

Também o grupo tende a jogar os problemas pra baixo do tapete.  A líder entrevista todos gravando até aceitá-los na comunidade. E quando há problemas ouve todos gravando também. É bem interessante quando essa temporada começa a chegar ao final e descobrimos que o grupo do Rick não estava muito confortável nessa comunidade que fingia ser um conto de fadas. Muito interessante quando a Carol (Melissa McBride) diz que conta histórias pra eles como se fossem crianças. E é isso, parece que esse grupo mais brinca de casinha do que enfrenta com maturidade os seus conflitos. A líder do grupo é interpretada por Tovah Feldshuh e seu marido por Steve Coulter. Interessante que essa líder acredita mais no padre que veio com o grupo que com o grupo. Ela não percebe os desajustes do padre, total alienada e conservadora. Nesse grupo ainda aparece Alexandra Breckenridge.

Carl (Chandeler Rigs) está com um cabelão pavoroso. Achei que ele ia se inspirar no pai e ao menos ter um cabelo que ficasse melhor, mas não, continua com aquele cabelo sem corte, cumprido, com chapéu, sempre suado e cabelo melado. Carl parece ser o que mais se adapta a comunidade. Há tempos ele não se relacionava com pessoas da idade dele. Ele se identifica bem com o grupo adolescente da comunidade.
As postagens de The Walking Dead estão aqui.


Beijos, 
Pedrita

16 comentários:

  1. As duas temporadas seguintes são irregulares. Com início e final eletrizantes e episódios arrastados entre eles.

    Muita coisa poderia ter sido cortada e a trama condensada em uma temporada apenas.

    A próxima (8º) promete ser bem mais agitada, porém o problema é que os produtores prometem levar a série até a temporada 12. Não sei se terá tanta história com qualidade para manter o interesse do público até lá.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, comecei a ver a 6. vamos ver o que vou achar. realmente difícil saber o que vão fazer já q pensam em esticar até a 12. haja zumbi.

      Excluir
  2. Pedrita, eu acho que esta temporada foi a última realmente boa. Eu realmente ando desgostosa do seriado, sétima temporada foi bem sofrida de assistir. Vou continuar pq a Michone ainda está no seriado, senão já tinha largado. Sei lá, se perderam. O apocalipse zumbi já dura um bom tempo e muita coisa industrializada ainda persiste. Não faz sentindo. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. patry, comecei a ver a 6. já sei de alguns spoilers e já sofro por antecipação. não entendo ainda terem latinhas com validade. o roteirista só sabe comprar comida pronta. não sabe que comida se planta.

      Excluir
  3. Conheço muita gente que vê, eu não acompanho.
    big beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lulu, minhas amigas me indicaram e eu gosto bastante.

      Excluir
  4. Gosto dessa série, mas já me perdi toda. Teria que assistir desde o início.

    Beijos,
    Pri
    www.vintagepri.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pri, eu comecei a ver quando várias temporadas já tinham passado então tá fresquinho.

      Excluir
  5. Olá, Pedrita!
    Tenho um amigo que é viciado nesse tipo de série, eu aina não assisti. Outro dia a gente estava conversando sobre esta série.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, eu achei engraçado que a patry me indicou, ela não gosta de filmes violentos. mas é muito bom. tem ótimo roteiro.

      Excluir
  6. Olá Pedrita
    Acho que eu também já me perdi nas temporadas e fiquei chocada em saber que vai até a 12ª :/
    Achei injustificável o Tyreese que "passava o rodo" ser mordido por uma criança, mas talvez seja poético e faz com que o personagem da irmã apareça mais.
    O Noah achei desnecessário, já que a Beth tinha se sacrificado por ele (em vão).
    Interessante constatar que a Carol deixou de ser vítima (há muito tempo rsrs)
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, ele ficou muito perturbado depois de tudo e perdeu a proteção. realmente a carol não é mais vítima. eu gosto dos debates filosóficos e na comunidade foram vários. a ideia de proteção por um muro sendo que as pessoas q vivem lá tb são imperfeitas.,

      Excluir
  7. Este tema não faz o meu gênero, embora a resenha registre pontos que parecem mesmo interessantes. Já o meu marido é fã dessa série e até tem uma placa que diz para não alimentar os zumbis, rsrs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, eu gosto, mas achei que ia ser mais tosco. acaba falando muito de cidadania e principalmente o que a falta dela faz a humanidade quando perde o mínimo para um equilíbrio social. para nós que vivemos em tanta precariedade parece muito pertinente. amei a placa hahahahhahaha. até pq os zumbis comem gente hahahahahahhaa

      Excluir
  8. Vi as 2 primeiras e já meia irregular.
    Não entendi nada.
    Mas falam tão bem da série que o problema é meu, eu sei.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, a parte dos zumbis é meio pesada realmente. mas os diálogos são muito bons.

      Excluir

Bons comentários!