quinta-feira, 27 de abril de 2017

Amén

Assisti Amém (2002) de Costa-Gavras na ClaroTV. É um filme muito difícil de ver baseado na história do oficial da SS Kurt Gerstein. Ele era um cientista e criou um veneno para parasitas. O exército o convoca, só depois de um tempo ele descobre que a sua invenção estava sendo usado para matar pessoas em massa nos fornos dos campos de concentração.

Desesperado ele se une a um padre para tentar vazar a informação para o mundo tentando parar o extermínio continuado. Kurt Gerstein vê inclusive o produto dele em ação e fica chocado. Mas vai ficando cada vez mais desesperado e enojado de saber que 10 mil judeus, ciganos e outros excluídos da época eram dizimados diariamente. Muito assustador como todos tentam ignorar de forma hipócrita os avisos. O Papa promete no Natal falar, mas ignora. Pedem provas, tudo para retardar a tomada de decisão. Só começam mesmo a proteger uma minoria de judeus convertidos católicos quando a Alemanha rende a Itália. E mesmo assim segregam os judeus dos convertidos. Kurt Gerstein é interpretado brilhantemente por Ulrich Tukur. O ator faz o contido alemão que conseguia esconder dos nazistas que estava tentando avisar o mundo das atrocidades. O padre que o ajuda por Matthie Kassovitz.
O elenco todo é muito bom: Sebastian Koch, Ulrich Mühe, Ion Caramitru e Hans Zischler. O filme é muito angustiante já que sabemos que não conseguiram fazer nada. Enquanto tentavam avisar os americanos, a igreja, os judeus eram exterminados em massa nas câmaras de gás e nos campos de concentração. Amén ganhou inúmeros prêmios como César de Melhor Filme, Melhor Direção e Melhor Ator para Matthie Kassovitz.

Beijos,
Pedrita

12 comentários:

  1. Hello, Pedrita!
    Deve ser angustiante mesmo, mas vale a pena assistir.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, angustia realmente. triste realidade.

      Excluir
  2. É mais um dos ótimos filmes de Costa Gavras, com destaque para o elenco e para a história real sobre como a Igreja Católica fechou os olhos paras as atrocidades dos nazistas.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hugo, muito trágico. hipócritas religiosos.

      Excluir
  3. Um ótimo filme, apesar de difícil e, infelizmente, real. Assisti na época em que eu passava horas nas locadoras (que nem existem mais).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, nossa. parece q foi há séculos a época das locadoras. filme muito indigesto realmente.

      Excluir
  4. Oláááá Pedrita
    Assisti esse filme uns 3 anos atrás para uma aula de História do Direito e lembro que foi um choque de realidade a forma como houve a omissão por parte da Igreja e dos governos capitalistas.
    O professor dizia que era uma maneira de conter o comunismo e há vários diálogos recorrentes no filme. Não sei se concordo com ele, mas de certa forma evidencia muito as relações de poder, não usaria a palavra conivência (outra vez não sei se concordo) mas certamente houve omissão e como estamos falando de vidas e muitas, centenas de milhares de vidas, é inadmissível um não posicionamento.
    Triste demais e bastante reflexivo, polêmico e intenso, mas necessário para compreender melhor um período tão nefasto da história da humanidade.
    Triste demais o Kurt procurando saber o que aconteceu com a sobrinha e o final dele doeu muito assistir.
    Excelente atuação assim como do padre Ricardo.
    Como sempre tu arrasou na resenha e traz uma excelente indicação!
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, eu odeio a hipocrisia das religiões há muitos anos. há vários filmes aqui no blog que dão nojo tanta violência da igreja. o próprio filme lembra da inquisição da igreja católica que queimou tantas pessoas, mulheres na maioria. uns queria oposição ao comunismo. outros aos nazistas. e os inocentes sendo dizimados no meio enquanto discutiam políticas em seus escritórios confortáveis. doeu demais assistir mesmo.

      Excluir
  5. Olha, no passado eese tipo de coisa me surpreendia e chocava. Hoje só me deixa indignada, já que os fatos, as leituras e o amadurecimento só têm feito confirmar que acontecimentos assim são mais frequentes do que imaginamos, o próprio Costa Gravas os denunciou em muitos dos seus filmes.

    Beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, eu sempre digo que o ser humano é mal. adora subjugar o outro. hitler era monstro. mas muitos sentiram prazer de seguir as ordens de extermínio.

      Excluir
  6. Não vi esse filme na programação.
    Talvez até tivesse passado despercebido.
    Pior saber que é uma história com realismo.

    Faz tempo que vi filmes desse Diretor.
    Acho que os filmes que assisti tinham temas políticos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, no now apareceu esse canal liberado. e tem bons filmes por lá. um acervo mais óbvio, mas com uma seleção robusta.

      Excluir

Bons comentários!