sexta-feira, 29 de setembro de 2017

O Cadete Winslow

Assisti O Cadete Winslow (1999) de David Mamet no Max. Eu vi que era filme de época em uma zapeada e coloquei pra gravar. Não tenho mais visto o filme na grade de programação do Max. É baseado em uma história real que foi contada no livro de Terence Gatting.

Gostei muito como o filme é construído. As interpretações e emoções são contidas. Tudo muito formal mesmo em momentos de tantos conflitos. Um garoto é expulso da Marinha e acusado de roubo. O pai acredita no filho e entra com um processo contra a Marinha. Imagina o que sofreram. Processar uma instituição tão respeitada e importante. O pai é interpretado por Nigel Hawthorne. O garoto por Guy
Edwards
.

Começa com a filha ficando noiva de um oficial. Ela é estudiosa, feminista, luta pelo voto feminino e apoia o pai que precisa usar o dote dela para o processo. O pai do noivo envia uma carta dizendo que o processo está prejudicando o filho e que se não pararem o processo o noivado será cancelado. Ela procura o noivo, gosta do noivo, mas percebe que na verdade ele está interessado na mesada dela para aumentar o seu dinheiro mensal. Muito interessante como toda a trama é construída. A irmã do garoto é interpretada por Rebecca Pidgeon. A mãe por Gemma Jones. O advogado por Jeremy Northam. O advogado diz a feminista que quer continuar vendo-a no tribunal. Ela diz estará, mas no andar debaixo, onde só homens podiam ficar. Os textos feministas são muito sutis, mas muito claros, mostrando a condição de inferioridade a que eram submetidas as mulheres. Ela mesmo está preocupada se não casar, já que não consegue um salário que a sustente.

Beijos,
Pedrita

12 comentários:

  1. Achei que já tinha visto este filme, por causa da menção ao processo contra a marinha (vi outro em que outra força militar entrava em conflito com um pai e seu filho). Mas esta obra pareceu-me bem mais interessante, vou procurar vê-la.
    (ah, estou na dúvida quanto a ir ou não assistir logo ao Mãe, do Darren Aronosfki, que está fazendo muito barulho, desde que estreou. Já o chamaram de "Aberração", "Provocação", "Apelação" e o diabo a quatro, mas parece também ser um filme muito bom. E voce vai vê-lo? rsrs).

    Beijoca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Huumm, vi agora que digitei errado o nome do Aronofsky, rsrs.

      Excluir
    2. Respondendo ao seu comentário: Embora pareça ter bons conhecimento das religiões judaico-cristã, o Aronofsky tem uma postura agnóstica e é a partir dela que ele constrói os seus filmes.

      Excluir
    3. marly, eu detestei cisne negro. não estou animada não. achei furado, péssimo.

      Excluir
  2. Olá Pedrita
    Que interessante, o plot passeia por diversos temas que costuram a narrativa, embora trate do processo do rapaz apoiado pelo pai que acredita nele, temos também a imagem da marinha, o noivo da irmã, o feminismo inserido de forma sutil e é baseado num fato ocorrido.
    Vou anotar aqui.
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
  3. Olá, Pedrita!
    Eu gosto de filmes baseados em fatos reais, esse eu não assiste, pela resenha é ótimo!

    Eu li um comentário seu no blog da Liliane sobre o sal marinho. Você está certa todo sal é marinho vindo do mar, apendi uma coisa só o sal grosso que é mais saudável, seja branco, rosa, preto, a cor não importa e sim que ele seja grosso. O que faz mal é o refinamento e a quantidade de sal que usamos nos pratos.
    Eu gosto de bater o sal grosso no liquidificador então coloco no moedor de temperos.

    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, é muito bom. gosto da direção contida. o melhor mesmo é evitar sal e o sódio que vem nos produtos industrializados. tento ao máximo comer mais frutas, legumes e verduras, usar mesmo sal. mas sem exageros.

      Excluir
  4. Adoro filme de época, deve ser bom esse filme
    big beijos

    ResponderExcluir
  5. Estou toda enrolada em achar filmes na NET.
    Mas, vou ter que desenrolar.

    O filme parece bom.
    Os atores não conheço. Talvez o que faz o papel (suponho) do noivo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. liliane, demora mesmo para se adaptar. acho q vai gostar de ver esse filme, mas já sumiu da grade.

      Excluir

Bons comentários!