quarta-feira, 24 de junho de 2009

Dreamgirls

Assisti Dreamgirls (2006) de Bill Condon no Telecine Light. Eu nunca me animei pra ver esse filme, assisti mesmo por falta de opção e me surpreendeu. É outro filme muito bem realizado, com uma direção de arte de Tomas Voth impecável e musicalmente ótimo. Esse filme também passa por décadas e igualmente tem uma transposição do tempo muito bem realizada. No início há aqueles campeonatos em teatros em bairros negros, para negros e o estilo de interpretar é como John Lee Hooker, Sarah Vaughan, típico da época. Com a passagem pelo tempo os cabelos deixam de ser alisados, vem a época do blackpower, roupas hippies e o estilo de cantar fica mais romântico na onda de Johnny Mathis e Burt Bacharach. Por último, chega a época da discoteca, os cabelos ficam compridos, enrolados, roupas coladas e muito brilho. O estilo de cantar e interpretar também muda.

As atrizes são lindas e talen-tosas. Mereci-díssimo o Oscar de Melhor Atriz Coadju-vante para Jennifer Hudson, ela está excelente, não só quando está mais jovem, mas tambem quando amadurece, convincente. Os outras três são: Beyoncé Knowles, Anika Noni Rose e Sharon Leal. O elenco masculino também é excelente: Jamie Foxx, Eddie Murphy e Danny Glover. É mais um filme que fala da questão negra nos Estados Unidos e claro que conseguimos fazer contrapontos em outras partes do mundo como o Brasil. Mas como sempre ressalto a questão negra nos Estados Unidos tem particularidades diferentes da brasileira. Esse filme inclusive é daqueles feitos para os negros pelos negros. Dreamgirls fala muito das músicas negras que viravam hits nas rádios, eram transformadas para algum astro branco e aí transpunha os bairros. Aqui no Brasil houve muita exploração musical assim no mesmo período. Artistas de sucesso subiam o morro, pagavam pouquíssimo por uma canção, colocavam o seu nome e faziam sucesso. A diferença é que alguns artistas de sucesso eram negros ou descendentes. Não era uma relação entre brancos e negros e sim entre músicos pobres e músicos de sucesso, independente da raça.
Os figurinos de Sharen Davis são impe-cáveis e a excelente a edição de Virginia Katz e a direção é ótima.Dreamgirls ganhou ainda Oscar de Melhor Som, 3 Globos de Ouro, nas categorias de Melhor Filme - Comédia/Musical, Melhor Ator Coadjuvante (Eddie Murphy) e Melhor Atriz Coadjuvante (Jennifer Hudson) e BAFTA de Melhor Atriz Coadjuvante (Jennifer Hudson).

Youtube: Dreamgirls Music Video





Beijos

Pedrita

8 comentários:

  1. Não gostei desse musical, ou pseudo-musical.
    Será que não tenho meu gosto refinado?

    ResponderExcluir
  2. não sou chegada a musicais,,,,
    voce viu um filme chamado 300?
    um professor sugeriu, mas não consegui passar da primeira cena, detestavel....

    ResponderExcluir
  3. Também não levei muita fé nesse filme, mas confesso que me surpreendi com os atores, o roteiro as músicas. Foi bem diferente do que imaginei. Gostei.
    Beijos :*

    ResponderExcluir
  4. Eu não me animei para ver este filme, mas se você gostou deve ser bom. Eu gosto muito de musicais.

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Eu adoro musicais, mas eu nao vi este;(

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Eu tb nunca tinha me animado, até a minha professora particular de inglês lebvar uma entrevista sobre esse filme pra aula de listening.....deve ser ótimo, mas até agora não consegui ver.

    beijos!

    ResponderExcluir
  7. paula, não sei, mas eu gostei.

    olho de pombo, eu gosto mais ou menos de musicais. adorei 300, mas é realmente bem violento. adorei a tecnologia.

    marina, exatamente, foi bem diferente do q imaginei.

    marion, acho q vai gostar, eu tb nunca quis ver.

    georgia e carla, vcs vão gostar.

    ResponderExcluir
  8. eu também nunca vi esse filme... preguiii.... hehehe... mas agora, depois desse post, me animei... beijocas, querida,erika riedel

    ResponderExcluir

Bons comentários!