quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Mão na Luva

Assisti Mão na Luva (2009) de Isabella Lemos e Marcelo Pacífico no Viga Espaço Cênico. Eu tinha lido uma matéria no Estadão e me interessado muito em ver essa peça que tem sido muito elogiada. Aí eu fui no despachante, estacionei e quando vinha andando dei de cara com esse espaço e com o cartaz do Mão na Luva, aí vi o quanto seria fácil e confortável ir a esse teatro e me programei. Essa peça é tudo e mais do que dizem. Um belíssimo espetáculo! O texto maravilhoso é de Oduvaldo Vianna Filho publicado em 1966.

Um casal discute a separação. Com isso o texto viaja para momentos mágicos do casal e momentos tensos. Gostei demais dos dois atores Isabella Lemos e Marcelo Pacífico que são do Grupo Tapa. Além do texto difícil e da excelente interpretação, eles têm uma linguagem corporal incrível. Vários da platéia, inclusive eu, ficaram impressionados. É tudo tão ágil, inteligente e coordenado, que depois de vermos parte do espetáculo, sabemos quais são as recordações e quais os momentos de tensão, destacamos claramente no final as palavras que nos remetem a cada momento. A cada palavra lembramos claramente a que momento da peça nos reportou. No final eles misturam rapidamente as palavras chaves de cada momento da vida deles e do espetáculo e vemos igualmente rápido na nossa mente a cena daquela palavra como um quebra-cabeça, surpreendente! Mão na Luva tem curta temporada, espero que ampliem, termina dia 15 de fevereiro. Por sorte eles aceitam reserva pelo telefone e os ingressos são muito acessíveis. Eu paguei somente R$ 10,00. Há dias com esse valor e ainda dias com ingressos a R$ 20,00 e a R$ 30,00.
Música do post:Carlos Gomes - Quem Sabe (Francisco Petrônio)




Bejios,

Pedrita

16 comentários:

  1. Costumo dizer que ninguém casa pra separar e por isso desconheço processo de separação sem instantes de tensão e angustia.
    Cadinho RoCo

    ResponderExcluir
  2. Olá Pedrita!
    Tanto no cinema como no teatro,o duelo entre dois actores, homem e mulher, em luta pelo sentimento mais justo, sempre foi uma matéria que nos atrai... e esta peça que não iemos ver, porque moramos do ouro lado do oceano, deve ser extremamente interessante.
    Beijinhos
    Paula e Rui Lima

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, obrigada pelo carinho sempre.

    Você é mesmo uma privilegiada e nós que lemos o seu blog aproveitamos e ficamos atualizados.

    Um beijo grande, voltando aos poucos.

    ResponderExcluir
  4. Olá Pedrita!
    Se gosta de receber prémios pode ir buscar mais um ao "ematejoca azul".
    O seu blogue merece muitos prémios.

    Cumprimentos de Düsseldorf!

    ResponderExcluir
  5. Uma boa peça de teatro merece o mesmo destaque que um bom filme.

    ResponderExcluir
  6. Oi pedrita, devido a um problema com o Template do Ad hunc modo
    o mesmo passa a ser público, aguardo você por lá ok e me desculpe o transtorno.

    bjs
    Marcos

    ResponderExcluir
  7. Aqui quem escreve é o marido! Da peça.
    A Isabella encontrou seu texto e me passou. Devo dizer que adoramos e ficamos muito lisongeados com os elogios e a maneira como escreveu sobre o que viu e viveu naquela 1:20h. É sempre muito gratificante poder ver um retorno assim de nosso trabalho. Muito obrigado.
    Bjõ grande. Marcelo Pacífico

    ResponderExcluir
  8. hum... parece bacana... vou ver semana que vem e depois te digo o que achei... beijocas, erika

    ResponderExcluir
  9. cadinho, é verdd

    paula e rui, há grandes filmes sobre esses momentos. um que gosto em particular é eu sei que vou te amar do arnaldo jabor.

    ematejoca, obrigada

    quintela, eu adoro qq expressão de arte.

    marcelo e isabella, quanta honra, obrigada pela carinho. eu que agradeço o espetáculo maravilhoso que me proporcionou.

    erika, vc vai amar.

    ResponderExcluir
  10. Pedrita,
    motivada por seus comentários,resolvi combinar com duas amigas e fui a São Paulo para assistir Mão na Luva. Que interpretação maravilhosa! Saímos de lá impressionadas com tudo na peça. Existe uma coreografia intensa, um "timing" perfeito, enfim, o casal está ótimo no papel. E que linda a Isabella, uma moça com rosto e corpo perfeitos! O que me chamou mais atenção foi a memória dos artistas para decorar todo o texto que é enorme!! E não tropeçaram uma só vez!!!
    bjs

    ResponderExcluir
  11. Ah, Pedrita, agora relendo os comentários vi que o Marcelo (o marido na peça) fez um comentário aqui. Super legal! Ele e a mulher (na peça) devem treinar muito para viver "entre tapas e beijos". Confesso que foi surpreendente ver algumas cenas e acredito que eles têm muito preparo psicológico para não se desestruturarem no meio de tudo...rsrs

    ResponderExcluir
  12. Aqui é o marido novamente. Desculpem, mas preciso corrigir um pequeno deslize gramatical, "lisonjeados" com "J" é como nos sentimos ao ler as observações sobre a peça.
    Sônia, obrigado também pelos elogios. Concordo com vc sobre a beleza da Isabella. Quanto ao preparo psicológico, vermos daqui uns meses...
    Bjõ

    ResponderExcluir
  13. "veremos"!!! Sorry.

    ResponderExcluir
  14. oi marcelo, eu fiquei muito feliz que a sonia se animou com o post e veio pra são paulo ver a peça. meu blog estimulando alguém a ver o que vi é bacana. já que não chega a ser uma matéria de um jornal. é algo com um público bem mais restrito.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Pedrita,
    Estava procurando alguma coisa sobre essa peça e achei seu blog. Eu também assisti a peça em fevereiro, e agora ela está em cartaz de novo, só até amanhã, dia 24, dentro de uma mostra do grupo Tapa que eu quero tentar assistir o máximo possível. Daí dei uma vasculhada no seu blog e gostei muito!! Já está adicionado nos meus favoritos!

    ResponderExcluir

Bons comentários!