quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

O Compositor Delirante

Assisti a peça O Compositor Delirante no Espaço Parlapatões. É escrito e interpretado por Daniel Kronenberg. A preparação vocal e corporal é de Gabriel Bodstein. Genial! O texto fala de Ludwig Van Beethoven e suas inquietações.

É impressionante ver um ator criando os delírios de um compositor. Beethoven está no fim da vida, surdo, compondo sua obra prima. Enérgico, intenso, foi muito impactante ver a catarse de um gênio como Beethoven. Montagem inteligente, instigante. Para ter diálogos, Kronenberg criou um telefone onde gênios compositores mortos e musas falam com ele. O ator fala do processo de criação caótico, anárquico. Demais ver alguém falar da genialidade, não falar de lugares limpos e vazios, que só funcionamos na organização. Muito bom ver o contraponto a tudo o que nos impõe ao ser criativo, a aqueles que se sentem bem entre os seus projetos, livros, música e pensamentos, mesmo que caótico a outros olhos. Amei! O Compositor Delirante fica em cartaz até 15 de fevereiro.

Beijos,
Pedrita

14 comentários:

  1. Olá Pedrita
    Um 2018 maravilhoso pra ti e todos aí!!!!!

    sabe que aprendi a me encantar com teatro por sua causa???
    Antes quase não ia, gostaria de ir mais do que vou, ainda é bem pouco, mas sempre que tenho a oportunidade é uma forma de vivenciar intensamente a cultura "ao alcance das mãos"!
    Que interessante presenciar a forma de criação de um gênio como Beethoven e os meios com que ele "conersava" entre inspirações e exemplos.
    Isso sem falar que caos e organização passam a ser absolutamente subjetivos no contexto.
    Vou anotar aqui quero ver!
    Bjs Luli
    Café com Leitura na Rede

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. luli, bom 2018 pra vc. ah, que bacana que o teatro te pegou. eu tb ia menos qd criei o blo9g. acho que vc ia gostar dessa peça.

      Excluir
  2. Sempre fui fã de Bethoven e essa peça parece bem interessante.
    big beijos
    www.luluonthesky.com

    ResponderExcluir
  3. Hello, Pedrita!
    Eu conheci o meu marido em uma peça de teatro, quando ele participava de grupos de jovens eu era criança ele já era um rapaz. A peça era o Auto da Compadecida, eu fiquei encantada por ele, quando fiz 18 me declarei e dentro de 6 meses nos casamos, por que tenho paixão por teatro. Rsrs...
    Essa peça deve ser top!

    Beijinhos ♥

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. andréa, que incrível. confesso que é o meu sonho conhecer um companheiro em uma peça de teatro. meio caminho andado em afinidades que acho fundamentais para um relacionamento a longo prazo. ah, e que peça incrível. esse texto é maravilhoso. vc ia gostar dessa peça.

      Excluir
  4. Olá, tudo bem? Neste fim de semana, assistirei "O destino de uma nação"... Começarei a minha maratona Oscar! Bjs, Fabio www.tvfabio.zip.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. fabio, eu quero ver uns filmes no cinema, mas não estou preocupada com os indicados ao oscar.

      Excluir
  5. Este trabalho deve ser mesmo supimpa, teria gostado muito de assisti-lo.

    Beijoca

    ResponderExcluir
  6. Quero assistir! Parece genial! Adoro quando falam sobre processo de criação caótico e não sobre tudo perfeitinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bruxa, acho que vai gostar. sim, tudo perfeitinho é muito chato.

      Excluir

Bons comentários!