quarta-feira, 28 de maio de 2014

Elysium

Assisti Elysium (2013) de Neill Blomkamp na HBO. Eu queria muito ter visto esse filme nos cinemas já que tem dois atores que adoro Wagner Moura e Alice Braga. Só recentemente que vi que é com um grande autor atual, o sul-africano Neill Blomkamp. Eu tinha ficado impactada com Distrito 9, o mesmo aconteceu com Elysium. E só quando estreou na HBO é que soube que é com outro ator que adoro, Matt Damon.

Neill Blomkamp é um autor difícil, suas obras nos dilaceram. A terra fica dividida. Em 2154, o caos aqui e em Elysium, uma cidade  no espaço, vivem na mais perfeita harmonia. Lá ninguém envelhece nem fica doente, há cura para tudo. Aqui parece o nosso sistema público de saúde, não há cura para quase nada, tudo precário e superlotado. O personagem do Wagner Moura prepara doentes em naves para tentar invadir Elysium. Em uma das tentativas duas naves são atingidas com 46 civis doentes mortos. Só uma chega ao destino e uma menina é salva.

O personagem do Matt Damon está em condicional e tenta viver com dignidade. É um dos poucos da terra que tem um trabalho, miserável o trabalho, a maioria vive na mais perfeita miséria. Neill Blomkamp usa muito a ficção científica para criticar os sistemas governamentais que separam cruelmente as pessoas. São separadas as que merecem uma vida digna e as que vivem na violência e no caos. O autor é sul-africano, mas essa temática é muito atual no Brasil. Quem tem acesso a tratamentos dignos no Brasil é uma minoria, que muitas vezes paga fortunas para ter parte desse direito. Enquanto a maioria nem com mandato judicial consegue acesso a cirurgias vitais.

A crítica social do diretor e autor continua quando mostra Elysium, a maioria é loira. O elenco estrelado continua: Jodie Foster e Diego Luna. Ainda no elenco: Sharlto Copley, Emma Tremblay, Maxwell Perry Cotton, Faran Tahir e Adrian Holmes. O que mais assusta nessa ficção-científica é a realidade e atualidade do roteiro. A ficção científica é uma linguagem para falar de temas atuais como intolerância, limpeza étnica, pobres com tratamentos desumanos, ricos protegidos. Os filmes de Neill Blomkamp são difíceis de assistir, mas muito realistas. Com esse segundo filme, entrou para a lista de roteiristas e diretores preferidos.

Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Não acredito, o Blogspot não enviou meu comentário! :( Segunda tentativa!

    Eu gostei muito do filme, Wagner Moura e Matt Damon estão sensacionais em seus papéis. O filme mostra uma realidade que se parece muito com a do nosso país. Os que estão na miséria apenas sobrevivem, praticamente não têm meios de melhorar de vida. E no filme é tudo pior, pois eles vivem num planeta abandonado, o governo não quer saber deles mesmo. Só se importam com a ilha de felicidade que criaram no espaço.

    Ainda não vi Distrito 9. Quero muito ver!

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marion, q chato o blogspot estar dando problema, tb detesto perder comentários. realmente o wagner moura e o matt damon arrasam. realmente no filme é tudo pior, mas eu penso se na saúde no brasil tb. distrito 9 é igualmente pesado, mas incrível.

      Excluir
  2. Adoro Matt Damon, mas não é meu estilo de filme.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, apesar de ficção é um filme muito realista. mas pesado.

      Excluir
  3. Já ouvi falar, mas não vi ainda.
    big beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá, tudo bem? Assisti 360. Não achei grande coisa.... Sobre Tá no Ar: sempre assisto!!! "A TV Globo vai colocar Higienópolis contra o Brasil" kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk... Bjs, Fabio www.fabiotv.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, 360 não é o meu preferido do diretor, mas gostei. realmente tá no ar é divertido. soube que a temporada está terminando.

      Excluir

Bons comentários!