domingo, 26 de outubro de 2014

A Caça

Assisti A Caça (2012) de Thomas Vinterberg no Telecine Cult. Eu tinha adorado Festa de Família que foi um dos primeiros filmes do Dogma desse diretor. A Caça é tão pesado e contundente quanto. Um homem arruma trabalho em uma escola com crianças. Uma menina está sofrendo com os desentendimentos do pai que é o melhor amigo desse homem. A criança fica com raiva desse homem e resolve inventar uma maldade sobre ele.

A inabilidade da escola em lidar com o problema é assustador. Um homem é chamado para conversar com a criança, e como ela não fala ele vai falando por ela e pedindo que ela confirme. E ele vai criando uma história por conta própria e a menina vai dizendo que sim. Sem apurar melhor falam logo em seguida como afirmação para todos os pais de alunos que começam a achar que as revelações dos filhos são também de abuso. Para julgá-lo e condená-lo com indícios, essa comunidade passa a cometer vários crimes.

O filme é todo irônico, falam de caçadas. Mads Mikkelsen está surpreendente, inclusive ele ganhou por esse filme Melhor Ator no Festival de Cannes. Difícil personagem. Alguns outros do elenco são: Thomas Bo Larsen, Annika Wedderkopp, Susse Wold, Lasse Folgstrom e Alexandra Rapaport.

Beijos,
Pedrita

17 comentários:

  1. Eu queria assistir a um filme que desfizesse a antipatia que tenho por Mads Mikkelsen criada pela série Hannibal. Quem sabe um dia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ruby, ele está excelente. eu gosto muito desse ator.

      Excluir
  2. É um drama pesado, que incomoda e na minha opinião ainda melhor que "Festa de Família".

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, gosto tanto quanto festa de família.

      Excluir
  3. Moby Dick está como Ulysses, dificil continuar. Mas "Uma casa para o sr. Biswas" V.S. NAIPAUL estou engolindo com sofreguidão!

    ResponderExcluir
  4. Já tinha assistido esse filme e comentei por aqui.
    Muito bom.
    E é importante lembrar que nem tudo que criança diz, pode ser levado em consideração.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, fui no seu post sobre o filme e comentei lá.

      Excluir
  5. Também vi o filme e adorei. Muito bom você ter apontado a maneira totalmente errada como a escola lidou com a declaração da menina, foi algo que me chocou muito e, sinto dizer, era um tipo de interrogatório comum na minha época de escola...
    Beijo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lê, não imaginava que as escolas lidavam tão mal com o tema. só um psicólogo, com desenhos, é q dá pra ter uma ideia pra pesquisar.

      Excluir
  6. Esse filme deve ser ótimo, só pelo enredo me interessei
    Big beijos

    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir
  7. Oi, Pedrita,

    Eu também já vi este filme e até comentei sobre ele por aqui, acho. Ele me pareceu baseado no drama acontecido em São Paulo, na chamada Escola de Base, que arrasou com a vida dos donos, uma lástima.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, é uma acusação muito grave, tem que ter muita investigação. não pode ser apurada superficialmente.

      Excluir
  8. Deve ser bem pesado este filme e chocante. Aqui no Brasil já tivemos um caso assim, que não investigaram direito as denúncias e gente inocente foi colocada como culpada sendo inocente e sendo exposta diantes de todos.

    Tem que se ter muito cuidado mesmo. Há algum tempo eu li uma reportagem na Marie Claire que falava de homens que sofreram acusação de abusar das filhas pequenas e que eram acusações falsas, que as ex-mulheres ( mães das crianças) haviam induzido as meninas a incriminarem os pais! Uma história terrível! Fiquei chocada. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marion, realmente tem que ter muito cuidado. gosto q em boogie oggie falam muito da ira de uma mulher rejeitada. nem toda mulher rejeitada, ou mesmo homem, faz loucuras de vingança. mas já vi pais colocando filhos uns contra os outros só pra se vingar. muito triste. não sabia que iam mais longe, acusando de assédio. vergonhoso mentir sobre algo tão sério que deixa traumas para a vida toda.

      Excluir

Bons comentários!