sábado, 11 de abril de 2015

Questão de Direito

Assisti ao episódio Os Infiéis da peça Questão de Direito de Hermano Leitão no Teatro Bibi Ferreira. Achei incrível. O dramaturgo se inspirou livremente em ações já solucionadas para fazer episódios do espetáculo. Os Infiéis fala de infidelidade partidária. Eu conhecia muito pouco das regras sobre mudança de partido.

O incrível da peça é que ela é uma delícia de assistir, gera suspense, faz rir, tira dúvidas, é séria. Tudo muito bem equilibrado, bem dirigido e interpretado. Começa com uma encenação dos personagens contando suas histórias, a sua versão dos fatos. Franklin Medeiros está hilário como o vereador que muda de partido. Todos estão muito bem. Ainda no elenco Claudiane Carvalho, Carim Feres, Jean Jacques Erenberg, Gabriel Monteiro, Hérculles Moreno, Roger Rodrigues, Luana Martins, Viviane Esteves Wallace Becker.
As fotos são de Ivan Pontes.

Depois da apresentação da causa, vem um narrador explicar como a ação aconteceu. E por último o tribunal. Nada pesado, tudo com um tempo ótimo, mas muito esclarecedor. Vi entre o público pessoas com livros de direito na mão. Mas não é só para quem estuda direito, me ajudou muito a compreender um pouco desse imbróglio político. Espero que eu consiga ver o próximo episódio que acontece no dia 21, é sobre liberdade de expressão. Uma charge foi publicada em um jornal com uma mulher que se sentiu atingida e entrou com uma ação. Tema muito atual, tanto que o episódio chama Je Sui Charlie. Vou tentar logo garantir o ingresso porque deve lotar.
Beijos,
Pedrita

10 comentários:

  1. Não sabia desta sequência de espetáculos.

    O tema é muito interessante.

    Valeu pela dica.

    Bjos

    ResponderExcluir
  2. Deve ser genial. No trabalho, convivo com pessoas de partidos e fico impressionada com esse mundo que eu desconhecia totalmente.

    ResponderExcluir
  3. Parece bastante interessante essa peça, nunca ouvira nada parecido. Bom domingo.

    ResponderExcluir
  4. Pensava que infidelidade partidária, pelo menos aqui, fosse uma coisa vulgar.
    Talvez até seja já que não há(parece) punição.
    A gente tem uma ideia péssima de polítícos, por conta dos péssimos políticos que temos.
    Sim, o tema é interessante e deve ser esclarecedor

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, podemos mudar de partido, mas há regras que precisam ser respeitadas.

      Excluir
  5. Oi Pedrita,
    Apesar de não estar por dentro do tema, a peça parece interessante
    Tenha um bom final de semana.
    Big Beijos
    Lulu on the Sky

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. lulu, de uma certa forma mudar de partido nos interessa, porque votamos em um candidato de um partido, não sei como eu me sentiria se ele fosse para um partido oposto ao que acredito.

      Excluir

Bons comentários!