segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

A República dos Sonhos

Terminei de ler A República dos Sonhos (1984) de Nélida Piñon da Francisco Alves. Eu quis ler esse livro depois que a autora em uma entrevista disse que é o livro dela mais traduzido e lido no mundo. E senti uma culpa enorme de eu não ter lido. E também que é uma saga da família Madruga inspirada na família dela que também é de origem galega como o protagonista. Eu adoro livros grandes, sagas, histórias ricas de detalhes. Eu achei esse livro em um sebo por R$ 20,00, bem razoável para 761 páginas de letras pequenas. Agora há uma edição em capa dura da Record com custo bem salgado. O português Carlos Faria do Geocrusoe também leu e comentou aqui.

Obra Casal (2004) de Cristina Canale

Nélida Piñon conta a saga de Madruga, sem ordem cronológica como são as lembranças e os pensamentos, vem fora de hora, no meio da narrativa, pula para outras datas, muito interessante. Gostei demais de A República dos Sonhos. Começa com Eulália, a matriarca, na verdade a família é patriarcal. Madruga é o líder, duro e autoritário. Eulália era dona de casa. Ela está morrendo. O livro passa então em idas e vindas na história da família até sua morte.

Obra Poucos Trabalham - Muitos se Divertem (1987) de Lia Mittarakis

Os filhos são bem diferentes. Alguns morreram. Muitos segredos. Bento é ambicioso. Antônia também casa com um ambicioso. Tobias é revolucionário, bem como a neta Breta. Todos ricos em camadas, sentimentos. Outro fascinante é Venâncio. Ele veio no mesmo navio que Madruga e tornam-se melhores amigos, mas são muito diferentes. Os dois amam Eulália. Madruga é machista e tem casos extra conjugais que ofendem Venâncio que acha que Eulália devia ser respeitada e muito amada.Venâncio é sem ambições, mais tranquilo profissionalmente, muito reservado, pouco se sabe se sua história antes do Brasil. 
Obra Outra Primavera Maravilhosa (2013) de Cybèle Varella

Gostei muito porque em um determinado momento aparece um diário do Venâncio. Ele pede para Eulália cuidar e não ler, por muito tempo ela obedece até que passa a ler. Nós lemos alguns fragmentos, ora lidos pela Eulália, ora por Breta. É incrível porque passamos a ver a família por outra perspectiva por outro olhar. Isso acontece sempre porque alguém dessa família olha e pensa sobre um integrante e sempre por perspectivas diferentes. A República dos Sonhos é fascinante. E muito incrível por manter alguns segredos sem serem revelados. Obra de arte!

As artistas plásticas são do Rio de Janeiro como a autora.



Beijos,
Pedrita

16 comentários:

  1. Excelentes sugestões para mim tem mais valor esse exemplar que encontras-te mais antigo, do que se fosse novo a estrear. As ilustrações em baixo são muito bonitas.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. ana, eu gostei muito dessa edição. não vi a outra. e essa por não ser de capa dura é mais razoável. as obras são de artistas plásticas da mesma cidade da autora.

      Excluir
  2. Ainda bem que gostou da saga, é de facto um grande romance que em paralelo Nélida aproveita para contar os aspetos mais marcantes da história do Brasil durante grande parte do século XX vistos na perspetiva dos imigrantes no país e de quando o Rio era a capital do País. Eu além de gostar aprendi muito sobre a evolução do Brasil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. carlos, realmente a história está de pano de fundo. e dá pra ter uma ideia do país.

      Excluir
  3. Já queria ler e agora mais ainda! Pelo que você escreveu, parece nos envolver na história da família como em Cem Anos de Solidão.

    Lindas as imagens!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, acho que vai gostar. é uma trama mais urbana.

      Excluir
  4. Nunca tinha ouvido falar, mas fiquei com vontade de ler!


    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir
  5. Oi, Pedrita,

    Também li este livro e gostei. Por coincidência, também tenciono escrever sobre ele oportunamente. Mas, sabe? o que me motivou a ler este livro foi talvez a alusão de que se tratava de uma história do Brasil, que é contada através da saga dessa família, de origem galega.

    Beijo e feliz 2018 (não custa reforçar os votos, rsrs)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. marly, escreva sim. ah, tb gosto de histórias de famílias que se misturam com a do país. da filha da fortuna da isabel allende é assim tb.

      Excluir
  6. Também gosto de obras longas, com detalhes que fornecem a gente uma viagem pelo tempo e pelo espaço. Sua resenha me deixou curiosa por conhecer "A republica dos sonhos".

    Jaci
    Uma Pandora e Sua Caixa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. pandora, eu gosto de detalhes e obras longas me saciam mais minha curiosidade.

      Excluir
  7. Olá Pedrita
    Também senti culpa agora por não ter lido esse livro, na verdade não conhecia essa obra da autora.
    Gosto muito de sagas, histórias de famílias que se mesclam a dos países sempre tem muitas camadas e nuances, muitas vezes mesmo "indizíveis" e que ficam em aberto, onde a imaginação cria cenários e finais.
    Mais um que vai para a listinha dos desejados :)
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, não é inacreditável não conhecermos? e não conhecemos pq não vimos nada a respeito. esse modo de deixar obras fundamentais em segredo no brasil me deprime muito. tb amo sagas. acho que vai amar. mas é uma obra extensa.

      Excluir

Bons comentários!