quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Trópico de Câncer



Assisti Trópico de Câncer (1970) de Joseph Strick no Telecine Cult. Eu descobri esse filme na programação por um acaso. Eu via o que ia passar e me deparei com essa raridade. Avisei o 007, mas ele não poderia ver. É por essas raridades que adoro tanto os canais Telecine. Volte e meia eles me surpreendem com algum filme raro na programação. Esse filme é baseado no livro homônimo do Henry Miller que eu tinha lido há vários anos, emprestado de uma biblioteca, não me lembro qual biblioteca, eu era sócia de 6 bibliotecas gratuitas. Li esse e um da Anais Nin depois de ter visto o maravilhoso filme Henry e June. Eu me identifico mais com o texto da Anais Nin, não tanto com o tom sarcástico do Henry Miller.
Adorei esse filme. É estranho imaginar que esse filme seja americano, em uma época de muito mais ousadia e originalidade. As tomadas da câmera são incríveis.
Nosso protagonista é um bon vivant, sempre atrapalhado financeiramente ele resolve escrever aos amigos pra tentar visitas e jantar todas as noites. Só que ele ou se envolve com as mulheres dos amigos, ou se mete em discussões e o plano precisa mudar. Nosso protagonista é o ótimo Rip Torn. As mulheres são belíssimas e bem mais naturais, com seus corpos nus belíssimos em diferentes idades: Ellen Buyrstyn, Dominique Delpierre, Gisèle Grimm, Ginette Leclerc e Françoise Lugagne. Alguns de seus amigos são interpretados por James T. Callahan, David Baur e Phil Brown. Henry Miller faz uma participação, mas não localizei. Adorei também os figurinos.





Beijos,

Pedrita

7 comentários:

  1. Sou o mais culto... sou o mais culto... rsrs. Já li esse livro tem algum tempo. Até postei a sinopse no blog... mas... não lembro mais da estória. Acho que estou ficando velho... rs. Bj

    ResponderExcluir
  2. Leia essa parte final da sinopse - Aqui se encontra música: a cadência de frases vitaminadas e a força das imagens poéticas. Aqui se discute sem vergonha o preço da felicidade e do caos. Sexo, loucura, arte, vício, fome... Você tem nas mãos um livro nojento, grandioso, estimulante, infernal. Você tem nas mãos o Livro da Vida! Diante de uma experiência como essa, só o arrebatamento. Isto posto, abra-o... concentre-se, ajoelhe-se e faça-se merecedor de tanta sabedoria.

    FERNANDO BONASSI - Colunista da Folha

    ResponderExcluir
  3. Pedrita, gostei desse filme.

    Mas gostei muito mais das fotos antigas por aqui.

    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Adorei o filme....pena que não tenho telecine...beijos!

    ResponderExcluir
  5. Conheço o livro; não conheço o filme. Faz tempo que o li. Na época de sua publicação no Brasil, causou certo furor. Mas não me entusiasmou muito não.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  6. cristiano, o mais culto sempre é mais benvindo hehe. nem lembro como ficou o benvindo na nova ortografia. preciso verificar.

    georgia, e parece q as fotos foram escaneadas de um livro, veja a dobra.

    carla e paula, telecine cult é tudoooooooo.

    moacy, eu tb não me empolguei muito com o livro, mas creio que vá amar o filme.

    ResponderExcluir

Bons comentários!