quinta-feira, 28 de outubro de 2010

O Menino do Pijama Listrado

Assisti O Menino do Pijama Listrado (2008) de Mark Hermann no HBO Plus. Fazia tempo que via esse filme na programação, não sabia do que se tratava porque não li o livro de John Boyne. Não é um grande filme, mas tem alguns méritos, um deles é colocar a Segunda Guerra sob a perspectiva de um garoto e ir criando o que poderia ser pelo olhar de uma criança. Outro mérito é economizar nas emoções. Tudo é bem enxuto. É um pouco inverossímel e improvável. Seria muito difícil que uma criança em um campo de concentração conseguisse continuamente se ausentar e sentar em um muro. O engano final também é bastante improvável. Se tivesse sido tão fácil entrar e sair dos campos de concentração, aquelas pessoas que tanto sofreram, conseguiriam fugir. Mas infelizmente os campos de concentração eram ferozmente vigiados, sadicamente vigiados que seria muito difícil duas crianças se encontrarem regularmente sem o que estava dentro do campo não sofrer violências.

Um oficial nazista tem que se mudar para o campo e resolve levar a sua família. Logo percebemos que a casa fica perto de um campo de concentração. O menino é interpretado muito bem por Asa Butterfield. O pai por  David Trewlis. A mãe por  Vera Farmiga








Beijos,









Pedrita

6 comentários:

  1. Parceiro, belo trabalho! Bravo!
    Como amigo do cinema, convido-o a navegar no blog O Falcão Maltês. Com ele, procuro o deleite cinematográfico.
    Abraços,
    Antonio Nahud Júnior

    www.ofalcaomaltes.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Vi o filme e gostei muito, sobretudo pela força da sua mensagem, em Portugal foi um sucesso e o livro passou a ser muito divulgado.
    Claro que a obra tem mais uma forma de fábula e não é um filme tecnicamente evoluído, mas continua a valer pela mensagem.

    ResponderExcluir
  3. Oi Pedrita, tudo bem contigo?

    Nao vi o filme mas li o livro.

    O fim é bem provável e nao improvável como vc escreveu. Se vc pudesse visitar Dachau uma cidade alema que foi um campo de concentracao...vcentenderia o porque daquele fim. É totalmente possívelminha querida.


    Um grande beijo

    ResponderExcluir
  4. falcão, obrigada,

    geocrusoe, resumiu bem, uma fábula, mais importante pelo que propaga do q pela veracidade.

    georgia, eu digo que não é possível daquela forma pq os campos não eram lugares desorganizados. de tudo o que li eles sabiam muito bem quem ia e quem não ia pra câmera de gás. todo mundo era um número. não pegariam duas crianças de um outro galpão e nem perceberiam. por isso achei improvável. se fosse o dormitório dos meninos até pode ser. mas eles procuravam o pai e um e estava em um dormitório só de homens sem crianças. como disse, os campos não eram tão desorganizados. bem como perceberiam um garoto sempre sumindo.

    ResponderExcluir
  5. eu li o livro.muito, muito bom. quero ver o filme.
    se voce lesse um pouco mais a literatura do genero, veria que seria possivel sim....

    ResponderExcluir
  6. inclusive o Primo Levi sobrevive a um campo graças a um desconhecido que de fora sempre dava um jeito de passar alimento por baixo das cercas eletricas... ele escreveu muito sobre isso....

    ResponderExcluir

Bons comentários!