terça-feira, 9 de agosto de 2011

Distrito 9

Assisti Distrito 9 (2009) de Neill Blomkamp na HBO Plus. Era uma noite sem opções, comecei a vasculhar pelos nomes dos filmes para escolher um, já que queria muito ver um filme na TV. Vi que Distrito 9 é um filme de ficção científica, mas não sabia do que se tratava. Pesquisei na internet, falavam de um filme social, de crítica social, de um filme violento e continuava na dúvida. Falei com o 007 que disse que não tinha visto, mas que era um filme que fazia um paralelo com a questão da imigração, do preconceito aos imigrantes e aos negros. Resolvi ver. É um filme dificílimo de ver, muito violento, tenso, mas impressionante. Fiquei chocada um bom tempo depois. Neill Blomkamp é um sul-africano de Joanesburgo. Ele viu todos os conflitos raciais violentos em seu país, a desumanidade e resolveu fazer um filme de ficção-científica colocando alienígenas em vez de alguma tribo africana. Peter Jackson se impressionou com o roteiro e resolveu auxiliar na produção. Portanto Distrito 9 é uma co-produção entre a África do Sul, Nova Zelândia, Canadá e Estados Unidos.

Distrito 9 começa na formato de documentário. Uma nave ficou parada em Joanesburgo. Há logo um texto irônico porque em Joanesburgo e não em Washington ou Nova York. Resolvem ir até a nave, os alienígenas estão fracos e subnutridos de tanto tempo lá, e são levados para o Distrito 9 e largados lá por anos e estão cada vez mais segregados, com leis de restrições, sem as mínimas condições de sobrevivência. Um oficial do MNU, uma espécie de ONU, resolve retirá-los de lá para levá-los a 20 quilômetros da cidade. Falam que é para melhorar a condição de vida dos alienígenas, mas percebemos que é só pra afastar da cidade e minimizar conflitos. O chefe da expedição é um bobo da corte, contam as ações como se estivessem promovendo uma festa. Seguem armados até os dentes, sem o mínimo respeito e de forma truculenta matam sem o menor pudor. Distrito 9 é impressionantemente bem realizado. Inicialmente vemos os alienígenas comendo como animais, repulsivos. Essa visão vai mudando ao longo do filme.

Nessa operação esse agente acaba se contaminando com um produto criado por esses alienígenas e começa a se transformar e a mudar. Fiquei impressionada também com o desempenho desse ator. Um bobalhão inicialmente, vemos surgir um homem forte e determinado depois, ele é interpretado brilhantemente por Sharlto Copley. Gostei que mesmo ele ficando menos monstruoso, ele ainda é egoísta em vários momentos. Não se torna um herói. Alguns outros do elenco são: Jason Cope, Nathalie Boltt e John Summer. Mesmo sendo um filme ficcional, é mais um filme que me choca de imaginar como a humanidade é perversa, egoísta. O quanto cria teorias para justificar ações violentas e desumanas. Mais um filme em que eu me desiludo com a humanidade e com nossa perversidade. O mais impressionante é que Distrito 9 foi recorde de bilheterias, mesmo sendo um filme social e tão contundente. Não sei se conseguiria ter visto esse filme nos cinemas. Acho que foi bom que só vi na telinha porque o impacto foi menor. Já fiquei muito horrorizada, na telona não sei se sustentaria ver tanta atrocidade. 

Beijos,
Pedrita

6 comentários:

  1. Acidentalmente vi esse filme, talvez nalgum quarto de hotel e de facto estranha-se e choca-nos a violência, mas é percetível a mensagem do realizador em mostrar a desumanidade dentro da nossa civilização

    ResponderExcluir
  2. Gostei. Fiquei muito inetressado. Vou atrás

    ResponderExcluir
  3. fiquei tanto tempo sem internet... mas hoje resolvi tentar me atualizar com os meus blogs preferidos;. eu vi um filme no cinema do Woody Allen e adorei.....não quero ver filmes tristes. a humanidade é assim mesmo....bjs Pedrita

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Excelente dica a sua sobre o filme Noel - Poeta da Vila... Foi muito pouco divulgado!!!! Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
  5. geocrusoe, eu tive q pesquisar muito pra aceitar assistir. e mesmo assim fiquei na dúvida até um pouco antes se deveria ver. ainda bem q insisti.

    la socière, tente ver. é difícil, mas incrível.

    enaldo, eu achava inclusive q vc já tinha visto. vc vai gostar.

    fatima, esse filme tem q ter estômago realmente. mas os filmes abaixo são mais leves.

    fabio, eu queria demais ver noel. maravilhoso realmente! e foi uma pena q poucos viram nos cinemas, mas se me recordo bem, tinha pouca cópia do filme pra exibição e foi em pouquíssimos cinemas. em sampa sempre no mesmo bairro.

    ResponderExcluir

Bons comentários!