quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Ritual

Assisti Ritual (2011) de Mikael Hafström na HBO. Eu gosto desse gênero de filme, tem o Anthony Hopkins e a Alice Braga no elenco, resolvi ver. É um bom filme, funciona, mas não chega a ser incrível, até se arrasta um pouco. O roteiro de Matt Baglio é bom e gostei bastante dos questionamentos iniciais. Nosso protagonista é filho de um preparador de mortos. Seu pai prepara os mortos em casa, nos Estados Unidos, e o garoto, desde criança convive com os mortos. O destino do rapaz será o mesmo. Por ser de uma família sem recursos, sem possibilidade de cursar uma faculdade pelo custo, ele resolve ser seminarista para poder estudar e ter um destino diferente. Ele também decide que sairá do seminário antes de concluir os votos.

Quando ele decide abandonar o seminário, um padre sugere que ele antes faça um curso de exorcismo em Roma e se mesmo assim depois desistir, que o padre não interferirá mais. O que mais me incomodou é que como não tenho filosofia católica, o filme tenta levar a sério o exorcismo, parece que o autor Matt Baglio acredita realmente em exorcismos e o filme fala que perder a fé é estar aberto ao mal que eu acho uma visão preconceituosa e intolerante. Ritual é bastante maniqueísta. E também me incomodei bastante com o preconceito aos gatos no filme, que eles só gostavam dos possuídos, porque são do mal, isso me irritou profundamente. Os sapinhos também sofrem do mesmo preconceito. Ritual é assistível. O rapaz é interpretado por um jovem ator irlandês, Colin O´Donoghue e ele se sai muito bem. Agora que vi que o Rutger Hauer estava no elenco, ele faz o pai do rapaz.



Beijos,
Pedrita

2 comentários:

  1. Pedrita, eu assisti o filme neste final de semana e fiquei a-pa-vo-ra-da kkkkkk Adoro filmes assim, mas sou uma medrosa confessa!! E para piorar, era uma história real... eu heim...

    ResponderExcluir
  2. la socière, eu só não gostei q o filme se leva a sério. gosto mais qd não se levam tão a sério.

    ResponderExcluir

Bons comentários!