domingo, 13 de agosto de 2017

Autobiografia Autorizada com Paulo Betti

Assisti Autobiografia Autorizada com Paulo Betti no Teatro Vivo. Eu já tinha visto várias entrevistas do Paulo Betti falando desse espetáculo que já viajou por várias cidades. A direção é do próprio Paulo Betti com o Rafael Ponzi. O texto é dele. Amei os cenários de Mana Bernardes, a iluminação de Daniela Sanchez e Luiz Paulo Nenem e os figurinos de Letícia Ponzi. Nossa, gostei demais! Não tinha ideia que o Paulo Betti vinha da roça, que sua mãe teve 15 filhos, isso mesmo, 15 filhos. Ele foi o temporão, nasceu quando sua mãe tinha mais de 40 anos.

Também não sabia que o Paulo Betti era da região de Sorocaba. Inicialmente ele viveu na roça, depois foram para a cidade, quando conseguiu estudar em escola pública. Sua irmã trabalhou na Votorantim e com isso conseguiu ajudar a família. Interessante que é o Paulo Betti que foi considerado arrimo de família na adolescência. São lindas as histórias da família. Há algumas fotos dos familiares, da casa que são projetadas ao fundo. Sua mãe tornou-se uma benzedeira. Paulo Betti conhece várias rezas que seguiram da tradição oral. É uma peça que antropólogo vai amar, ainda mais se estudar a área rural paulista. Gostei muito de conhecer a vida desse ator. Muitas vezes achamos que atores que ganham expressividade vieram de lares abastados, esquecemos que as trajetórias são sempre ricas e diversificadas e não-necessariamente ricas financeiramente. A peça fala mais desse período familiar, mas no final, Paulo Betti mostra fotos de sua carreira, as primeiras peças e Eliane Giardini logo aparece. Também há fotos de seus personagens em novelas, pinceladas para contextualizar o futuro. Paulo Betti contou que ele e a Eliane Giardini estão produzindo um filme, ansiosa pra estrear.

A trilha sonora  de Pedro Bernardes também é maravilhosa. Há várias canções que estiveram na estrada de Paulo Betti como a linda Índia composta por José Assuncion Flores e M. Ortiz Guerrero que ouviu com Cascatinha & Inhana e tantas outras que ele canta trechos e depois a música incide. A forma como a música entra no espetáculo é tão mágica. Tudo na verdade flui majestosamente. É um desses espetáculos que tudo se encaixa com delicadeza e precisão. Autobiografia Autorizada fica em cartaz até 1º de outubro.

As fotos são de Mauro Kury.

Ah, amei que a a Andreia Inoue do Papeando também viu e postou sobre a peça. Curiosa pra saber se fomos no mesmo dia.

Beijos,
Pedrita

18 comentários:

  1. Muito bom. Parabéns pelo blog. Paulo Betti grande figura.
    Precisa mesmo ser divulgada. Abçs e um bom domingo. Eu te amo e Deus ainda mais.

    ResponderExcluir
  2. Parece ótima! Adoro conhecer histórias sobre infância, famílias e tudo mais.

    ResponderExcluir
  3. Gosto muito do Paulo Betti.
    big beijos,
    Lulu

    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  4. admiro muito o trabalho do ator ele é um ícone bjs bela postagem
    http://unhasdaraquel.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Bom dia Pedrita,
    que máximo que vc foi no monologo do Paulo Betti. Como eu gostei da Autobiografia Autorizada dele, como foi bom ouvir os "causos"...que sensibilidade, que emoção e como ele consegue passar as histórias de uma maneira leve e engraçada. Fui na sexta!! :D um abração e também estou colocando o link da sua postagem no meu post. Abraços queridona!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andreia, tb fui na sexta. ah, e nao nos conhecemos. obrigada pela indicação.

      Excluir
  6. Pedrita,
    Deve ser muito interessante a biografia de Paulo Betti.
    A gente pensa que os artistas tem vida fácil, mas quem tem talento pode nascer até num buraco, vai brilhar de qualquer jeito.

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, realmente, às vezes achamos que todos têm situação financeira confortável o q nem sempre é verdade.

      Excluir
  7. Pedrita, seu post me deixou com mais vontade ainda de assistir ao espetáculo. Deve ser bem envolvente. Ele é um ator que sempre admirei. Beijos

    ResponderExcluir
  8. Olá Pedrita
    Gosto muito do Paulo Betti e fiquei encantada com sua resenha a peça.
    Adoro histórias de familias e memórias afetivas <3
    Fiquei encantada que vc diz que é como um quebra cabeças onde cada peça se encaixa exatamente onde deveria estar e a musicalidade inserida no espetáculo combina perfeitamente com o texto pleno de poetice do cotidiano.
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, a peça encanta mesmo. tudo é mágico.

      Excluir
  9. Eu ia adorar. Tomara que venha para cá.
    Não sabia que era de Sorocaba mas sabia que ele era da roça e que tinha montes de irmãos.

    A música Índia, eu cantava com meu pai mas não tinha noção do que estava cantando, acredita?
    Meu pai cantava muito e eu também.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, espero que sim. acho q ia gostar mesmo. então, o paulo betti ouviu na infância exatamente com os compositores. mas há várias versões com outros intérpretes.

      Excluir

Bons comentários!