segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Donzela Guerreira

Assisti ao espetáculo Donzela Guerreira com o Grupo Anima no Espaço Cachuera!. Era um ensaio aberto desse novo espetáculo. Sempre eles unem estilos parecidos de composições muito diversas. Então os músicos agregados ao Grupo Anima eram também de correntes diversas. As cantoras tinham formações bem diferenciadas como a soprano Marília Vargas e a Malui Miranda. A instrumentista Valéria Bittar disse que as composições foram sugeridas individualmentre pelo grupo, e eles de forma coletiva iam criando os arranjos para o espetáculo.


Gostei muito das músicas falarem de mulheres guerreiras, sejam índias ou da antigüidade. No repertório Cantigas D´Amigo, uma de Portugal do Cancioneiro Musical D´Evas, obras do Bingen, algumas das Caixeiras do Divino Espírito Santo do Maranhão. Eu vi há uns anos no Centro Cultural Banco do Brasil uma apresentação com elas e tinha ficado fascinada. Canções de tribos indígenas: Yanomami de Roraima, Kaxinawá do Acre e Suyá do Parque do Xingú no Mato Grosso. Paulo Dias que está nessa formação do Grupo Anima é o diretor da Associação Cultural Cachuera! que eu não conhecia o espaço e gostei muito. Outros músicos que compõe o Grupo Anima são: Luiz Fiaminghi, um de seus fundadores, Gisela Nogueira e Silvia Ricardino. A diversificação de instrumentos e sons é muito grande e muito interessante. Gostei muito também dos figurinos. As mulheres vinham com corpetes coloridos de fitas e misturados com fitas do Senhor do Bonfim, muito bonito. Adorei a apresentação.
Música do post: Quant ces flouretes
Gautier de Coinci




Beijos,

Pedrita

2 comentários:

  1. Deve ser um bonito espetáculo..E já foi ver Vicky, Cristina, Barcelona? É ótimo, Woody Allen e seu modo preciso de tecer perfis psicológicos..quando for assitir, comente aqui. Um beijo, saudades!

    ResponderExcluir
  2. eu quase vi com minha mãe, mas escolhemos feliz natal q é bárbaro. eu adoro o woody allen e quero ver. não sei se vou conseguir.

    ResponderExcluir

Bons comentários!