sexta-feira, 26 de junho de 2009

Macunaíma

Terminei de ler Macunaíma (1928) de Mário de Andrade. Esse livro veio na Coleção da Folha Grandes Escritores Brasileiros que comprei. Gostei demais de Amar, Verbo Intransitivo e queria ler esse. Gostei muito! Fiquei embasbacada como alguém conseguiria escrever tão rapidamente e com tanta fluidez aqueles diálogos. No final há vários textos de Mário de Andrade, dele dizendo como escreveu a obra. Me impressionaram a quantidade de referências folclóricas, ele mesmo diz nos textos finais que a intensão não foi escrever um livro nacionalista. Ele escreve de forma jocosa, mas acaba mencionando várias lendas indígenas, brasileiras e de descendência africana.

Obra Abaporu (1928) de Tarsila do Amaral
As referências às lendas me fizeram recordar várias histórias conhecidas como a do Boto, Curupira, e outras desconhecidas. Mário de Andrade parece brincar com esse universo e com Macunaíma. É de uma genialidade incrível. Muitas lendas me lembraram o genial Monteiro Lobato na série do Sítio do Pica-pau Amarelo. Quem assistiu vai se identificar em vários momentos com a obra.
Obra Tropical (1917) de Anita Malfatti
Trechos da obra Macunaíma de Mário de Andrade

“No fundo do mato-virgem nasceu Macunaíma, herói da nossa gente.”

"Porém no rio era impossível por causa das piranhas tão vorazes que de quando em quando na luta pra pegar um naco de irmã espedaçada, pulavam aos cachos pra fora d’água metro e mais. Então Macunaíma enxergou numa lapa bem no meio do rio uma cova cheia d’água. E a cova era que-nem a marca dum pé-gigante."
Música do post: Villa-Lobos - Lenda do Caboclo
Get this widget Track details eSnips Social DNA

Beijos,

Pedrita

10 comentários:

  1. Olá, Pedrita! Moravia, Mário de Andrade e, agora, G. Greene. Nada como ser uma leitora incansável, não é mesmo? Grande abraço!

    ResponderExcluir
  2. famuito tempo que i o filme Macunaima, não lembro de quase nada alem do Grande Otelo fazendo o Macunaima....
    AMoema tambem trabalhou no otimo Edfico Master, do Eduardo Coutinho,,,
    em Madeireiras, tambem do Marcos Prado e Ze Padilha,,,e Tropa de Elite,,,,

    ResponderExcluir
  3. Sempre gostei de Macunaíma, um dos meus livros preferidos da literatura brasileira. Também gosto muito do filme. Infelizmente, não vi a peça de Jorge Antunes.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Querida, pára tudo que esse eu li!!...rs!

    Li mesmo!!!
    Gostei.

    Ps: Cancelei meu blog, mas não minha lista de leituras, grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Pedrita
    a Moema trabalhou como assistente de edição do Edificio Master, e não tem ela naquelas filmagens do grupo dentro do Edificio,
    foi legal tambem acompanhar aquela produção,,, tem muita coisa que ficou fora o filme final, mas muito bom material...

    ResponderExcluir
  6. Olá, tudo bem? Eu só vi o filme Macunaíma... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  7. Ganhei Macunaíma da tia Diva no final da década de 70 e lembro que li muito rápido. Mas acho que emprestei para alguém que não me devolveu. Vi também o filme.
    Denise

    ResponderExcluir
  8. rodrigo, gostaria e precisaria ler mais, mas pelo menos tento fazer o melhor que posso dentro do meu tempo.

    olho de pombo, gostei muito de edifício master.

    dê, lembrava do livro em casa, mas não lembrava q foi a tia diva q deu. e tb não sabia que alguém não devolveu.

    ResponderExcluir

Bons comentários!