quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Antonio Carlos de Magalhães e Maria José Carrasqueira

Fui ao recital de Antonio Carlos de Magalhães no cravo e Maria José Carrasqueira ao piano no encerramento da Temporada 2016 do Centro de Música Brasileira no Centro Brasileiro Britânico. Foi uma maravilhosa apresentação com uma riqueza de repertório surpreendente. Inicialmente Antonio Carlos de Magalhães tocou obras raras do século 18 no cravo, vocês sabem o quanto amo esse instrumento. Ele é de Belo Horizonte e trabalha com repertório de pesquisa. Magalhães contou que é muito difícil encontrar partituras antigas. Em geral só acham obras sacras porque ao menos as igrejas guardam um pouco do material. Ele tocou só uma profana que foi achada em um caderno, mas sem saber o autor. Eu adoro as composições do Padre José Maurício Nunes Garcia e não foi diferente com a que o músico interpretou, muito linda. O cravista terminou o recital com obras recentes de Villa-Lobos, João Carlos Rocha e Osvaldo Lacerda.

Manuscrito de Piranga (Século XVIII) - Deus Deus Meus

Manuel Dias de Oliveira (ca. 1735-1813) – Bajulans
           
J. J. Emerico Lobo de Mesquita (1746-1805) - Salve Regina (Antífona de Nossa Senhora) – Larghetto, Alegro Larghetto

Anônimo (ca. 1800) 
Sonata 2ª (Sabará)
Adágio

Luis Álvares Pinto (1719-1789) - Lições XXIII e XXIV

Padre José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) - Fantasia 2ª

Dom Pedro I (1798-1834) - Hino da Independência

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
Todo Mundo Passa (Cirandinha nº 7)
Carneirinho, Carneirão... (Cirandinha nº 9)
Zangou-se o Cravo com a Rosa (Cirandinha nº 1)
                                                                                             
João Carlos Rocha - Antique

Osvaldo Lacerda (1927–2011)
Sonata para cravo - II- Andantino con moto                                                                   

Brasiliana nº 5 - III. Lundu

Maria José Carrasqueira também tocou um repertório riquíssimo. Dois compositores estavam na plateia, Nilcéia Baroncelli e Fernando Cupertino. Que obras lindas dos dois. Carrasqueira também arrasou na interpretação das belas obras de Osvaldo Lacerda, lindas as Brasilianas. Também adoro Camargo Guarnieri, lindas as valsas. Outro compositor que gosto muito é Ernesto Nazareth, lindas as obras e muito bem interpretadas.

Júlio Reis (1879-1933) - Ondina –Valsa Poética

Osvaldo Lacerda (1927–2011)
Brasiliana nº 2 – Romance, Chote, Moda e Côco                       
Brasiliana nº 3 – Samba, Valsa, Pregão e Arrasta-Pé

Nilcéia Baroncelli (1945) - O Fio de Ariadne (dedicada à Maria José Carrasqueira)

Camargo Guarnieri  
Valsa nº 9
Valsa nº 10

Fernando Cupertino (1960) - 3 Momentos – Saudoso, Andante Lamentoso e Vivo

Lina Pires de Campos (1918-2003) - 7 Variações Sobre “Mucama Bonita”

Ernesto Nazareth (1863-1934)                                                  
Eponina (valsa)
Fon-fon (tango) 
Foi um belíssimo recital, vou ficar com saudades desses concertos. A série só recomeça em março de 2017.
Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Acho que nunca escutei Cravo, na vida.
    Não conheço o som.

    ResponderExcluir
  2. Gente, eu também nunca escutei Cravo!!
    Beijos
    Adriana

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bem? Assisti O Regresso no Shopping Higienópolis. A imagem do filme na tela é deslumbrante. Momento mágico do cinema. Bjs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, é lindo mesmo. não curto o shopping higienópolis. raramente vou lá. só qd tem alguma peça q queira muito ver supero a minha resistência.

      Excluir
  4. Meu conterrâneo, que maravilha!
    Pelos vídeos que vc nos mostrou deu pra sentir a emoção
    desse recita, tudo de bom mesmo!

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, ele tem uma série em belo horizonte. vou te avisar quando tiver apresentações. foi lindo mesmo.

      Excluir

Bons comentários!