terça-feira, 31 de maio de 2011

O Último Magnata

Terminei de ler O Último Magnata (1940) de Francis Scott Fitzgerald. Eu tinha visto o filme e amado, como gosto desse autor, procurei o livro em um sebo que vou de vez em quando e dei sorte. O que eu comprei é da Editora Record. O Último Magnata é bem fácil de encontrar nas livrarias e por um bom preço, um que vi custa uns R$ 12,00. O livro é inacabado. Já li vários livros inacabados de autores, confesso ser uma sensação estranha, já que o livro termina com muita curiosidade. Nesse eles colocaram esboços, avaliações de Fitzgerald sobre o que pensava sobre a obra, o que desejava colocar, porque tinha pensado naquela solução. No início comentam que Fitzgerald vivia reescrevendo e mudando esse livro. O que mais gosto em O Último Magnata é que é sobre um produtor famoso de cinema. O cerne é um romance entre esse produtor e uma misteriosa mulher, mas o que mais atrai em O Último Magnata são os comentários sobre a indústria do cinema, patrocínios, estrelas e jogo de poder. Scott Fitzgerald escreve sobre o início do cinema.

Cinzento do Oceano (1953) de Jackson Pollock

Anotei alguns trechos de  O Último Magnata de Francis Scott Fitzgerald:

“Embora nunca tenha aparecido em um filme, sempre vivi no mundo do cinema.”

“Todas as três eram capitalistas fervorosas e sei que foi Birdy quem inventou a norma de que, se as datilógrafas fossem vistas almoçando juntas mais de uma vez na mesma semana, seriam arrastadas pelo tapete. Nessa época, os estúdios temiam os regulamentos do populacho.”




Beijos,
Pedrita

3 comentários:

  1. Interessante, eu não sabia que esta obra abria o jogo da indústria cinematográfica.

    ResponderExcluir
  2. Olá, tudo bem? Eu vi o filme.. Não sabia que tinha livro.... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  3. enaldo, não sei se abre o jogo, mas fala do meio.

    fabio, sim, e do grande scott fitzgerald.

    ResponderExcluir

Bons comentários!