segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Eu por detrás de mim

Assisti ao espetáculo de dança Eu por detrás de mim da Companhia de Danças de Diadema no SESC Santo Amaro. A direção e coreografia é de Ana Bottosso. Faz tempo que queria assistir essa companhia. Ouvia muitos elogios, é muito elogiada pela crítica. Finalmente consegui. Belíssimo espetáculo!

Eu por detrás de mim é inspirado nas obras de Olafur Eliasson e no conto O Espelho de Guimarães Rosa. O pintor eu só descobri depois do espetáculo. Esse conto é parte do livro Primeiras Estórias que li há muitos anos. Gostei muito de como trabalharam o espelho, todos vestidos de executivos se misturando como iguais, sem identidade própria. Muito interessante! Os figurinos eram prateados, confesso que esse excesso de cinza simbolizando o sem cor, a falta de individualidade de cada um e a igualdade sem personalidade, acabou sendo muito atual.

Gostei bastante da música composta por Fabio Cardia feita especialmente para o espetáculo. 

As fotos são de Ligiane Braga



Beijos,
Pedrita

8 comentários:

  1. Parece ser LINDO.
    Gostei da dica.

    Ótima semana.

    Beijinhos,
    Blog da Pam

    ResponderExcluir
  2. Que bacana espetáculo de dança.
    big beijos

    ResponderExcluir
  3. Oláááááá Pedrita!
    Que lindo!!!!
    Não conheço as obras de Olafur Eliasson, mas o Espelho de Guimarães Rosa é o centro de Primeiras Estórias, sobre a luta do protagonista para provar a falta de lógica e de sentido do mundo. Diante do espelho ele descobre que a mentira é a aparência humana então chega a imaginar-se invisível.
    Como vc disse todos se vestindo iguais numa sociedade que vai se robotizando e perdendo a essência da individualidade.
    Deve ser muito bom!
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, que bom que avisou, eu li primeiras estórias. ufa. pelo menos o conto eu li. há anos, mas li. amei o filme tb. exatamente, todos perdendo a individualidade e ficando iguais.

      Excluir
  4. Acho que só fui a 2 espetáculos de dança. E não gostei muito.
    Achei confuso entender uma história, nos que vi.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, nem sei se são para entender. nem sempre arte é para entender, muitas vezes é para sentir.

      Excluir

Bons comentários!